Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Números financeiros apavorantes no Galo

Definitivamente não entendo de contabilidade e balanço financeiro. Portanto, estou sujeito aos pavores das manchetes e chamadas da imprensa, mesmo ouvindo, lendo e relendo as matérias relacionadas ao tema.

De tudo que pude perceber ontem, incluindo prosas com pessoas mais qualificadas que eu sobre o assunto, é que a situação que parecia estar sob controle, definitivamente, não é procedente. Apavorante!

Vou focar nessa questão financeira, para amanhã, entrar sobre as dezenas de jogadores contratados nos últimos tempos e os prejuízos com essa série de erros. Desde contratos longos, valores altos – de compra e de salários -, apostas sem resultado, até rescisão e eventuais ações indenizatórias. Que situação!

Quanto aos números do balanço – que só foi apresentado depois de muito atraso – contrariam tudo que o presidente Sette adora bater no peito e afirmar sobre sua gestão. Austeridade! Quase 100 milhões adicionais a dívida do ano anterior. Nossa dívida saltou para a marca de inimagináveis 750 milhões de reais.

Ele mesmo, Sette, confirma que assumiu com uma dívida de 538 milhões de reais. As receitas aumentaram, o time não mostrou resultado em campo e os jogadores contratados não justificam investimento compatível com esses números. Duzentos milhões a mais e segue o baile? Como explicar isso?

Ah! Essa diretoria pagou dívidas de gestões anteriores, de mandatos até já distantes, ainda assim os resultados são inexplicáveis. Tanto financeiros quanto – e até muito mais – o desempenho da equipe em campo. Dezenas de jogadores medíocres chegaram ao Galo na gestão Sette, treinadores três por cada temporada, diretor de futebol já estamos no quarto, já títulos continuamos zerados.

Não dá pra entender essa matemática financeira e de conquistas, pois à nossa avaliação tem dinheiro correndo pelo ralo. Quero dizer, mal gasto, como contratações que não deram resultados e ainda geraram passivos que têm levado o Galo às barras de Tribunais. Barras e não barbas, como sugere o presidente noutra resenha sobre esse drama.

O Torcedor Atleticano está sim, com as barbas de molho, tamanho foi o impacto dessa informação sobre nosso endividamento. Durante a semana, até motivado por alguns leitores, cheguei a admitir a sua sonhada venda do restante do Diamond para equacionar esse endividamento e poder já investir imediatamente em títulos e conquistas. Gostaria de ver – ainda em vida – um Galo organizado, dentro e fora do campo.

Ao me deparar com isso – confesso – comecei a perceber que isso só será possível para futuras e distantes gerações. Imaginei, enquanto quis acreditar que a austeridade estava acontecendo sem que eu percebesse que esse novo momento estaria batendo às nossas portas.

Diante disso, delirei, pensei que a outra metade do Shopping anteciparia esse futuro que minha longevidade já sente ameaçada. Em nome desse sonho, então, começava a admitir essa venda. Desde que os valores fossem dentro da realidade, fato é que ainda tem quem questione sobre a primeira transferência.

Levava em conta ainda a crença nas informações de que o Estádio do Galo deve gerar aquela receita na ordem de 100 milhões por ano, fora bilheteria dos jogos. Ao me deparar com essa notícia, lamento, fui outra vez acometido de descrença nas declarações oficiais do Galo.

Agora, como todo setor que apela para a vitimização, entende que o governo federal deve socorrer. Nosso socorro passa antes pela boa gestão, que envolve saber contratar. Isso o Galo não tem feito desde o início da gestão Sette.

Lamentavelmente!

*fotos: Bruno Cantini/Atlético

14 thoughts to “Números financeiros apavorantes no Galo”

  1. Boa tarde!
    Não quero defender A ou B, mas na minha concepção, todos os antecessores e também o Sete Câmara, tem culpa no cartório. Fizeram dívidas milionárias e contratações equivocadas, sendo que algumas delas pagaram parte e deixaram o restante para o sucessor, que também não pagou e virou uma bola de neve. Agora é juntar a roupa suja e tentar solucionar o total destas dívidas, com fornecedores, ações trabalhistas, bancos, FIFA, etc, uma vez que a dívida tributária está equacionada através do Profut. É conseguir um meio, nem que seja um empréstimo a longo prazo, com prestações a sumir de vista, com juros pagáveis e não empurrar mais com a barriga, pois só de juros são 50 milhões anuais. A maioria dos economistas dizem que não se deve vender um patrimônio para pagar dívidas, mas isto tem que ser pensado e analisado, mas se não for o ideal, que se acha uma forma e acabe com essa agonia de vender o almoço para pagar a janta.

  2. Bom dia Avila. Na minha jumentistica opinião o Galo sera o primeiro clube empresa do Brasil. O Sette atua profissionalmente no ramo do direito empresarial e com as auditorias que contratou, fará a exposição real da situação financeira e indicará a unica solução, vender ações para sobreviver. Dai os acionistas majoritarios serao Ricardo Guimarães, os Menim e a turma do Materdei. Eu nao vou me opor a transformação do Galo em Clube Empresa , até porque nao tenho outra alternativa. O Galo como conhecemos está inviável financeiramente. E nao se esqueçam que pagamos para jogar nos dezenove jogos do Brasileirão de 2919, que fizemos em BH…..

    1. Boa Tarde,

      Sua palavras tem muito a ver, porém, já li uma matéria que diz que tem hoje um bilionário Russo (Ivan Savvidis) muito interessado em adquirir um clube de massa no Brasil, se eu não me engano ele
      já adquiriu um na Grécia (PaoK) e no Brasil estava interessado a princípio no Fortaleza ou Paraná, sua principal meta é um clube de massa. Entraria pagando toda a dívida do clube e faria uma parceria estilo Red Bull – Bragantino.

    2. Prezado Domingos Sávio,

      Concordo plenamente com as suas observações. A anos que venho falando da irresponsabilidade das gestões do CAM.
      Aparentemente o caminho está sendo construído para que as famílias citadas acima assumam de vez o controle do Galo. Sinceramente não me importo, melhor assim do que está acontecendo com o rival. Quem sabe com uma gestão profissional, poderemos comemorar títulos, pois com salários e direitos de imagens atrasado, o que se tornou uma rotina a anos consecutivos, podemos esquecer de títulos.

    3. O Athletico Paranaense já funciona como clube empresa. Sem essa velharada inútil de clube social. Lá é estádio, centro de treinamento e acabou. Lá ganharam dois títulos nos últimos dois anos e fecharam os dois anos com lucro. Lá contratam Robson Bambu a custo zero e vendem por 8 milhões de euros. Aqui a gente contrata Iago Maidana. Trabalho bem feito, de forma calada. Ao contrário desse fracassado frouxo que preside o Galo e sempre joga a culpa pros outros.

  3. Bom dia,

    Assisti a entrevista do presidente ontem onde ele diz que este valor é o juros da dívida.
    Bom, como tantos, não conheço. Mas posso dizer que a quantidade de erros na gestão do SETTE é muito maior do que os acertos, na área do futebol, deixo claro.
    Estes erros potencializou e muito o resultado negativo, isto é bem claro para todos.
    A quantidade de dinheiro mal empregado em contratações pífias e salários para manter está turma toda de más contratações certamente colocaria estes números menores.
    Ele disse que existe a possibilidade de se vender o Shopping para liquidar esta dívida que segundo ele, é a culpada pelos juros, que aparece maior a cada ano, virando uma bola de neve.
    Dependeria do Conselho e teria várias regras.
    Minha opinião é justamente que não justifica pagar dívida e o juros ser maior do que você pagou, sou favorável em quitar a mesma.
    Porém o medo da má gestão me assombra mais do que a dívida, basta um presidente e um diretor mal intencionado ou mesmo não conhecedor de futebol para voltarmos com ela ao mesmo nível.
    Na verdade foi um soco no estômago, mas já esperado, me preocupo mesmo é com o balanço de 2020.

    Bom Sábado a todos!

    1. Além de tudo, é um mentiroso compulsivo, nosso presidente fracassado.
      Vários empréstimos tem taxa de 0,8% ao mês + CDI, não são empréstimos baratos porcaria nenhuma.

  4. Bom dia Massa e Guru

    Sinceramente, como diz aquele ditado: “o pior cego é aquele que não quer ver”. As vezes constato como nós torcedores gostamos de ser ludibriados, “me engana que eu gosto”.
    Alguém acreditava realmente em melhoria da situação financeira do clube se fomos nestes dois últimos anos eliminados precocemente de torneios que nos dariam grandes premiações, contratamos e mantivemos técnicos, jogadores e até funcionários incompetentes pagando altos salários e ainda de quebra nunca buscamos fontes alternativas de faturamento, além das já existentes? Alô setor de marketing!!!!!
    O pior disto tudo, é que ainda existem torcedores cobrando do clube grandes contratações fora da realidade financeira. Será que nós torcedores não contribuímos também para esta situação?
    Clubes endividados e moribundos, jogadores e técnicos cada vez mais ricos (guardadas as devidas proporções). Esta é a roda que gira e enquanto não houver mudança geral na legislação, coibindo gastos dos dirigentes, pagamentos de salários e indenizações imorais a jogadores, a roda continuará girando, levando os clubes ao precipício.

  5. Bom dia Eduardo, Lucy, atleticanos e atleticanas,
    como eu disse ontem é preciso ver o balanço na íntegra para emitir uma opinião mais balizada…
    É preciso conhecer a natureza dos débitos que compõem a dívida e se ela é de curto, médio ou a longo prazo… Quanto dela já está negociada, como a tributária por exemplo….
    Sem essa análise qualquer consideração pode estar enganada…
    Isso em nada apaga as “cagadas” (desculpem o linguajar, principalmente as nossas “meninas) que esse presidente fez ao delegar poderes para contratar a pessoas sem a menor capacidade para tal…. Essa dívida que o Eduardo pretende abordar amanhã, com certeza está na conta do Sette Câmara….
    Um ótimo sábado para todos e se cuidem….

  6. bom dia Eduardo e massa. mas um grande texto Eduardo. mais uma vez parabéns presidente pela austeridade. não entendo nada de financeiro mas o resultado está ai. São quase 100 milhões a mais na dívidas do galo. o presidente vive dizendo que o galo não ias cruzeirar e simplesmente estamos falidos iguais elas. mais de 2 anos no comando do galo e simplesmente ok ganhou nada,aliás ganhou sim em almentar a dívida do galo. viva a austeridade pífia desta diretoria amadora que simplesmente pós o galo na lamba. eu e milhões avisaram uma hora a conta chega e esta chegando cada vez mais alta. triste realidade. aff.volta galo estamos com saudades. cuida-se amigalos.bom final de semana para todos. vai galooo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.