Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Novo trabalho, novo momento, outra história…

Paulo Peixoto

Começou a era Antonio Mohamed no Galo. A sua contratação pelo CAM me lembra a chegada de Jorge Sampaoli para trabalhar no Galo. Não que eles tenham alguma afinidade de trabalho. El Turco, pelo que li e ouvi, é diferente de Sampaoli, por exemplo, na relação com as pessoas. A lembrança que me vem tem a ver com a adaptação ao futebol brasileiro e aos nossos jogadores. Sempre é um desafio a ser enfrentado. E aí fica a pergunta remoendo: será que vai dar certo?

No caso de Sampaoli, ele já tinha um ano de experiência no futebol brasileiro trabalhando em Santos. El Turco terá o seu primeiro ano de trabalho no país. Com Sampaoli eu tive boa expectativa por ter visto o trabalho que ele fez com a seleção do Chile desde a Copa de 2014 e depois no Santos. E o que vi depois no Galo só confirmou aquela expectativa. O cara realmente é bom, apesar do humor sempre estranho.

Não consigo ter nenhum tipo de expectativa com Mohamed neste momento. Nenhuma mesmo. Isso não tem nada a ver com ser pessimista, nada disso. Nem significa estar indiferente, também não é isso. É apenas uma questão de ver as coisas acontecendo para ir formando a minha opinião sobre ele.

Nem de muito longe é possível comparar a situação de Antonio Mohamed com a do venezuelano Rafael Dudamel. Mas a desconfiança que pairou em grande parte da torcida logo que saiu o anúncio da contratação do novo treinador do Galo, acredito eu, foi justamente por causa da lembrança ainda muito viva da desastrada contratação de Dudamel pelo horrível diretor de futebol da época. Nem vale a pena lembrar o nome daquele infeliz. Acho que o fato de Mohamed ser desconhecido por aqui despertou a lembrança no nosso inconsciente. É compreensível.

No meu caso, tenho ainda muito vívido na lembrança as ações de Cuca comandando o Galo de 2021, especificamente a sua capacidade de ter uma boa leitura das partidas e corrigir o time quase sempre com maestria no decorrer dos jogos. E também a maneira com que ele alternou o time ao longo de três importantes competições para evitar desgaste e contusão dos jogadores. Sem falar que montou um time muito equilibrado, um grupo coeso e bastante comprometido.

Me pergunto se Mohamed teria esse tipo de visão e ação no comando do Galo. O tempo nos mostrará. Elenco muito bom ele terá à sua disposição. Todas as condições técnicas e de estrutura para trabalhar esse time também terá. São aspectos muito positivos para um treinador iniciar o seu trabalho. E, além do elenco muito bom, ele terá Hulk à sua disposição… Apesar disso tudo, será um momento novo, um trabalho novo, assim como foi com a saída de Sampaoli e a chegada de Cuca. Mais um capítulo da história atleticana começa a ser escrita.

Ironicamente falando, me conforta o fato de que Mohamed deu um nó tático em Cuca comandando o Tijuana. E não foi por acaso, não. Nas duas partidas jogadas, a da ida e a da volta pela Libertadores de 2013, a tática de Mohamed prevaleceu sobre a de Cuca. Mas Galo é Galo: Luan saiu do banco para empatar o jogo lá no México e, aqui em BH, São Victor do Horto foi canonizado para o mundo do futebol. Mohamed sentiu naquelas partidas o peso do CAM. Ali ele conheceu a Força Atleticana de Ocupação. O resto é história.

Quem diria que aquele treinador que cruzou uma história de sucesso do CAM viria a ser treinador do Galo Forte e Vingador. Com Antonio Mohamed temos que seguir com a trajetória iniciada em 2020 por Jorge Sampaoli, que, mesmo sem títulos, proporcionou que o Galo tivesse um bom elenco e mostrou um caminho a ser trilhado de muita competição e eficiência técnica. Cuca não só levou essa ideia adiante como deu show de eficiência ao conduzir o time a dois títulos nacionais e, por detalhes, não disputou a final da Libertadores.

Bienvenido, Antonio Mohamed; aqui é Galo! Sinta-se abraçado pela grande comunidade atleticana. Sempre haverá uns ranzinzas por aí pra te atazanar, mas saiba que eles também têm coração… Desejo a você paciência, equilíbrio e sabedoria para manter o Galo nesse caminho de sucesso. Vamos com fé, Galo!

11 thoughts to “Novo trabalho, novo momento, outra história…”

  1. BOM DIA,

    Como sempre estou otimista com o novo treinador.
    Deixado a sua capacidade de lado, percebo na liderança do Hulk o necessário para que ele se dê bem.
    Quando os jogadores recebem bem um treinador e o melhor indicativo de sucesso do treinador e do grupo.
    Que venha 2022, mineiro e essa Supercopa do Brasil para mim não servirá de parâmetro para o ano que virá. Mas se vier estes dois títulos será excelente.
    Boa terça feira a todos!

  2. bom dia Eduardo e massa e Paulo Peixoto. enfim voltou o galo.agora é treinar e treinar vamos ter vários campeonatos para disputar. o galo precisa de contratar um lateral direito mariano não consegue jogar todos jogos, Guga é muito fraco e se vender Nathan silva precisa de outro zagueiro. aliás penso eu que vá ter mais equipes fortes este ano Gambas e internacional.bambis também se reforçou muito. ótima semana a todos amigalos. vai galooooooooo.

  3. Bom dia a todos!
    Aos que imaginam que o Galo fez uma escolha ruim de treinador, aconselho pensar um pouco mais.
    O treinador preferido por muitos Atleticanos era o JJ que fez um grande trabalho no flamengo e só. El Turco fez grandes trabalhos no Huracan, levando o time a primeira divisão argentina, Independiente com o título da Sulamericana, Tijuana com o torneio apertura no México e Monterrey com torneio apertura, copa do México e Concacaf.
    Outro ponto é o custo com a comissão técnica. O JJ custaria cerca de 36 milhões por ano sem ter a certeza de que os títulos viriam, o Mohamed custará cerca de 12 milhões por ano, ou seja, 24 milhões a menos. Esse valor poderá ser investido em novas contratações para reforçar o elenco.
    Prefiro acreditar no trabalho do El Turco do que criticar logo no começo.
    Nenhum treinador que clubes brasileiros consigam contratar será sinônimo de sucesso, aliás, os únicos dois treinadores no mundo que vejo com essa garantia de sucesso são os badalados Klopp e Guardiola, no mais, todos são apostas.

  4. Peixoto e Canto do Galo,

    Bom dia!!!

    No futebol o resultado é tudo!!!

    Numa projeção de cenário, a curto prazo, El Turco tem de cara três desafios:

    a) o jogo da Supercopa contra o Flamengo (20/02/22);

    b) o jogo no Estadual contra o Cruzeiro (06/03/22);

    c) e a decisão do Mineiro (03/04/22).

    Num cenário pessimista, pode-se imaginar derrota para o Flamengo, derrota para o rival e a não conquista do Estadual.

    Como no futebol tudo é possível, esse cenário, se vier a se concretizar, com o time apresentando um desempenho ruim, é razoável projetar que muito dificilmente o El Turco continuaria como o distribuidor de camisas de plantão.

    Mas no futebol há também o cenário do provável. E nesse cenário, o Atlético tem tudo para vencer o Flamengo, bater o Cruzeiro impiedosamente e buscar o Tri do Mineiro.

    Agora, entre o cenário pessimista e o cenário otimista, tudo pode acontecer…

    Assim é o mundo futebol, onde o resultado é tudo, onde existe em boa conta o imponderável, onde a derrota é amarga e frustrante, onde a torcida é emocional e exigente e onde só a vitória interessa…

    Na vitória, reina a alegria… Na derrota, cabeças rolam…

    Vida longa a Ele Turco!!!

    E bamo que bamo…

    1. Bater impiedosamente o Cruzeiro!! Pra mim uma goleada no CSA este ano é indispensável. Bamos que bamos.

      1. Prezados Ávila, atleticanas e atleticanos!
        Os resultados alcançados pelo Cuca em 2021, foi um ponto fora da curva. Nem ele acreditava que pudesse ter tamanho sucesso. Se quisesse definitivamente ganhar todos atleticanos, teria continuado. Como bem disse o Ávila na ultima live: Cuca amarelou! Sabia que não poderia repetir o trabalho de 2021. Como diz o ditado: mijou fora do penico. Que seja apenas um treinador que deixou lembranças. Acredito que ” El Turco” vai nos surpreender. Que o fantasma do Cuca não prejudique o trabalho do novo treinador .
        A estrada para o sucesso do Galo, já foi pavimentada pelo Sampaoli, cabendo agora ao “El Turco” , a exemplo do Cuca, apenas continuar com uma boa manutenção. Não vejo nada no horizonte que possa tirar a minha convicção de que 2022 será outro ano de comemorações. Quem sabe um título mundial?
        Hoje e sempre, galo!!!

  5. Bom dia!
    Qualidade El Turco demonstrou nos clubes que passou. Carisma demonstrou ter ao se apresentar à Massa e ao elenco. Se for humilde e souber ouvir a comissão técnica do Galo, a diretoria e também a arquibancada, terá sucesso. Mas eu quero ver mesmo é a bola rolando, ver Hulk, Zaracho, Keno, Jair, Arana, Allan, Savarino…enfim, a seleção.

  6. Bom dia Paulo. Bom dia a todos. Contrariando o murismo do articulista eu tenho boas expectativas em relação ao trabalho de ” El turco”, pelas seguintes razões: o elenco é muito bom ; as condições de trabalho adequadas e a entrevista do Hulck diz muito: ambiente mais leve com o novo técnico. O que seria isto? Sei nao viu, mas parece que os grandes reforços d temporada do Galo foram as saidas do Cuca e do Diego Costa. E aqui nao estou falando que o Cuca é incompetente e o Diego Costa jogador ruim. Mas que o Cuca é uma pessoa depressiva e o Diego Costa um marrento parece obvio. E aguentar esses tipos de personalidades por muito tempo é extremamente toxico. Se o objetivo é ganhar a Libertadores, não podemos ter um técnico medroso e superticioso no banco. Todos sabemos que nao atacamos o Palmeiras no primeiro jogo. Jogamos por uma bola. Tenho expectativa de que o Nascho pare de correr atrás dos outros e volte aos tempos de” el celebro” do River. Agora se minhas expectativas nao se confirmarem, infelizmente, o Cuca voltará para o Galo, como o Dom Sebastião, saindo do meio do nevoeiro, vez que a nossa cultura é recorrente, em achar que a solução do futuro é voltar ao passado. Pra mim , Cuca não deveria voltar ao Galo. Tem meritos? Claro que sim. E muitos. Mas, já roeu a corda por duas vezes conosco. Chega!!

    1. Prezado Domingos Sávio, ótimo dia amigalo

      Eu como você acredito no novo técnico. O futebol mexicano, guardadas as devidas proporções, é bem competitivo sim, e o El Turco teve sucesso lá. Quem assistiu ao jogo das semi finais das libertadores quando enfrentamos o Tijuana, ficou claro que um time inferior nos encurralou dentro de casa, o resto da história todos sabem.
      O histórico de jogo de El Turco é vir com a bola trabalhada desde da intermediária, sem chutões para frente, e isso pode favorecer em muito o futebol técnico do Nacho.

      1. Perfeito, só uma observação. O jogo foi pelas quartas de finais, na semi foi o New Old Boys.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.