Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Nathan, Dudamel e Lásaro

Passamos a Semana Santa ansiosos com o vírus que parou o mundo e sonhando com a possibilidade de alguma nova contratação para a temporada que foi abortada.

Nada de boas novas. Entretanto, o assunto que dominou o noticiário e as redes sociais foi a declaração do Nathan a respeito do treinador Dudamel.

A bem da verdade, durante a permanência do venezuelano à frente da equipe, essa informação já circulava no meio da Massa.

Agora, com a confirmação, algumas questões merecem um debate mais amplo. Muito se fala sobre complô de jogadores para derrubar treinador. Nunca, oficialmente, me lembro disso ter se confirmado. A meu entendimento, o que o meio campista escancarou foi que esse fato ocorreu no Galo.

Ora, é inadmissível aceitar isso. Já que ele, jogador, colocou nestes termos, duas coisas me sugerem. Dele, assim como foi a público falar sobre essa situação, agora dar nomes aos atletas que conspiraram pela queda do treinador.

Entendo que fomos, precocemente, eliminados das Copas Sul-Americana e do Brasil, por corpo mole de atletas que são remunerados para defender a camisa Atleticana. Usou inclusive expressões como de “saco cheio” com as regras impostas pelo comandante.

Na sequência, Dudamel denunciou que teve autorização do presidente para colocar ordem na Cidade do Galo. Por suas palavras – a afirmação não é do blogüeiro e sim extraída da reação do ex-treinador – o CT era um clube social.

Diante disso, com carta branca, passou a gerenciar com essa autoridade que lhe foi conferida, estabelecendo normas internas.

Foi demitido, segundo ele, sem ter sequer se reencontrado com o presidente Sette Câmara. Ao que parece, os jogadores ficaram desagradados, o que culminou nos vexames da dupla eliminação.

Ato contínuo veio o vice-presidente Lásaro Cândido, em postagens nas redes sociais, afirma ter tentado explicar a ele sobre a realidade brasileira. Fez referência a um eventual exagero das regras estabelecidas pelo venezuelano.

Pois bem, muitas perguntas ficam soltas no imaginário do Torcedor. Houve corpo mole do elenco ou de alguns atletas? Se sim, quais? Existiram líderes nessa eventual rebelião que nos custou duas eliminações? Sette autorizou Dudamel a baixar normas de conduta na Cidade do Galo? Se foi com seu consentimento, sem limites? Treinador pode gerenciar o funcionamento do CT? E, como manifestou o vice, quais teriam sido os exageros? E ainda, essa realidade brasileira, significa o quê?

Como não creio ter respostas oficiais, podemos sim devanear sobre o tema. O leitor tem a liberdade de dar sua opinião neste Canto do Galo.

Finalmente, deixei esse debate, deliberadamente, sendo nossa resenha de segunda-feira. Por razões diversas. Quando o jogador deu essa declaração, evidente que haveria reações, como acabou ocorrendo.

Privilegiei, nesses últimos dias, intencionalmente, a questão do futebol feminino. Respeito quem não goste, mas em se tratando do Galo, já comemorei futsal e jogo de palitinho em mesa de bar.

Sugiro, mesmo que não aprecie, respeite as meninas que defendem nosso manto sagrado.

No sábado, falamos sobre o time principal e domingo sobre o trabalho de base nessa modalidade. Ah! E durante essa Semana Santa confinada, na quinta-feira, nossa prosa foi sobre cronistas antigos. Já na Sexta-feira da Paixão, dente de leite e o programa “Bola na Área” dos anos 60/70. Foram uma viagem no tempo com essas duas postagens.

*fotos: Bruno Cantini/Atlético

25 thoughts to “Nathan, Dudamel e Lásaro”

  1. Infelizmente nessa brincadeira o único prejudicado foi o Galo, pois não tem a mínima condição um time profissional errar três penalidades, simplesmente não preocuparam com o prejuízo financeiro do clube, ao meu ver fizeram com a intenção de derrubar o treinador( não estou entrando no mérito de sua competência ou não) quantos milhões o clube deixou de arrecadar, mas isso é o menos importante, o Galo está numa ótima situação financeira.

  2. Uma vez que já dei ontem minha opinião sobre o tema, não vou repetir.
    Ao JBHGalo os meu aplausos pela arte de fazer observações sem fazer juízo valor. Na hierarquia da discordância, do Paul Graham, o senhor está no topo da pirâmide.
    Ao Wellington, nossa senti tanta falta quanto a de uma dor de dente. Desconfio que essa obsessão que ele tem por mim foi desencadeada por uma admiração profunda.
    Devo dizer que apesar dos devaneios de quem fuma erva estragada, uma coisa não se pode negar; o Vuvy é Galo Doido!
    Falando nisso…
    Duduco, sugiro que convide o grande intelectual Vuvynho pra fazer um texto nos contando como nasceu sua Atleticanidade (essa palavra que ele adora), seria épico. Isso é, se ele for capaz de falar de si mesmo e do Galo sem citar comentários dos colegas do Blog, política, feminista, racista, motorista taxista e afins.

    P.S.: Boa tarde, José Antônio. Um abraço.

    1. Amanhã, caríssima, de volta o Caldeira. Já na quarta, no forno, a simpatia do nosso amiGalo Ângelo. Direto de Brasília.

  3. Boa Eduardo, Lucy, atleticanos e atleticanas,
    jogadores derrubam técnicos e vão continuar derrubando lembram-se do Luxemburgo no Galo??/ Que foi derrubado na época do Kalil e ele mesmo assumiu???
    Dudamel já foi, já passou, agora é olhar pro futuro…. Sampaoli tem mais cacife, não é qualquer grupo que derruba um técnico desse porte….
    Quanto ao Nathan, sinceramente não sei o que está fazendo aqui ainda, até hoje não disse a que veio, jogador mediano, que até hoje não sabemos qual é sua posição de origem, e que, na minha opinião não acrescentou nada… Pode muito bem pegar a barca que não vai fazer falta, se ficar é daqueles que se diz “pra compor elenco”, tem que ver qual é o custo disso porque gastar dinheiro com jogador meia boca já não dá mais…
    Um outro assunto que apareceu nas manchetes é a dívida do Galo com a Udinese pela compra do Maicosuel em 2014… Esse papo de que a dívida é de outra diretoria parece papo de maria, a dívida é do Galo, quem comprou foi eleito e assinava pelo clube então tem que pagar…
    A FIFA tem que colocar um fim nisso doa a que doer, é um absurdo um time assumir um compromisso e simplesmente não pagar e ir empurrando com q barriga até onde der… Isso tem nome… Mau caratismo… A punição deve ser exemplar para todos e bem rígidas para coibir essa safadeza…. Se não tem como pagar, não compre….
    Por fim, respeito demais as meninas… não gosto de futebol feminino, mas posso passar a gostar, porque não??? Me dou o direito de mudar de opinião…
    “Fanático é alguém que não muda de ideia e não muda de assunto.” Winston Churchil
    um ótima semana a todos e todas… e infelizmente, o vírus não está indo embora, pelo contrário, ele tá chegando com força….

    1. Concordo com relação a quem pode acabar com essa farra dos clubes é a FIFA e é muito fácil, é só proibir a venda de jogador com dívida a ser paga.
      Ou seja, para vender tem que quitar a dívida.
      São dois aproveitadores neste caso, o Fulano que comprou e o outro que vendeu, usou a grana e não quitou o débito.

  4. Boa tarde a todos Atleticanos,

    Minha opinião quanto as novidades ditas pelo Nathan e retrucada pelo Dudamel são a seguintes:
    Primeiro indício que o Dudamel não era um treinador que enchia os olhos dos comandados foi a recusa do Soteldo em não querer vir para o Galo, tenho certeza que naquela época se o treinador fosse o Sampaoli ele viria, afinal a estrutura oferecida no Santos não chega a ser um decimo da oferecida no Galo, ainda teria aumento de salário.
    Mas quando o Dudamel fala em clube social, temos que ver em qual momento o CT esta sendo utilizado desta forma, julgo que se não está na hora do trabalho é normal que se tenha um relaxamento nas regras, já foi dito que até de chinelo de dedo o Dudamel não permitia que os jogadores anda-se pelo CT.
    O que eu posso afirmar é que quando as regras são muitos rígidas, geralmente os resultados não são duradouros, podem até ser instantâneos, mas, sem consistência.
    A queda do Dudamel precedida do retorno de alguns jogadores a titularidade, como Vitor, Ricardo Oliveira e Fábio Santos, também foi muito estranho, porque não havia nada que justificasse tal atitude.
    O Nathan deixou claro que jogadores não possuem nenhuma preocupação com a instituição, na verdade eles querem é que a mesma se fu.., jogar um ano fora para ficar livre de um treinador, é muito grave, são muito bem remunerados para ter tanta vontade, tem que aprender a seguir a vontade dos superiores, mesmo não gostando.
    Neste meio estava o presidente, que pelo cargo, tem que delegar, o Diretor que foi muito bem demitido, era quem tinha que intermediar os excessos de ambos os lados.
    O que se sabe do Sampaoli é que chega com todo o respaldo da diretoria, mas, não comete excessos e possui também uma forma de administrar que agrada aos jogadores, na verdade tem que se achar um meio termo nas relações.
    Não dá papo para jogador, se não gosta, corta logo o pescoço, não permitindo assim os descontentes infiltrados, porém, não faz concentração, quero ver o Cazares chegar atrasado e cheirando a cana, vai ser rua na hora.
    A grande verdade é que diante dos fatos sabemos que o treinador e o novo diretor possuem muito trabalho para frente.

  5. Embora seja tratado de maneira subliminar, obscura, não é novidade que elencos derrubam treinadores. Poucas vezes vi (li, ouvi), alguém tratar do assunto diretamente. NUNCA vi jogador confessar (embora algum amigalo possa nos mostrar tal fato). Mas já vi dirigentes admitir. Alguns de forma direta, aberta, como fez Kalil sobre a saída do Luxemburgo (https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2013/08/12/kalil-revela-que-luxemburgo-foi-derrubado-pelo-elenco-atleticano-em-2010.htm). Outros, de maneira mais indireta. (me lembro de um dirigente do São Paulo ter dito, em entrevista ao SportV, que o Ney Franco não contava com o vestiário, em briga clara com o então goleiro Rogério Ceni). Treinadores também já foram claros (como o Autuori na derrota de 4 para o Galo em 2007, disse que nunca havia trabalhado com um elenco tão mau caráter), ou apenas insinuantes (como o próprio Ceni, ano passado, quando disse que todos sabiam o que tinha ocorrido em sua saída). Nessa situação do Dudamel, mais uma vez fica claro que o erro maior foi da diretoria, ao trazê-lo. Com experiência na condução de seleção, pouco havia feito, e nada relevante, à frente de clube de futebol, situações muito diferentes entre si. Quando contratado, as “qualidades” apontadas ao treinador estavam o estilo disciplinador, o perfil de lançar e trabalhar com garotos e, pasmem, o estilo seu “ofensivo”. Na minha opinião, e disse isso desde o início, era projeto “natimorto”. Começando pelo último, a venezuela não atacava ninguém, apenas apresentava perfil reativo (se destacava por não mais levar goleadas históricas). No Galo, pouco havia, em nível de qualidade, para promoção da base. E disciplina, no futebol brasileiro, é algo muito delicado. Pouco há de novo nas declarações do Nathan. As insatisfações do elenco aos exageros, isso mesmo, os excessos do treinador nos eram repassadas em vários blogs e reportagens. Além da relatada, pelo jogador, rigidez no horário de almoço, há relatados de proibição de celulares, implicância com chinelos, marcação de treinos em horários pouco habituais. Pode-se divergir se o estilo está certo ou errado, mas creio que haverá maior consenso quanto: 1- é uma mudança de mexe com “cultura dos beleiros”, geralmente acostumados a falta, ou maior flexibilidade, de padrões e criaria desconforto; 2- levaria tempo para ser implementada. E, esse tempo, só seria alcançado por meio de resultados e esses não foram nem de longe os esperados. Juntasse a falta de resultados, o péssimo desempenho da equipe. Nessa análise, destaco dois pontos na fala do jogador: 1)os jogadores estavam “bitolados” a jogar de em esquema e o treinador “impôs” outro, e 2) “o treinador pedia uma coisa, depois pedia outra, depois pedia outra”. Ora, um desacerto total, de todos. Primeiro, jogador não tem que jogar apenas em um estilo, um esquema. Tem que cumprir as determinações do treinador no esquema que esse está implantando. Porém, como se adaptar se uma hora é uma coisa, depois outra, depois outra? Aí complica mesmo. Na minha opinião, não é nem questão de boicote, mas da incapacidade. Sendo mais explícito, é difícil pensar que o Nathan tenha errado o chute contra o Union, ou perdido o pênalti contra o afogados por questão de insatisfação com o treinador. É difícil pensar que tenha sido proposital. Situação que já me permito pensar quanto ao pênalti desperdiçado por um certo jogador, numa partida realizada a noite, no dia em que enviou mensagem ao dirigente pedindo esforços para o pagamento: “fala Zezé, bom dia cara”.
    Quanto a resposta do Dudamel, entendo que seja mais uma busca para justificar o péssimo trabalho realizado. Pouco provável ter sucesso em qualquer outra equipe.
    Saudações alvinegras!

  6. Bom dia Eduardo, atleticanas e atleticanos que gostam e não gostam do futebol feminino. Tanto faz. Já existiram os que gostavam e não gostavam que elas votassem. E elas hoje votam. Já existiu os que gostavam e não gostavam que elas pudessem trabalhar fora de casa. E hoje elas trabalham. E assim elas foram e vão vencendo todo tipo de postura contra as suas vontades. E vão vencendo sempre. Por isso tanto faz o que os outros pensem. O futebol feminino está aí e não tem retorno.

    Quanto à baboseira dita pelo Nathan a respeito do Dudamel e ás baboseiras ditas pelo Dudamel a respeito do Nathan, eu repito o ditado: “Em casa que não tem pão todo mundo manda e ninguém tem razão.” E nesse caso o pão é a autoridade para impor respeito.

    O 7 já assumiu dizendo que não entende da coisa chamada futebol e deu carta branca para quem não entendia nada de administração e autoridade para dirigir o principal negócio do Galo.

    O resultado nós conhecemos e como atleticanos sofremos.

    Vieram outros na mesma situação e o desmando imperou no CT do Galo pela falta de autoridade que determinasse regras e exigisse o seu cumprimento e respeito.

    Então todo mundo achou que podia mandar e mandaram até em quem podia mandar.

    E nós, como atleticanos continuamos a sofrer as consequências desse desmando causado pela falta de autoridade do presidente e dos seus diretores de futebol pusilânimes que deixaram o barco correr sem leme. E pela anuência vergonhosa de dirigentes de outros setores que viram a coisa desgringolar e não fizeram nada para evitar e ainda têm a coragem de vir a público dizer asneiras.

    Eh! Galo. Vê se acorda. Põe ordem no terreiro. Deixa de deixar por conta dos outros. É você quem manda.

    Boa semana para todos nós. Fique em casa e fique vivo.

  7. Bom dia, meu Guru!
    Nada a divergir em suas opiniões expostas.
    No nosso entendimento, o erro foi de quem contratou um treineiro, o qual não sabe nem que a bola é redonda.
    Revolta (Motim) de jogadores e empregados insatisfeitos sempre haverá; cabe aos dirigentes, em cada nível onde ocorre a insatisfação, tomarem as providências cabíveis para que o clube funcione normalmente; mas, sempre pensando no patrimônio do clube ou empresa.
    No caso do Brasil, é praxe dispensar o treinador ou diretor de futebol, do que os jogadores; os quais representam os investimentos que poderão gerar lucros financeiros.
    Assim, danem os torcedores, a mídia. Mas cuidado, pois a Massa do Galo fala e grito alto.
    Abraços, a todos Atleticanos e saúde durante a pandemia que estamos enfrentando, sem o nosso Galçao da Massa.

  8. Caros,

    VIVA O FUTEBOL FEMININO DO CLUBE ATLÉTICO MINEIRO! Esse é um acerto da direção SETTE! Parabéns!

    Que mais acertou o SETTE? Nada…ñ tem nada na direção SETTE q seja motivo de exaltação. Mas eu fico na torcida, principalmente se fizer O MEA CULPA, se fizer a AUTOCRÍTICA! (SETTE ñ pode continuar TUTELADO pelos generais donos do CAM como se fosse um INCAPAZ, ou mesmo um IDIOTA, tem q assumir RESPONSABILIDADES consequentes com a Nação – querermos gritar É CAMPEÃO, O Brasil precisa de um Galo campeão!)

    Êta VIRUZINHO providencial, hein? Muita gente boa de verdade e de responsa refletindo e agindo sobre o desencanto com o “way of life tupiniquim”… a exploração desenfreada e à exaustão da Santa Casa, a orbe comum, a criminosa desigualdade social planetária, o avanço doentio dos reacionários inconsequentes IMBECIS sobre a terra plana…E o querido PAPA FRANCISCO, um oásis nesse deserto de egocêntricos charlatões, vaticinando uma verdade, implorando pelo perdão das dívidas(?) dos países espoliados, sem o que o mundo ñ sai da “VIRULÊNCIA”…AMÉM, Santo Padre, PAPA CHICO!

    E o NOSSO GALO?

    Parabéns pelo destaque dado ao futebol feminino ATLETICANO e dizer, se posso, pra deixar falar os desrespeitosos, escancara a MENTALIDADE dessa turba, como ficou evidenciado. Dá um desconto salgado pra eles, alguns beirando a imoralidade de tão REAÇA…Teve um q GRITOU q ñ é homofóbico, um profeta, WS 19 – 2, 11 de abril de 2020 às 21:56: “Poderia sim ser melhor aceito se as mulheres fossem mais sutis do que os homens na suas relações intimas.” Mais aí, Ô Freud explica aí!, assim tão escarrado…e se apertar, hein, sei não, viu? Entrega o ouro esse becão? Teve outro passador de pano prá dizer q é solidário com as “FEMININAS”, pq ele ñ pode ser com as “FEMINISTAS”, q são um ‘sapatões’ contra a FAMIGLIA, explicando com seu linguajar carregado de tropeço e de maldade travestida, que as mulheres alcançaram uma ascensão social q as coloca num plano superior aos homens. INCRÍVEL o cafajeste brincalhão! Ainda teve a DraLully, meu Deus, esse ñ tem jeito, ñ. Disse de pé junto q ñ é obrigada a gostar de futebol feminino assim como ñ gosta de forróckabily, de buchada de porco e de cuspe a distância…é muita confusão nessas mentes OPACAS, ñ fazem distinção…Mas tb, prá quem mistura DAMARES com PALMARES, socialismo com nazismo e não enxerga no Brasil uma Venezuela TAMANHO FAMÍLIA, dá nisso…

    VIVA O FUTEBOL FEMININO DO CLUBE ATLÉTICO MINEIRO! Gol do Sette! Digo mais, torço prá volta dos ‘especializados’. Boas e Grandes fases do CLUBE ATLÉTICO MINEIRO, na qualidade de um grande CLUBE mundial, além do futebol, se devem aos ESPECIALIZADOS!

    A MEA CULPA SETTE: tem a ver com o embroglio NATHAN. Nathan propriamente é um medíocre CAGUETE, já tá na hora extra por aqui, porém trouxe a tona algo sabido de todos: O plantel atual tem q ser desmontado. Delenda COME QUIETOS derrotados!…Absurdo q beira o inacreditável qq homenagem q possa ser feita ao PERNA DE PAU, o Ogro da lateral direita. MUITA MEDIOCRIDADE!…e eu q achava q a cabeça de burro tava enterrada prá sempre…Alguém é homenageado pelas façanhas, um contributo pelo engrandecimento de uma instituição, uma grande jogada, um efeito..Um come quieto q abusou por longos 10 anos de um contrato muito mal feito (quem é o pai dessa criança?). Ñ tenho nada pessoal contra o PATIFE, ñ durmo debaixo do mesmo teto e ñ divido a mesma mesa nem a mesma religião, nada. Apenas por ter vestido a camisa alvinegra, UMA LÁSTIMA!…
    …Sampaoli deve mirar direto PASTOR PIPOCA, FABÍOLA SANTA, esses dois tem q sair, ninguém aguenta mais essa PILANTRAGEM. Simples. Tão ROUBANDO o nosso Galo! É questão moral! Di Santo e outros tantos, ñ tem bola prá continuar jogando aqui, ñ tem mais o q testar. Nesse tempo de reflexão, a diretoria deve agir e respaldar o Sampaoli nessa BOA AÇÃO nem tão de graça. Respaldo q faltou a Dudamel, embora, comprovou-se, ñ fosse técnico prá dirigir o CAM…e isso ñ tem nada a ver com a localidade onde o cara nasceu, q fique claro. XENOFOBIA é de criminoso rasteiro, ñ tem moral quem faz uso de tais argumentos COVARDES.

    Alexandre Mattos: escolha correta e pt pro SETTE de novo: tem experiência, tem talento de negociante, tem trânsito, tem estrela. Pq ñ? Vai dar certo? Temos q fazer dar certo, e providencia é apoiar o “Adeus à Barca Come Quieto” restante, lotada. Êta timinho ruim q vai dar trabalho prá SER DESMONTADO, viu? Tb, quem quer acabar com essa ‘mamata’?…O principal desafio de AM! Depois, é batalhar árduo prá trazer o caneco prá Sede de Lourdes, se até lá ainda houver Lourdes, se houver Sede, se até lá ainda houver FUTEBOL!

    “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
    Muda-se o ser, muda-se a confiança:
    Todo o mundo é composto de mudança,
    Tomando sempre novas qualidades.” L.V.de Camões.

    Abraços!

    GALO SEMPRE!

    1. Boa tarde,

      Olha ele aí, estava sumido hein!
      Já estava até monótono este blog sem ninguém para comentar os comentários dos outros, e também sem ninguém dono da verdade.
      Agora podemos contar com seus comentários diários novamente ou vai ficar na quarentena esperando o Galo voltar e perder novamente.
      Se sente bem em mexer com as pessoas fique sabendo que fez falta, pois é, acostumamos com tudo mesmo.
      A Lulcy também deveria estar sentindo tanto a sua falta, imagino.
      Fique a vontade.

  9. Bom dia!
    Dudamel é fraco! Fato! Burro teimoso! Fato!
    Porém…
    Esse Nathan foi covarde em falar isso só agora. Pra mim pode mandar essa maçã podre embora!
    Quanto às meninas, que sejam felizes. Pra mim não fazem a menor diferença. Só espero que não apareça mais nenhuma pra tentar desmoralizar nenhum patrimônio do Galo!

  10. Bom dia. Depois de enfadonhos artigos falando sobre futebol feminino, enfim, um tema interessante. Mas nao vou me furtar de dizer que não gosto de futebol feminino (Quem gosta?! É mera politicagem). Mas como o assunto insiste em retornar, resolvi entrar nas páginas do Galo e reler sua história. Digitei CAM no browser, certo de que cairia nas páginas do Glorioso Clube Atletico Mineiro. Não caí. Cai numa página de um tal Centro de Atualização da Mulher. Pensei: caramba, as meninas do Galo entraram agora no ônibus, mas não apenas sentaram nas janelas. Jogaram o motorista porta afora e já têm um site só delas. Claro que estava enganando. É um “trem” esquisito lá do Rio, dedicado a permitir que mulheres possam realizar atividades edificantes como “visitas a museus, fazendas de café, chás…”, e etc e tal. MEU DEUS. O Galo foi criado em 1908 por um grupo de GAROTOS, treinou em cada lugar inimaginável, conquistou o Gelo, tem história para mais de metro, e o domínio CAM pertence a um grupo de mulheres que se reúnem para tomar chá?!?!?! Pelo amor dos meus filhinhos. Não gosto de futebol feminino. E, de minha parte, se as meninas do Galo não querem terminar seus dias sócias do CAM (esse CAM maluco que eu descobri hoje, para minha infelicidade), sugiro que, ao invés de treinarem na Cidade do Galo, comecem sua própria história, lutem, cresçam, vençam e deixem legados, do nada, do zero total, até o infinito. Essa é a história do Galo masculino. Quem duvida que Elas possam?! Eu é que não. Por ora, são só imposição de um feminismo modinha mesmo. Quanto ao Nathan, depois do que disse continua funcionário do clube? Então não é difícil saber quem tem razão nessa história: RAFAEL DUDAMEL, O PÉSSIMO. Não dá para negar que o Roger Machado piorado foi boicotado. E quando um clube consegue perder o domínio do seu nome (digite CAM no browser e morra de vergonha), consegue manter em suas fileiras uma “jogadora” que, em parceria com sua namorada flamenguista desancou o Galo sem dó nem piedade após a brincadeira do Galo Doido, e consegue manter em seu elenco um jogador que fez birrinha porque o almoço foi definido para ser ao meio-dia, horário em que alguns queriam “fazer academia” (leia-se algo como jogar videogame e falar no watts), que futuro há para esse clube, que não a absoluta derrocada? FORA A TURMA DO 7C. TODA. E já. Ah… e NÃO, não vou torcer para o time feminino do Galo enquanto aquela moça estiver lá. Não é por que veste a camisa do CAM que tenho que torcer, não. Há usurpadores usando essa camisa, inclusive para fins polítco-ideológicos. E, para terminar, o que foi aquele texto do “novo Drumond”. O cara, parente de alguém (quem não é?!) vem se superando semana após semana. CADA VEZ PIOR. A continuar assim, não vejo o futuro sorrindo para nós, não.

    1. Puxa, Maurício! Irretocável seu texto! Meus cumprimentos e aplausos!!!
      Como é bom não ser parte da “boiada” e nem politicamente correto!!

      1. Obrigado, de coração. É preciso começar a deixar bem claro, sem qualquer sombra de dúvida que há divergências ao politicamente correto. Nem todos nos rendemos, e muitos de nós jamais se renderão.

  11. Se cuidem Sampaoli e Mattos. Os mesmos conspiradores estão aí, com as mesmas carinhas, gente boa, na frente ñ reclamam de nada, mas, nos bastidores o bicho pega. Por isso LIMPA GERAL JÁ: DE ÉDER A BELMIRO, NÃO PODE POUPAR NINGUÉM. JOGADORES A LISTA É GRANDE: VICTOR, RÉVER, RICARDO OLIVEIRA, ETC..

  12. Dudamel é um lixo, treinador nível Rogerio Micale. Treinador fraquissimo, querendo impor regra de quartel em CT. Um babaca. Isso tudo pra escalar Zé Welison e entregar jogos.
    Estou com o Nathan nessa. Culpado é o presidente, que ficou de quatro pro Ruim Bosta fazer o que quisesse.

    1. Prezado Ávila e demais atleticanos. Que existia algo de podre , com certeza existia. O Natan, como você bem disse, tem que dar os nomes dos atletas que estavam de “saco cheio” com as exigências do dudamel. Se tinha respaldo do presidente do galo, cabe a este vir a público esclarecer, até porque, fica valendo a verdade do dudamel. Olha o que os jogadores da Maria fizeram com o Rogério Ceni. Defenestaram-no sem dó nem piedade. Sampaoli é cobra criada e tem o respaldo da diretoria e dos torcedores do galo. Tirem as maçãs podres para não contaminar todo o pomar!
      Hoje e sempre galo.

  13. Bom dia Massa e Caro Blogueiro

    “Respeito quem não goste, mas em se tratando do Galo, já comemorei futsal e jogo de palitinho em mesa de bar”.

    “Sugiro, mesmo que não aprecie, respeite as meninas que defendem nosso manto sagrado”.

    Desculpe, e sem polemizar, não entendi o que vc quis dizer com “respeite as meninas”, pois não houve nos posts que se posicionaram desinteressados pelo futebol feminino, e me incluo neste posicionamento, nenhum desrespeito para com elas, e isto ficou bem claro no meu comentário e da própria amigalo Lucy.
    Aliás tenho como regra, sempre me colocar com muito repeito, em todos os meus posicionamento contrários às opiniões tanto do blogueiro, quanto de qualquer amigalo deste espaço.
    Ao comentar sua postagem não desmereci o futebol feminino, mas coloquei minha opinião que as entrevistas Dudamel x Nathan mereceriam no momento maior atenção e prioridade, já que se tratava de um assunto polêmico e do carro chefe do clube, o futebol masculino. Prova disto são os questionamentos colocados pelo sr. Aqui no post de hoje.

    1. Não existe qualquer referência a quem quer que seja, apenas uma manifestação genérica, sobretudo em razão de dois comentários preconceituosos e sexistas que foram para a lixeira.
      Creio que em 2020, passando por um momento de turbulência no planeta, não é admissível esse tipo de posicionamento. Quanto às preferências, claro, temos o livre arbitrio das escolhas.
      Eu escolho tudo e qualquer que seja e/ou represente o Galo.
      Fechando, creio que quando superarmos esse momento, muita coisa será diferente. Teremos um novo ordenamento social, político e econômico mundial.
      Seguiremos, nós, Atleticanos!

      1. Esclarecido meu caro, pena que ainda existem pessoas que escolhem a maneira errada de se posicionar . Seguimos em frente sempre pensando no melhor para nosso clube.

        abs

  14. Em relação a Dudamel e Nathan, são “dois zeros à esquerda” (ou à direita, não faz a menor diferença, como exposto de forma escancarada). Em relação ao futebol feminino, deixo registrado o meu respeito, incluindo todos os praticantes e admiradores, assim como respeito jogo e os praticantes de palitinho (ou porrinha), ludo, peteca, tênis de mesa (para mim ainda é o bom e velho ping-pong), cuspe à distância, rouba-bandeira, queimada e totó (ou pebolim), dentre outros.

  15. Bom dia Ávila.Bom dia a todos. Fico com o surrado ditado; há males que vem para o bem. Penso que a presença do Dudamel no Galo deixou um legado importante: nos livramos de dois inúteis: Rui Costa e Marques e com a fala do Natan poderemos desativar a máquina de moer técnicos. Alexandre Matos e Sampaoli tem experiência e coragem moral para ” fazer a limpa que precisamos”. Duvido que o Vitor, Rever, Fabio Santos, Pastor e Cazares tenham êxito em boicote ao Sampaoli. No galo, o maior desafio será do Alexandre Mattos: tirar do elenco os jogadores veteranos acomodados e em fim de carreira e também os desprovidos de competência técnica para jogar futebol: Hernandes, Di Santo, Ze Wellisson, Edinho. Estou confiante pois Patrick, Maidana e Bruninho já sumiram do Galo. É pouco, mas já foi um bom início.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.