Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Não tem comparação

Em resposta a algumas considerações de leitores não-Atleticanos, que não entendem e tampouco concordam que “aqui é SÓ Galo”, aproveito para apresentar números ao seu contraponto. Apesar de terem espaço para deleitarem sobre sua preferência clubística, essa minoria prefere passear pela vida Atleticana. Não sei se é masoquismo ou qual fenômeno que só a psicologia conseguiria explicar.

Um deles, certamente buscando visibilidade ou até mesmo – como me sinalizou uma pessoa conhecida – por ter feito desafio de ver e mostrar aos seus amigos que seu nome sairia nas páginas Atleticanas. Se vale uma caixa de cerveja, o blog paga uma garrafa ao infeliz como prêmio de consolação. Com a intenção de pautar sobre o tema Galo, não satisfeito “AF”, depois de invadir o face pessoal, agora sai de trás da cortina, sonhando com o fim do blog como consequência de sua reclamação.

Aqui é SÓ Galo 02

Antes dos números, uma breve consideração. Não sou blogueiro, estou blogueiro a convite do UAI Superesportes. Não bati à porta da redação pedindo espaço e tampouco tenho de dar satisfação sobre eventual remuneração pela dedicação ao “Canto do Galo”.

Sigamos. A queixa dava conta sobre público do Galo no Campeonato Brasileiro. Ocupei-me em fazer uma breve pesquisa sobre o assunto, no que agradeço ao incauto, uma vez que adoro esse tipo de curiosidade. Dito isso, vejamos.

Ah! Tudo isso a partir de 1971, pois não levo em consideração anos anteriores, que tiveram títulos homologados – via fax – em troca de negociata com a direção da CBF, administração Ricardo Teixeira.

O maior público mineiro em campeonato nacional aconteceu no dia 15 de maio de 1983, quando Galo e Santos se enfrentaram no Mineirão e por lá passaram 113.479 pagantes. Entre os 15 maiores públicos do Campeonato Brasileiro de todos os tempos, o Galo é o único mineiro a aparecer e em duas ocasiões.

BELO HORIZONTE/ MINAS GERAIS / BRASIL 26.04.2015 Atlético x Caldense - no estádio Mineirão - Campeonato Mineiro 2015 - foto: Bruno Cantini
Fotos e imagem: UAI/EM

Antes que queiram sugerir o tanto badalado recorde de público do estádio, quando o time do torcedor reclamante decidiu o título mineiro com o Villa Nova, em 1997, constando no borderô 132.834 pessoas, é preciso esclarecer o seguinte: na verdade, foram 74.857 pagantes. Os demais 57.977 foram lançados como mulheres e crianças com acesso 0800 naquela partida. Basta ver uma foto da arquibancada daquele jogo, onde havia quase um não-pagante por outro pagante, para que a farsa seja comprovada. Sempre correu a boca pequena que houve ordem de rodar a roleta ao vento, o que também explicaria o suposto acesso de 132,8 mil pessoas onde nunca coube mais do que os 123 mil pagantes já registrados.

Vamos adiante. Os três clubes com maiores médias de público por ano são Atlético, Flamengo e Corinthians. Esses dois, como todos sabem, com o apoio incondicional da CBF e da emissora que detém os direitos de transmissão. O Flamengo foi líder de público em 12 oportunidades, o Galo em 10 competições (sem computar 2006, quando lideramos o quesito mesmo na série B) e o Corinthians em nove anos (apesar de superado em 2011 pelo Santa Cruz, que estava na série D). O clube paulista, coincidentemente, tem suas melhores médias a partir da venda das transmissões para a televisão. Coincidentemente?

Fora esses, o time do reclamante em quatro ocasiões; Bahia, por três anos; Fluminense e Internacional, em duas vezes cada; e os outros – Vasco da Gama, São Paulo e Grêmio – com apenas uma. Como melhor média geral, ao longo de todas as competições, o Galo segue à frente entre os mineiros. Da mesma forma em relação à melhor média numa única competição. Neste caso o Flamengo, em 1980, lidera com 66.507 pagantes por partida, seguido pelo Galo, no ano de 1977, com média de 55.664 pagantes por jogo.

Ano a ano, apenas os quatro que interessam (as siglas simbolizam quem faz acordo com a CBF):

Clube Atlético Mineiro: 1971. 1977, 1990, 1991, 1994, 1995, 1996,1997, 1999, 2001

CBFla: 1973, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984,1987, 1989, 1992, 2007, 2008, 2009

CBFiel: 1972, 1976, 1993, 2004, 2005, 2010, 2011, 2012, 2015

CruBF: 1998, 2003, 2013, 2014

Não tem comparação!

41 thoughts to “Não tem comparação”

  1. Boa noite Eduardo, parabéns pelos artigos. Olha eu, meu irmão e falecido pai, fomos 3 deste mais de 113 mil pagantes da semifinal de 83, que vc mencionou, e sabe aonde acompanhamos o jg, precisamente aós 30min de jg ? Em casa, moro a 1km do mineirão, Chegamos no estadio faltando 15min, e foi impossível entrar na arquibancada, tivemos que voltar. Meu pai ficou uma fera por ter pago 3 ingresso e ñ ter conseguido entrar. Eu e meu irmão eramos crianças. Em 1987, contra o Flamengo tinha 107mil pagantes, mas ñ cabia mais ninguém. E vale lembrar que justamente o ano que o GALO foi campeão, 71, não tem dados de públicos. Essa estatísticas que mencionou se refere a 1972 pra cá. E em 2009, o galo liberava com melhor média de publico até a ultima rodada. Mas como ñ tinha mais chances de titulo, levou apenas 7mil ao mineirão sábado a noite debaixo de um temporal. E no domingo o flamengo lotou o maraca, porque disputava e ganhou o titulo, só assim assumiu com média de público. E pra terminar, a massa sempre ficava entre as melhores médias de publico, mais que outros clubes que estavam no auge, e o GALO sem ganhar titulo desde 1997, mesmo assim levava mais que os que tinha conquistados recentemente

  2. Sinal de que o blog é bom e dá inveja no lado azul da lagoa.
    Parabens Eduardo curto demais este espaço.

  3. Sinal que o blog é bom e dá inveja no lado azul da lagoa.
    Parabens pelo espaço Eduardo.

  4. O time perrela acaba de anunciar o MANO como novo treineiro: o mano do Paulo Bento, o Zé Bento……..

  5. Só uma perguntinha a quem, de outras plagas, vem aqui xeretar : quosque tandem, CRUBFilina ablutere patientia nostra ?

  6. Ora, direis, ouvir estrelas ? Certo, perdeste o senso, após o Sport dar descarga no Mineirão

  7. O dito jornalista continua na sua cruzada para derrubar M Oliveira pois sabe q o mesmo é bom ( ele mesmo falou isto antes da final da copa do BR contra o Santos) então tá na cara que o que ele quer é que o Galo fique sem um bom treinador. E para o seu desespero, o time agora começa a entrosar ai ele sem argumentos resolveu disparar a metralhadora contra todos os técnicos brasileiros. Bom segundo ele era D. Aguirre e P Bento !!!!! Chega a ser PATÉTICO! Vamos fazer uma campanha para a volta da censura p/ proibir as matérias deste infeliz, KKKKKKK

  8. Como dizia Alexandre Kalil: “não respondo subalterno!” – é isso aí, Eduardo, não vale a pena dar continuidade à prosas, o negócio é deletar e boa. Não se deve nem cumprimentar gente lá da zona maldita, vai que isso pega.

  9. Com todo respeito, recebi esse texto e, assim como enviei a resposta ao meu amigo, deixarei aqui minha leitura de seu texto: Na minha leitura, o texto do blogueiro falha em: 1 – “Tudo isso a partir de 1971, pois não levo em consideração anos anteriores”. Como historiador fico até ofendido com esse tipo de colocação. O escriba não leva em consideração que, em 1971, o Brasil já havia apresentado a maior seleção nacional de futebol profissional em todos os tempos conquistando o tricampeonato do mundo. Em 1971, o futebol já havia sido assombrado por Garrincha, e o Santos, conquistado bicampeão do mundo por clubes. É claro que como atleticano, o nobre blogueiro não considera que, para orgulho das Minas Gerais, esse mesmo Santos tombou diante do Cruzeiro no Mineirão e no Pacaembu. Desconsiderar a história é um exercício que requer atenção. 2-Como poderei levar em conta um texto que tem como fonte a expressão “correu a boca pequena”? rs. Me ajuda aí! 3- É fácil entender porque o blogueiro simplesmente passa uma caneta nos anos anteriores a 1971. Podemos usar a mesma fonte que ele usou, a Wickpedia, para observar que em 1967 e 1968, as maiores médias no Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o Brasileirão naquela época, foram do Cruzeiro, com o público de 34.038 e 36.942 respectivamente. Vocês ganham, mas na média geral público entre os times ficamos em 5º e o Atlético-MG em 4º, com uma diferença de apenas três mil pessoas. Lembrando que isso é apenas no Campeonato Brasileiro. Não podemos perder de vista que o torcedor do Cruzeiro corriqueiramente precisa dividir a bilheteria entre Brasileirão, Copa do Brasil e os torneios internacionais, como a Libertadores e a Supercopa. Na Libertadores o Cruzeiro é o 6º clube brasileiro com maior média, o Atlético-MG fica bem atrás em 11º. Na Supercopa tivemos a impressionante média de 73 mil torcedores em 1992 e na Copa do Brasil o Cruzeiro teve o maior público nas edições de 1996 e 2000. Volto a repetir, a imprensa mineira tenta esculpir um mito, mas sabemos que ele é de barro. E quando falarem em fidelidade lembre que a maior média de público do Cruzeiro no Brasileirão foi em 1983, ano em que amargamos a 17ª colocação e fomos eliminados na segunda fase colocando mais de 37 mil pagantes por jogo no Mineirão. * Na Wickpedia,Cruzeiro e Atlético aparecem entre os clubes com os maiores públicos da Taça Brasil de 1966 e 1967 respectivamente.

    1. Quanto à contestação apresentada pelo ilustre historiador, faria uma breve réplica adiantando que não darei espaço à réplica, por uma razão básica. Falta de síntese na contestação. Quanto aos itens 1 e 3, que são de certa maneira repetitivos, são duas as razões de mencionar a partir de 1971. Foi o ano do primeiro campeonato brasileiro de futebol. Se fosse para fazer negociata com a CBF, como o senador biônico fez, o Galo pleitearia o título de 1937. Só não sei se seria via fax, como o de 1966.E mais, para voltar a anos anteriores, a rivalidade mineira passaria por Vila Nova, depois América até chegar ao sucessor de Yale/Ypiranga/Palestras. Vale dizer, o Galo sempre esteve na linha de frente.
      Já sobre a segunda reclamação, o nobre historiador – estudioso como demonstra ser (embora tenha usado uma única fonte de pesquisa como relata) – a expressão “a boca pequena” é usual e recorrente quando como no caso se sabe que a fraude daquele público foi notória. Na vossa fonte de pesquisa, talvez tenha fotos da ocasião, onde para autenticar deveria ter uma criança e ou mulher para cada adulto.
      Sem mais, obriGalo pela visita. Percebo que me tornei leitura diária também a muitos não-Atleticanos.

  10. Em 96 no Galo x Portuguesa, na semi- final, uma no antes. Tinha 80 mil pessoas. Fui também na final do Brasileiro de 99, tinha 90 mil. Que nestes jogos sabia que no Mineirão, naquela época, o não caberia 50/40 mil pessoas NUNCA! IMPOSSÍVEL colocar mais 50 mil pessoas no estádio, simplesmente porque com 80/90 mil o torcedor não conseguia nem si mexer. O Mineirão cabia 120 mil quando foi fundado, mas depois disto, passou por várias reformas, que foram diminuindo a capacidade do estádio, todo mundo sabe isso. Só que gostam de se iludir. Acham q são o time do povo, que ganharam um jogando 8 jogos e etc.

  11. Oh! Eduardo, resolveram abandonar ……… será que vai dar certo vestir camisa, acho que não irão conseguir adaptar com outro tipo de roupa. Galoooooo.

  12. Mesmo como Atleticano, sigo alguns blogueiros cruzeirenses para entender o que se passa na cabeça dos sofredores do outro lado da lagoa, mas isso não me da o direito de passar dos limites. Que esses malas Z4 não frequentem este espaço de quem só vê coisa boa pela frente.

  13. Gosto muito deste blog justamente por ser só da massa. Outros blogs por aí ficam num blablablá de tamanha falta de respeito e sem fundamento. Mais torcedores rivais que os realmente interessados.

  14. Só pra refrescar a cabeça do time dos m . . . , Sabemos que a maior torcida aqui é do Atlético, não fui eu que disse, longe de mim, foi o Tinocão da Massa; Tivemos que comprar o juiz pra ganhar e mesmo asssim perdemos, não fui eu que disse, longe de mim, foi o Benecysão da Massa; Já tô cansado de jogar nesse time de m . . ., não fui eu que disse, longe de mim, foi o Riascão da Massa. Eduardo de Ávila, tem necessidade de falar mais alguma coisa . . . do outro lado da enseada das garças . . .

  15. Prezados, alguém me conta o motivo pelo qual o Jornalista ataca tanto o M. Oliveira e o Galo?? Ontem eu vi todos os programas de esportes e todos jornalistas, disseram que o Galo, jogou muito bem(dentro de sua proposta de jogo) e anulou o Palmeiras. Hoje, vejo esse jornalista dizer que o Galo, foi mal. Além de atacar o M.O. Disse inclusive, que o Presidente não está satisfeito, com o time(quis dizer com o treinador). Do outro lado, após a derrota do time azul, para o fluminense, vi a seguinte manchete em sua coluna: “…O Cruzeiro, vai brigar pelo título…” e inúmeros elogios ao P. Bento… Que o cara é cruzeirense eu acredito que seja… Mas se diz imparcial…Mas então, por qual motivo atacar tanto o Galo, a torcida( a poucos dias chamou a torcida de iludida) e o M.O? Vc’s de BH, devem saber os motivos…??

    1. E o pior, amigo, é que esse mesmo jornalista escreveu, quando o Atlético trouxe o Fred, que a grande fase dele tinha passado. Que Cazares não jogava essa bola toda não, pois era muito irregular. Que Luan era um jogador comum. Que Pratto é um centroavante que não faz gol, dentre outras pérolas. Agora, como que por encanto, esse mesmo jornalista escreve que o Galo tem a obrigação de ganhar o título porque “tem o melhor elenco do país” . Como odeia o Galo, há pouco tempo atrás quis criar uma intriga no Atlético dizendo que os jogadores estavam fazendo corpo mole porque Fred e Robinho ganhavam altos salários. Foi desmentido pelo presidente do clube. Agora, como você afirmou, quer criar nova intriga, dessa vez entre Marcelo Oliveira e o Daniel Nepomuceno. Tem a sem cerimônia de dizer que todos os treinadores brasileiros (exceto aqueles de quem se acha amigo) são enganadores. Teve a falta de ética profissional de dizer que outros comentaristas esportivos faziam suas análises vestindo a camisa do Atlético por baixo (como se ele não vestisse a dele!). Em suma: só escreve mentiras, só tenta fazer intriga com o Galo e só “analisa” os fatos de acordo com a maior ou menor empatia que tem com clubes, dirigentes, treinadores e atletas, sempre puxando o saco, sem a menor cerimônia, para o time do outro lado da Lagoa e para quem ele diz gostar. Vai ver que é por isso que não aceita comentários dos leitores quanto às insanidades que ele escreve.

      1. DOLAR ARX e Marcelo, vocês falaram tudo. Há muito tempo também estava engasgado com isso. A parcialidade do “Jornalista” é uma coisa que salta os olhos. Mas não bastasse isso, tenta de todas as formas criar instabilidades e intrigas no ambiente do Galo, e isso é o que mais me irrita. Sempre com aquele papinho de “tenho informações”, sem nunca dar nome aos bois, tentando jogar jogadores, dirigentes e comissão técnica uns contra os outros. Se utiliza da profissão para satisfazer suas paixões pessoais de forma canalha e desonesta!

  16. Prezado,
    Sem dúvida, a torcida do galo é a mais apaixonada deste país. Mesmo em momentos críticos, nunca deixou de apoiar incondicionalmente seu clube. Os números são claros quanto a isso.
    Parabéns por mostra de forma tão coerente o que todos nós já sabemos: pode até não ser a maior, mas é a melhor torcida do Brasil.

  17. Curioso, Eduardo. Depois de 2001 o A. Mineiro deixou de disputar a competição? Porque não aparece liderando em nada.

  18. Eduardo, a ordem de “rolar a roleta ao vento” teria partido da mesma pessoa que mandou “apagar os refletores” do Independência naquele jogo duríssimo pela Libertadores?

    1. Não, no nosso caso o dirigente coloca seu nome a mostra e não na garupa de outros pra se tornar senador biônico.

  19. Se não me engano, o maior público pagante fora os jogos oficiais são de uma partida amistosa entre Atlético e Flamengo em 1980 com cerca de 116 mil pagantes. O placar foi 2×1 para o Galo.

  20. Sem falar que, no caso do CruBF, nos 4 torneios em questao, a agremiacao terminou o campeonato entre as 2 primeiras colocoes, ou seja, so com essa motivacao que atingiram os recordes de publicos…

  21. Esse espaço pelo jeito cabe tudo que esse barbudo quer escrever. Quanta mentira? pode falar seu falastrão! seu time não é nem metade do que somos, se não vejamos: quanta vezes vocês foram Campeões Brasileiro? Quanta Copas do Brasil, vocês ganharam, Quantas Libertadores? sem falar de outras conquistas que vocês nem tem. Aliás, até três anos atrás não conheciam nem a América do Sul, Ganharam uma libertadores porque quando seu Presidente viu que perderia o jogo para newell’s old boy da Argentina, mandou desligar a luz do Independência. O seu galo não era conhecido do outro lado da fronteira, um time sem expressão continental, fora que é bem mais velho do que o Grande time existente em Minas que é o Cruzeiro E. Clube.
    Aliás, parem de falar do Cruzeiro, vocês Atleticanos tem uma sede pra falar do Cruzeiro, Sua turma de Cornos Mansos.

    1. Outro com aqueles numerais, 2 Libertadores e 4 brasileiros. Nós só temos 1 Libertadores e 3 intercontinentais. Portanto, normal 2 e 4 com 1 e 3, formando 24 e 13 e Galo é 13.

    2. Recibo passado + uppercut – na ponta do queixo do nervosinho – acusado com sucesso , DETECTED !!!!!!!!!!!!

    3. a mierda …….mulambo … … torcidinha sem expressão …Z4 … time cheio de taça e sem respeito no cenário nacional …time de mierda mesmo …o ….. nos seus jogos já está as moscas …imagine se virar o turno com 15 pontinhos ai é que não irão mesmo… seu cometário é tipico de menino de 12 anos de idade …vc deve ser ……………………… viu ..não viu o espaço aqui não ?? AQUI SÒ GALO MARIA !!

    4. Realmente Sr, Sebastião,falar de merda é meio complicado né.Só que vocês ganharam algo enquanto os Perrelas tinham vez e voz lá em brasilia,Cadê eles agora ?O que nós temo é pouco mas é sagrado

  22. Realmente,Eduardo, contra fatos e números, não há argumento! O resto é o mimimi das minorias!

  23. Uashuauauauauauau, ainda tem …. que vem aqui encher o saco???? Não se cansam de tomar traulitada na cara toda vez????? Melhor se preocuparem com o ameriquinha que já, já, vai dar seta pedindo passagem!!!!

  24. Sugiro que você não perca tempo com treme-treme, pois elas precisam pegar elevador prá falar conosco hoje e se não abrirem os olhos esse ano cai mesmo, visto que não iremos ajudar dessa vez. Um abraço e …. aqui é GALO p…!

    1. Caro Lima, só se fala do Galo, não li o nome que vc mencionou acima. Ah! Em resposta a um indignado que queria me pautar.

  25. O Eduardo deixa pra lá, hoje estão vendo que a soberba é uma merdia. Agora uma pergunta Eduardo porque um colega seu de profissão …………………………………… sempre questionando o MO será que o MO não faz parte da panelinha vide Luxa?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.