Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Na Inglaterra uma antiga promessa Atleticana

Aproveitando esse período sem jogos, vou trazer para o Atleticano do início dos anos 90 “por onde anda” o quarto zagueiro Paulo Sérgio.

Formado nas categorias de base, aquele garoto nascido em Confins era aguardado como o sucessor do Luizinho. Subiu para o profissional em 1989 e ficou no Galo até 1994. Teve passagens pelo XV de Jaú e Paranaense, até se transferir para o Anápolis.

De lá segui para Portugal, em 1996, tendo atuado em equipes desconhecidas do torcedor brasileiro. Paulo Sérgio jogou no Leça, Farense, Varzim, Desportivo Alves e Louletano. Seu último ano como jogador foi em 2004.

Aqui no Galo, quando foi lançado (1989) ganhou todos os prêmios, desde Bola de Prata e Troféu Guará – neste caso – como quarto zagueiro e revelação. Fez 72 jogos pelo Galo e marcou dois gols.

Paulo Sérgio, que hoje reside em Newbury – cidade no entorno de Londres, na Inglaterra – é pastor da Igreja Presbiteriana Renovada. Casado com a mineira Elaine tem um casal de filhos. Beatriz e Gabriel. Seus filhos nasceram em Portugal.

Numa prosa com o blogüeiro, através das redes sociais, o ex-zagueiro contou que sente muita honra e orgulho em ter defendido o nosso time.

É algo que não sai de dentro da gente. Sinto como se tivesse uma tatuagem do Galo na palma da mão. Está sempre visível, basta olhar, apesar de ter saído de Belo Horizonte tem 25 anos”.

Fiquei, particularmente, muito feliz com esse reencontro, que aconteceu através de uma cunhada dele. Robertinha é minha companheira lá na “Arena do Espeto” antes dos jogos do Galo no Horto e é irmã da Elaine.

Quando ela me disse isso, imediatamente, solicitei o contado. Lembro perfeitamente da estreia e atuações dele no time Atleticano. Ao se despedir ainda emendou: “Nós saímos do Galo, mas o Galo não sai da gente”, confirmando a teoria do Cuca.

Sucesso aí no velho mundo, caro!

Na primeira foto, ele com a família. Esposa e filhos. Já na foto com o time, Paulo Sérgio é o quarto em pé, antes de Eder Lopes e Paulo Roberto.

De volta ao Galo de 2020, ao que parece, o novo diretor de futebol está mesmo empenhado em definir o elenco para buscar melhor desempenho que os tempos recentes.

Patric, contestado, acabou retornando ao Sport. Que tenha toda sorte no time pernambucano, onde, seguramente viveu seu melhor momento como jogador.

Aqui, entre os remanescentes, ainda existe lugar para sete ou oito que podem procurar melhor sorte noutras praças.

Pode até ser por aqui mesmo, afinal, Minas tem dois times na série B, dois na C e três vagas na D. Quem sabe algum clube se interesse por jogador que não está à altura da série A.

*fotos de arquivo pessoal

9 thoughts to “Na Inglaterra uma antiga promessa Atleticana”

  1. Boa noite, Eduardo.
    Nenhum comentário até agora?
    Onde estão os AmiGalos?
    Todo mundo confinado e sem tempo, vê se pode.

    Amanhá tem mais. Um abraço.

  2. Paulo Sergio era muito bom jogador! Qdo Luisinho foi vendido ao Sporting, no final do Mineiro de 89, Paulo assumiu a camisa 3. Sim, a 3. Pros mais novos, até 1993, o lateral direito do Galo usava a 4, e os zagueiros, a 2 e 3. Isso foi mudado na época da famigerada Selegalo, em 94. PS ganhou a bola de prata naquele ano e formou zaga com Batista, depois perdeu espaço pra jogadores que vieram se fora, como Toninho Carlos e Fernando, e pra outros formados na base, como Ryuler e Tobias. Boa lembrança, Eduardo, há tempos eu não sabia o paradeiro do ex jogador. SAN

  3. Bom dia,

    Em falando de jogadores que passaram pelo Galo e dizem ter ficado marcados, esta semana li uma reportagem onde o jogador do Manchester United (FRED) diz que tem a vontade de jogar no Atlético que é o seu time do coração.
    Quem é Atleticano sabe como se deu sua saída do Galo, então o que eu posso dizer sobre este assunto é que ambos os envolvidos estão hoje no lugar que merecem, ele no Manchester e o Assis na cadeia.
    Se o futebol fosse um pouco mais sério o Assis já deveria estar na cadeia desde a época que assediou o jogador, de menor e do Galo antes dele assinar o contrato de jogador profissional e o levou para o Internacional, em troca de uma casa no sul para sua família.
    Um pouco antes da época (2012) que foi preso por sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.
    Sou sincero em disser que tive restrições do Ronaldinho no Galo justamente por saber que esse canalha estaria vire e mexe dentro do clube, onde nunca deveria voltar.
    Pelo menos seu irmão deu ao Galo muito mais do que ele tirou, sinto infelizmente que hoje está colhendo o resultado pelo fato de deixar um criminoso tomar conta da sua carreira.
    Este fato juntamente com a equipe de assediadores montada pelo São Paulo futebol clube que se especializou em dar chapéu nos outros clubes do Brasil, neste caso a vítima preferida foi o Goiás (Josué, Grafite, André Dias e Danilo), são talvez o motivo deste “mal” inserido no nosso futebol, que são os tais contratos longos com multas rescisórias caras, onde salários tem que ser altos para as multas serem proporcionais.
    O dia do aniversário do nosso Galo foi um excelente termômetro para a constatação desde fato que no Galo entre como jogador e sai como torcedor.
    Foram muitos eis atletas que vestiram esse manto e não deixaram esta data passar em branco.
    Bom domingo a todos!

  4. Bom dia!
    Há uma matéria da ESPN dizendo que Sampaoli deu uma lista de jogadores que a diretoria pode negociar. Di Santo e Cazares estão nessa lista. Ricardo Oliveira, não. Se Sampaoli ainda acredita em milagre desse pastor, eu não. Mas estou acreditando no argentino treinador.

  5. Bom dia Massa e Guru

    Pois é a operação faxina continua no galo e novos capítulos virão, principalmente agora que temos um técnico com culhão para botar os caras pra fora, pois antes só tínhamos pau mandado entregadores de camisas.
    Mas o que é mais escandaloso é a quantidade de jogadores medíocres trazidos principalmente na gestão Alexandre Tadeu. Como este cara fez mal ao clube! Deveria ser considerado “Persona non grata”.
    Ai vem a famosa frase do saudoso Profexô (Vanderlei Luxemburgo) “ O problema de ter um jogador ruim na equipe é que um dia você terá de usá-lo”, no nosso caso utilizamos muitos, e só por isto conhecemos o fundo do poço em termos de resultados ultimamente.
    Mas há casos que beiram o absurdo. Muito se fala em lista de dispensa e invariavelmente as opiniões são quase unânimes, mas tem um jogador que nunca aparece e que está no clube acredito há uns 5 anos passando desapercebido por todos. O famoso Mansur, lateral esquerdo medíocre, que já foi emprestado milhões de vez, mas igual a um boomerang sempre teima em voltar. Quem trouxe este jogador? Quanto tempo de contrato ele teve? Quando acaba? Quem é seu protetor?
    Se alguém ai tiver estas informações mande para o sr. Jorge Sampaoli por favor!!!!

    1. Boa noite JBHGALO, saudações.
      Então! Quem trouxe o Joéliton Lima Santos_vulgo Mansur_ ao CAM foi o Nepomuceno e o falecido Eduardo Maluf. Veio por empréstimo, não vingou,foi comprado mesmo assim e ainda eve o contrato prorrogado com o Clube até dezembro de 2020.
      SAN

  6. Bom dia Eduardo, Lucy, atleticanos e atleticanas,
    domingo sem Galo é dose!!!!!!
    Há mais de trinta anos passo carnaval em Olinda!!! Tenho muitos amigos e amigas em Pernambuco, amo aquela terra e aquela gente… Além do carnaval vou também em outras épocas.. Conheço muitos torcedores do Sport, do Náutico e do Santa Cruz… Fui várias vezes assistir jogos na Ilha, no Arruda e nos Aflitos.. Tudo é pra dizer, sem medo de errar, que pouca gente da torcida do Sport queria Patric lá… Jogou lá o mesmo que jogou aqui, nada!!! Sempre em tom de brincadeira caiam no meu pé por termos mando esse pereba pra lá… Lembrando que ele também foi emprestado ao Náutico….
    Quanto a honrar a camisa, respeitar o time e a torcida, mostrar raça, empenho, disciplina, deveria ser obrigação e não opcional, Em uma empresa você tem que ter tudo isso e ter desempenho se não tiver, rua!!!!
    Parece que o atleticano se acostumou com descompromissados, desinteressados, com jogadores que desrespeitam o clube e a torcida, que qualquer um, qualquer um mesmo como é o caso do Patric, que não se comporte assim chega até a ser idolatrado. Talvez por isso a nossa seca de títulos importantes….
    Temos que ser mais profissionais na hora de avaliar jogadores para manter no elenco ..
    Esse jogador enganou aqui por 9 ANOS sem nunca contribuir pra nada!!!! Emprestado para SEIS equipes, todas da prateleira debaixo do futebol e nem assim se firmou em nenhuma delas!!!! Os números dele falam por si… Sempre critiquei o jogador, o profissional, pois não o conheço para falar qualquer coisa sobre ele como pessoa…
    Bem, essa é a minha opinião, respeito que pense contrário, mas de minha parte estou muito feliz com a saída dele e com certeza nunca irei sentir a sua falta…
    Um ótimo domingo a todos

  7. “Pode até ser por aqui mesmo, afinal, Minas tem dois times na série B, dois na C e três vagas na D. Quem sabe algum clube se interesse por jogador que não está à altura da série A.”

    O problema é fazer o jogador deixar o Galo, se interessando por um time que não está a altura da série A. E que provavelmente não está pagando, e com grandes chances de quebrar ainda em 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.