Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Luan simboliza a raça e a garra Atleticanas

Nos primeiros dias de abril, ainda sonhando com melhor sorte tanto no Campeonato Mineiro quanto da Copa Libertadores, o Galo vivia o drama do afastamento sine die do jogador Luan. Os médicos do clube se reuniram durante dias, até que – silenciosamente – acompanharam o jogador para um exame e orientação nos Estados Unidos. Os Torcedores, que têm no “menino maluquinho” o seu “talismã”, buscavam informações, sempre incompletas, sobre o jogador e temiam pela sorte do time nas duas competições.

Perdemos ambas. O Mineiro, para o América, e a vaga nas semifinais da Libertadores, para o fraco São Paulo, que dias depois deu o vexame de ser eliminado, após derrota dentro do Morumbi para o Atlético Nacional da Colômbia. Luan fez muita falta nas duas decisões. Em princípio, as especulações – nada otimistas – davam a carreira do ídolo da massa como encerrada. Alguns tentavam manter o otimismo e admitiam que ele poderia ficar afastado dos gramados por oito meses, ou seja, só voltaria em 2017.

Luan treino 26-07-16-A

Se o grave problema no joelho direito do jogador, agravado por uma lesão no menisco lateral e na cartilagem, passou a ser o tormento do Atleticano, imagino como tenha sido para ele e sua família. E foi na segunda quinzena daquele mês de abril, que, depois de muita conversa e avaliações, foi feito o procedimento cirúrgico, denominado artroscopia e – otimista e emocionado – Luan agradeceu ao Torcedor pelas orações e energias enviadas, manifestando sua certeza de que voltaria a jogar futebol.

Quase quatro meses depois, para surpresa de todos – até dos médicos – o “menino maluquinho” foi relançado pelo treinador Marcelo Oliveira e encheu os olhos do Torcedor. Não houve uma única manifestação identificada que não fosse de elogio e comemoração pelo seu retorno. Não bastasse a disposição que demonstrou nos instantes que esteve em campo, ao final o Atleticano ainda pôde se deliciar com o emocionante vídeo de sua filha – Lara – vendo o pai jogar pela TV.

Sua presença em campo e esses fatores contribuem, significativamente, para a recuperação da auto-estima do Torcedor. A vitória sobre o líder Palmeiras, a consequente diminuição da distância para o primeiro lugar e o fato de o time ter colado no G4, tudo isso aliado ao espírito guerreiro do Atleticano, tão bem simbolizado no jogador Luan, devolvem a esperança de recuperação do clube na competição.

Luan retorno Palmeiras 24-07-16
Fotos: Bruno Cantini/Atlético

Desde sua chegada ao Galo, no início de 2013, Luan caiu nas graças e no gosto da Torcida do Galo. Inicialmente, o camisa 27 era o décimo-segundo jogador, tendo sido fundamental para as conquistas da Copa Libertadores de 2013 e da Copa do Brasil de 2014. Foi dele o gol de empate com o Tijuana, aos 46 minutos do segundo tempo na partida de ida, que assegurou a classificação com o novo empate naquela defesa da penalidade pelo Victor.

Foi Luan também autor do quarto gol que despachou o Flamengo nas semifinais da Copa do Brasil. O menino maluquinho marcou também no mundial, ou seja, ele marcou gol num torneio onde tem time que nunca comemorou uma bola na rede. Ao lado de Victor, Ronaldinho, Bernard, Jô, Tardelli e todo o time campeão das Américas de 2013, está imortalizado pelo Atleticano.

Agora, a massa festeja o retorno aos gramados de quem estava desacreditado e até mesmo desenganado para jogar bola por alguns. Bem-re-vindo Luan!

 

9 thoughts to “Luan simboliza a raça e a garra Atleticanas”

  1. Parabéns Luan ! Muita saúde e realizações . Você merece muito . Desejamos que você fique conosco. Você nasceu atleticano e não sabia!

  2. Como eu gosto desse menino ! o luan é desses jogadores que sempre serão imprescindíveis aos times emquanto a paixão existir no futebol. Como é bom tê-lo de volta, vê-lo com a camisa do noso Galo !
    Ele é tão identificado com o clube e a torcida que nos sentimos dentro de campo quando ele joga . A sua presença me faz acreditar ainda mais que algo de muito bom está reservado para nós.
    E ,vale ressaltar, o Luan de ixou de ser um talismã para ser um grande jogador da fato graças ao Levir Culpi.

  3. Como disse o Eduardo, “Bem re-vindo Luan”. É isto aí, que todos nos desejamos ao nosso Luan. Parabéns cara, você merece. Eu tive a honra de ter um autógrafo na camisa na reinauguração da Loja do Galo na sede. Fiz questão de ir lá e comprar a minha camisa e de meu filho, todas autografadas por nosso menino maluquinho.
    Luan parabéns a sua família e em especial a pequenina Lara, que coisa linda, maravilhosa. Me lembra muito a minha neta (Laís) de 1 ano e 9 meses, como ela vibra com nosso GALÃO.

  4. Esse Luan tem meu respeito, guerreiro demais, raçudo, símbolo do nosso Galão da Massa. Bom retorno menino maluquinho, que venham muitos títulos pela frente….VAMOS GALO…..

  5. O galo com seu elenco completo e fácil de ser escalado, MO não inventar e escalar os melhores.
    Luan de volta teremos mais equlibrio em armar o lado direito, ele pode também fazer armação centralizada, teremos mai força e controle do jogo. O galo agora iniciou o campeonato rumo ao G4 e a nossa 5 liberta consecutiva. Não basta somente acreditar e sim haver melhor futebol.

  6. O título do post é a síntese de tudo que pode ser dito sobre Luan, acrescentaria apenas seu carisma e total identificação com nosso Galo. Luan é Galo de nascença! De alma! Feliz o time que tem um jogador desses. Cada vez mais raro! Muitíssimo bem-re-vindo, Menino Maluquinho!

  7. Luan, incorporou o Espírito Atleticano, tendo como combustível, a paixão da massa, que contagia, fornecida pelo grito de apoio. Que mais jogadores o tenha como exemplo, assim como foram também Dario, Reinaldo, Ronaldinho, Tardelli, e outros craques….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.