Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Emoção com a CarioGalo

Conforme já relatei aqui, viajei até o Rio de Janeiro com a intenção exclusiva de acompanhar uma partida do Galo com os Torcedores na Lapa. Sempre que via e ouvia relatos, pelo Facebook, Whatsapp, outras redes sociais e até mesmo pessoais, confesso que me deixava afetar por este desejo. Todynho, André Tijuca (ontem foi até motivo de post aqui no blog), Keilla, Cris, Elaine, Tânia e tantos outros sempre registraram como era fantástico estar ao lado de Atleticanos em plena capital carioca durante os jogos.

Daí, como a partida foi fora de Belo Horizonte, aproveitei para matar a curiosidade e desejo. Não imaginava o quanto é empolgante estar no Bar do Augusto, no coração da Lapa. Lotado de Atleticanos com camisas oficiais ou não, parecia as arquibancadas do Horto. Pura pressão no adversário. A cada close da TV sobre a torcida adversária ou algo que não agradasse, era uma tremenda vaia. E as músicas cantadas no estádio dominaram o som ambiente, restando apenas a imagem das TVs colocadas na parte interna e externa do estabelecimento.

IMG-20161027-WA0039

Exatamente igual acontece no estádio, a cada gol que era anunciado em determinada partida de Belo Horizonte, a galera festejava o provável adversário das finais. A entrada do Luan em campo, tal como no estádio, incendiou os amigos da CarioGalo. Victor foi cantado várias vezes, “o melhor goleiro do Brasil”, a cada defesa arrojada.

Enfim, foi uma experiência diferente. Pretendo voltar aqui em situação similar à de ontem, até porque – embora rejeite esse tipo de afirmação – o local foi “pé quente” para o blogueiro e consequentemente para o Galo. Recomendo que o Atleticano, em trânsito pelo Rio de Janeiro, em dias de jogos, não deixe de ir encontrar com essa turma. Foi quase uma centena de Atleticanos. Nem todos mineiros. Tem carioca e até inglês (isso mesmo e nascido em Londres) no meio da massa.

Sem contar com a presença da beleza da mulher Atleticana, belo-horizontinas, mineiras do interior e outras que aderiram a essa nossa inigualável paixão. Tô sentindo que este ano de 2016 será coroado com conquistas.

17 comentários em “Emoção com a CarioGalo

  1. Um grande abraço para essa turma da CarioGalo. Se o Atlético chegar a última rodada do brasileirão com chances de título ( e eu acredito piamente que vai ) , eu estarei lá com essa turma maravilhosa que ,mesmo sem eu conhecer pessoalmente , já me considero parte dela .
    A Vamos preparar com calma a grande festa da vitória e a tomada da Lapa, esse local tão típico da boemia carioca por parte dos mineiros . A minha intuição de torcedor não costuma falhar ; Galo campeão !

  2. Para ser campeão dessa CB, o Galo vai precisar se organizar defensivamente. Todo jogo nós cedemos inúmeras oportunidades claras de gol para os adversários. Bola alçada na área então, virou um Deus nos acuda. A marcação do Galo é muito frouxa sim, cerca muito e desarma pouco. Vamos passar pelo Inter e provavelmente nosso adversário será o Grêmio, time muito organizado taticamente e com contra ataque perigosíssimo. Estratégia de jogo e organização defensiva serão ESSENCIAIS para a nossa conquista. E também um pouco de sorte, pois acho que o sorteio de mandos de campo poderá influenciar demais em quem ficará com o título.

  3. Parabéns ao CarioGalo, eu que sou Atleticano há mais de 50 anos moro em V.Redonda/RJ, qualquer hora apareço por aí.
    Estive há menos de 1 mês em Recife e no hotel que fiquei, eu com o nosso manto no corpo, a gerente que é de lá me disse ser Atleticana e sempre os amigos Atleticanos se reúnem no restaurante do hotel para assistir os jogos do GALO. Muito bacana.
    Sobre o Marcelo, o problema não é ele e sim o DM/Preparação física/Fisiologia. Não pode um time como o nosso GALO ter tantos jogadores com problemas de contusão. É inadmissível para pela grandeza do nosso time de coração.

  4. Eduardo, todos nós da Cariogalo ficamos honrados com sua presença. Fiquei realmente admirada com sua simpatia, atenção e humildade. Parabéns por espalhar a atleticanidade de forma tão bonita.
    Apareça mais vezes!!!

  5. Assistir a um jogo do Galo, no Rio, em companhia de atleticanas tão lindas e ainda mais com um vitória não tem preço…. Quando eu for ao Rio de o maior de Minas estiver jogando com certeza irei ao nosso reduto na capital fluminense..

  6. Marcelo Oliveira precisa ser mais respeitado. Está prestes a disputar sua QUINTA final de Copa do Brasil. Isso não é pouco!
    Grande parte da torcida resolveu criticá-lo arduamente, independente do resultado das partidas. Quando o time perde a culpa é exclusiva do técnico e quando ganha é por causa das “individualidades” dos jogadores. Vamos ter um pouquinho mais de massa cinzenta, minha gente. As tais individualidades só aparecem quando o time está bem posicionado taticamente e quando cada jogador é escalado onde pode render mais, consequentemente “aparecendo” para o jogo. Isso é mérito do treinador, não é apenas sorte.
    Inúmeras vezes vimos times repletos de grandes craques naufragarem, seja por falta de pulso do comandante ou por falta de motivação dos atletas. Não vejo nenhuma das duas situações acontecendo no Galo atualmente.

    Portanto, gostaria de propor uma trégua aos críticos ferrenhos do Marcelo. Ele tem suas limitações, como todo ser humano, mas tem muito mérito nos resultados que conquistou até hoje. Um técnico fraco não conquista os números e os títulos que ele tem.
    Já passaram por aqui Luxemburgo, Dorival, Levir Culpi, Cuca, Paulo Autuori, Parreira, dentre outros. Todos eles foram criticados enquanto estavam no cargo e, logo após saírem, foram exaltados como gênios do futebol. Não podemos ser tão ingênuos repetindo o mesmo erro com o Marcelo.
    Estamos em duas frentes, a hora é de apoiar e jogar junto, pois muita água ainda vai rolar…
    Avante, Galo!!

  7. Pô Dudu , atrapalhastes a foto ,caro ! Brincadeirinha hein ?! rsrsrs ..ainda vou acompanhar um jogo do GALO ao lado da @cariogalo ,mas vou messsss … SAN

  8. Só vou deixar um comentário ,se querem torcer pra time que ganha jogos e não títulos, mudem de time pois a história agora é outra jogamos pra ganhar títulos, simples assim, valeu GALO E vamo que vamos apesar dos modinhas. Eu acredito.

  9. Amigo Eduardo, com todo respeito que elas merecem: Isso é que estar em boa companhia! E se me permitem vou deixar um trecho de um dos meus poemas:

    “Espalhados pelo mundo, um Brasil de Atleticanos.

    A torcida de raça e qualidade,
    Sabemos não é a maior,
    Transmitindo nos cantos a solidariedade,
    E a certeza de ser a melhor.”

  10. Show! Muito bom, Eduardo Ávila. Embora vc rejeite este tipo de afirmação eu sou um dos crentes nestas superstições. Moro aqui no Rio e frequento a Cariogalo. Fui no ano passado ao jogo contra o Inter na Libertadores no Beira Rio. Tava me armando (filho com a sogra, esposa comunicada, etc…) para ir assistir com o pessoal, quando soube da sua presença…
    Não tive dúvidas. Vc estava na arquibancada do Beira Rio logo atrás de onde fiquei. Pensei e decidi. Hoje precisamos ganhar. Vou ver em casa e deixar a resenha com o Ávila para outra oportunidade. Deu certo!
    Tamo junto! Galo sempre!

  11. Boa tarde, Eduardo!
    Esta foto sua me lembrou uma outra de um grande ídolo nosso, Ronaldinho Gaucho… Vocês dois nada têm de bobo…
    Amigos Atleticanos, preciso fazer uma consideração a partir do que ouvi nesta manhã assistindo a um debate esportivo na tv: a certa altura o jornalista Paulo Cesar Vasconcelos afirmou que, guardadas as devidas proporções, o Marcelo Oliveira deveria prestar atenção ao que fez Zagalo na Copa de 70… Muitos dizem que o Zagalo não teve méritos naquela conquista, que com tantos craques, qualquer técnico seria igualmente campeão… Grande engano. Zagalo teve o imenso mérito de tecer aquele time de forma criativa, utilizando todos os geniais de que dispunha… A Seleção tinha dois volantes impecáveis, Piazza e Clodoaldo; dois armadores cerebrais, Gérson e Rivelino e dois camisas 10 fabulosos (Jairzinho era o dez do Botafogo)… Pois bem, o que fez Zagalo, que João Saldanha não tinha feito?… Arranjou lugar pra todos estes imensos: Piazza foi pra zaga, Rivelino pra ponta esquerda, Jair pra direita. E deu no que deu… O que o PC Vasconcelos disse e eu fiquei considerando longamente foi que o MO, guardadas as devidas proporções, poderia muito bem repensar o Galo da seguinte forma: Otero ganhou a posição por seus méritos, Casares idem idem idem… Robinho e Casares têm que estar juntos o máximo de tempo possível, mesmo não sabendo marcar… Luan por sua vez ajuda como ninguém na recomposição… Meio campo com Urso e General, sobrarem Fred, Pratto e Carioca… Q tal Carioca pensado como um eventual zagueiro, substituto de Erazo ou Gabriel qdo for necessário? Ele sentadinho no banco, pronto pra entrar no meio se for preciso… Na CP Pratto como opção, no Brasileiro, Fred… O time ganha Otero e Luan como lutares, liberando Robinho e Casares pra fazerem hora com os adversários…
    Heim, Marcelo?

  12. Foi mais uma bela reunião de atleticanos, abrilhantada com sua presença. Que bom que gostou! Se considere sempre convidado a vir espalhar atleticanidade pelo Rio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*