Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Clima favorável ao Galo em Curitiba

Para os curitibanos, os 19 graus de ontem à noite podem ser considerados calor. Aqui, com noites mais frescas e dias muito quentes, diria que é uma temperatura bem amena. Agradável, na verdade. O ambiente entre membros da Galotiba, impedidos de irem aos jogos pela pandemia, é de muito otimismo.

Com o elenco chegando ao hotel da capital paranaense, dois Atleticanos recepcionaram os jogadores. Para hoje, ao que soube, prometem levar um grupo para incentivar na busca de mais três pontos na tabela de classificação.

Nossa amiga Marceli Cordeiro (curitibana que nunca morou em BH e Galo Doido de coração), esteve na chegada do time. Além dessa foto com “São Victor” (ela só diz assim), registrou a descida de vários atletas do Galo em solo paranaense. Ela, tempos atrás, nos brindou com um belo texto sobre sua Atleticanidade.

Ao me enviar a foto, pedida pelo blogüeiro para registro, contou que se emocionou ao ver nosso treinador. “Fiquei muito emocionada. Quando vi o Sampaoli descendo do ônibus eu comecei a chorar, nem conseguia tirar foto e nada. Quando o Victor desceu eu gritei e ele tirou essa fotinho comigo. Meu Deus, que emoção! Daí eu falei ‘meu santo’. Depois também o Guga, que foi bem simpático”.

Sinto que o ambiente é favorável. Digo isso, considerando a temperatura de Curitiba, a motivação da Galotiba e a boa energia e confiança generalizada em meio a Massa. Até os críticos de sempre e aqueles que vinham demonstrando apreensão com o esse jeito meio louco do Sampaoli – insisto no “Maluco Beleza” – começam a arrefecer suas considerações.

Da minha parte, nas primeiras partidas, era uma alteração da pressão arterial a cada anúncio da escalação. Agora, adaptado e gostando do trabalho do argentino, opto por esperar o fim da partida. Minutos antes do jogo começar, já coloco meu telefone no silencioso. Via de regra só leio no dia seguinte. Tem de tudo na minha rede social. Xingamentos que vão diminuindo a cada gol marcado. Foi assim nos confrontos contra o Corinthians e São Paulo.

Mesmo estando confiante para a partida de hoje, frente ao instável Coritiba – da cidade de Curitiba – sou daqueles que não canto mais vitória antecipada. Galo escaldado tem medo água fria. Acredito na mudança de mentalidade que está acontecendo na sede de Lourdes, e que se reflete imediatamente na Cidade do Galo.

O que percebo de melhor nesse nosso momento é o bom relacionamento dentro do elenco. Me lembro de recentes desentendimentos entre profissionais do Galo, como ocorreu com Luan e Cazares. O primeiro, um grande ídolo – mas que, convenhamos, jogava para a Torcida –; o equatoriano dispensa comentários. Que diferença quando leio as considerações recíprocas entre Victor e Rafael. O segundo barrou o mito e ídolo, chamado até de Santo, como a Marceli disse acima.

Reitero, pois, que estamos vivendo uma fase que é toda favorável. Derrotas irão ocorrer, título nem sei se irá ser de imediato, entretanto, estamos virando a chave para novos rumos. O apoio é fundamental às mudanças.

Eu acredito! Sempre!

*fotos: 1) Bruno Cantini/Atlético; 2) arquivo pessoal de Marceli Cordeiro

30 thoughts to “Clima favorável ao Galo em Curitiba”

  1. Ganhamos. Isso é o que realmente importa. Porém, jogamos muito bem no primeiro tempo mas no segundo o time ficou irreconhecível. Réver faz uma falta danada nessa defesa. Igor Rabelo é muito lento.
    Nosso ataque precisa treinar finalizações. Horrível! Savarino não pode perder gol feito como ele perdeu.
    Nosso meio campo hoje não jogou como contra o são Paulo.
    De qualquer forma, estamos nos trilhos do título novamente.
    Vai Galooooo!!!!

  2. Prezados Ávila, atleticanas e atleticanos!
    Contra o São Paulo profetizei que seriam de 3 ou 4 gols de diferença. Foram 3. Hoje, contra o Coritiba, serei um pouco modesto, e profetizo como 2 gols de diferença. Como dizia o ex-jogador Lacy: “Comigo ou sem migo o atlético ganha”. Uma vitória hoje e outra contra o Santos na próxima quinta, nos coloca como potencial vencedor do campeonato brasileiro!
    Vamos pra cima do Coritiba Sampaoli! Sem medo de ser feliz!.
    Hoje e sempre, galo!!!

  3. Oi Eduardo e Amigos, boa tarde!

    Já concentrado a espera de ver mais um jogo do Galo.

    Não quero outro resultado que não seja a VITÓRIA.

    Jejuamos há 50 anos sem um título do Brasileirão. Por isso,
    é vencer ou vencer.

    Pra cima deles, GAAALOOO!

    Saudações Alvinegras,

  4. Boa tarde amigalos.
    Vcs observaram os horários dos.jogos do galo?
    GALO X CEARA 11 HRS DA MANHA (UM calor tremendo nesse horario)
    GALO X INTER 19 hrs ( UM frio do vao nesse dia)
    GALO X Coritiba as 20 hrs. No sul nesse hirario certamente está frio p os padrões mineiros.
    Não me surpreenderá e quando for jogar c sport em.recife, seja as 11hrs ou 16
    É assim vai.
    Alguém.discorda?

  5. Prezados Eduardo e Atleticanos! o jogo de hoje é uma enorme oportunidade para o técnico e time do Galo mostrarem que, mesmo fora de minas o time se impõe e tem poder de vencer qualquer adversário. Perdemos duas partidas que não imaginava perder, pois, em que pese todo respeito ao Botafogo e Inter, seus times dispõem de planteis inferiores ao atual do Atlético. Portanto os jogadores e técnico do Atlético tem de pensar grande e ter o espírito vencedor se impondo diante de e qualquer adversário hoje em termos de futebol brasileiro. Se isto acontecer começo a crer que estaremos na disputa do campeonato. reconheço que ainda há alguns pontos a melhorar no desempenho do time dentro de campo, sendo o mais me preocupante a defesa que vem permitindo sufoco e chance de gol em determinados momentos da partida , tal como contra o São Paulo no meio da semana passada. E vejam: foi o time tomar consciência de sua superioridade que passamos a dominar e aniquilar o time paulista.
    Sou um Atleticano que pensa grande, em ver o time vencedor e cheio de conquistas. Ás vezes posso até ser um critico além da conta, mas o que desejo mesmo como maior importância atualmente é ver o Galo campeão brasileiro, coisa que ainda não tive a oportunidade de ver. Saudações Atleticanas

    1. “Texto copiado do Fred M Paiva.
      Eu acho,só acho!”
      Prezado! Sigo o relator e penso q não custava dar os devidos créditos ao ” membro ateu” da Academia Atleticana de letras,a linha do texto é parecidíssima demais.
      Vamuuuuuú GALO!!!!
      Saudações Atleticanas

    2. Oi meu caro Edu, o texto do Dazig , o flamenguista que escreveu um comentário aí. Fortes abraços para todos do blog inclusive ele que é nosso rival,porém,veio muito respeitoso aqui no nosso espaço Atleticano.

  6. Ahahahahahahahaha chega a ser patético uma maria infiltrada querer se passar por atleticano e ainda mais querendo bancar o “intelectualóide”!!!!! Essa gente é muito sem noção!!!! Mas vida que segue!!!! Continuem vindo pra dar ibope pro Galo porque do time deles só falam pra mostrar falcatruas, calotes, mazelas, tramoias e coisas do gênero!!!! A esmagadora maioria do Galo, na qual me incluo está muito feliz com o time, com o trabalho e com o projeto!!!!!
    Deixa a mariada chorar em paz!!!!!!

  7. Sem restrições , sem o politicamente correto
    de respeitar adversário , sem essa de que tal
    time é “pedra no caminho” , nada disso .

    Voltamos a 71, às décadas de 70/80, quando
    entrávamos em campo e quem tinha que ter
    cuidado eram os caras dos outros times .

    Vamos para qualquer lugar para amassar , e
    aí está o nosso trunfo .

    O Sampeladeiro vai chamar os seus pilares ,
    Rafael-Alonso-Arana-Jair-Allan , e jogar para
    cima as outras camisas e quem pegar entra
    em campo .

    E eu torço para o Hyoran pegar uma .

    No mais , mais três pontos , sem conversa ,
    é só largar os caras em campo pra jogar e
    correr como vêm fazendo .

    E a trilha sonora dos gritos e incentivos do
    Sampa vai fazer sua “filosofia de jogo” nos
    brindar com mais uma grande emoção .

  8. bom dia Eduardo e massa. mas um jogo difícil. aliás não a jogos fácil. se a equipe do galo sonha ser campeão brasileiro temos que vencer o coxa la em Curitiba. espero que vencemos temos que aprender a ganhar fora.ja basta ter perdido para o foguinho.meu placar. 3×1 . nos deixa sonhar galo. vai galooo

  9. Bom dia, amiGalo Eduardo.
    Muito legal o registro que você fez acima, o qual reproduzo “Nossa amiga Marceli Cordeiro (curitibana que nunca morou em BH e Galo Doido de coração)”…
    Legal isso, não tem vínculo com BH, mas tem com o nosso querido Galo. Coisas da vida. Me lembrei de Santo Agostinho quando ele diz que o “símbolo é a presença de uma ausência”. Está no livro dele “da trindade”, talvez a obra mais densa dele. E isto é do campo da paixão.
    Quando você diz que tem xingamentos em sua rede social, não liga não. Também se trata de uma questão simbólica e transferencial bem presentes nas coisas da paixão. Sempre que critico o Galo sou rotulado de maria. São pessoas de mente pequena, que não toleram um argumento inteligente. E aí transferem seu ódio constitucional quando se sentem contrariados. A melhor forma de combater uma ideia é com argumentos mais fortes, o ódio é o recurso dos que não tem argumento. Lembrando que opinião (a Doxa grega), não é argumento, é só opinião. A opinião é coisa do bicéfalo, bem descrito em Parmênides. Já argumento é algo da inteligência, tem que se ter inteligência para se ter argumento Quando não se tem argumentos a pessoa parte para xingamento. Típica necessidade de auto-afirmação, ainda mais se tiver mulher observando. Como diz um ditado popular, “o tempo age sobre os vinhos da mesma forma que age sobre as pessoas, apura os bons e azeda os maus”. Então, os xingamentos que você tem que ler, ou quando me chamam de maria, é isso, o tempo azedou estas pessoas, é gente que saiu da fase verde e foi para a fase podre sem conhecer a fase do meio, a madura, a melhor fase da vida para ser vivida, e se tornaram nisso, gente azeda.
    Logo mais espero que o Galo volte com 3 pontos, mas o que eu espero não quer dizer que é o que eu vou receber.
    Enquanto o Galo não me dá alegrias de ser multicampeão, me regogizo com o fato do pequeno time azul ter entrado na zona de rebaixamento, e espero que fique lá até terminar a série B e, por que não, eternamente. Embora tenha dito isso, alguém vai insinuar que sou maria infiltrada. Mas isso é problemas deles, não meu, eu não tenho alma pequena.
    No mais, saudações Alvinegras e até amanhã.

  10. Domingo domingão como diria Acir Antão. Bom dia camaradas. Só uma observação fora do assunto. Vi o time do Cuiabá jogar ontem, que time arrumadinho, tem tudo pra subir, ontem o juiz mineiro deu o serviço para o vitória. Voltando ao Galo, não podemos perder pontos pra equipes que vão brigar lá embaixo. O Inter está na frente hoje não pq ganhou do Galo, também por isso, mas principalmente pq ganhou do Botafogo. São esses jogos que faz a diferença lá na frente. E por falar em Botafogo eles tem um armador Bruno Nazário, acho que ex Atlético falso, seria um bom reforço olhando para o que tem aqui e outro seria o Ramiro, tipo um Nathan do Curintiam, passa o Otero pra eles e mais uns trocados, o Alexandre tem que estar atento pois nem sempre nome é a solução.

  11. Bom dia!
    Os 3 pontos hoje são fundamentais para as nossas pretensões ao título. A seguir teremos outro jogo fora contra o Santos, onde qualquer resultado pode ser considerado normal. Então, hoje é vencer, vencer e vencer!
    Estava muito bravo com as seguidas escalações de Hyoran, mas alguns amiGalos aqui desse espaço me convenceram com argumentos bem fundamentados que o meia é muito importante no esquema de Sampaoli. A propósito, pretendo não criticar mais nenhuma decisão do argentino. Estou impressionado com a mudança de postura do time, pra bem melhor, pós o “maluco beleza”.
    Vai Galo! Faz essa Massa feliz!!

  12. Bom dia,

    Horário esquisito deste jogo. Mais o que vale será os três pontos.
    O time atual é recheado de volantes, e como essa posição está bem servida no Galo hein!
    É difícil imaginar ganharmos todos os jogos com gols de volantes, mas é o que está acontecendo, que venha o Blanco, vai cair igual luvas neste time.
    Na quarta seria minha vez de ver o Galo jogar de perto, este ano adiado por vários fatores, Covid-19 e por estar em Minas até o final do mês, no mínimo.
    É um prazer muito grande poder ler os post dos amigalos e também dar meus pitacos.
    Um bom domingo a todos,!

  13. ATLETICANISMO
    por Dàzig Uatama

    Ser atleticano é torcer pro Clube Atlético Mineiro. Todo atleticano é doente. Disse-me um amigo das alterosas: torcer pro galo é uma religião! E vou logo confessando: sou flamenguista, heim? o maior arquirrival nacional daquele clube. Não existe, portanto atleticano ateu ou agnóstico. O ser atleticano é crente por natureza. Acredita no impossível. Acredita até em milagres. A história recente deles nos tem mostrado isso, aliás. Ainda está viva em minha memória aquelas viradas de 4×1 na Copa do Brasil de 2014. O hino – a Sacra Scriptura dos caras, quase um grito de guerra – é uma marcha-rock que os embala e os une a um só ideal: “Lutar, lutar, lutar, com toda a nossa raça pra vencer.” O templo da Pampulha os abrigou, por décadas, mas agora eles estão edificando o próprio santuário: a Arena MRV. Outro dia, um ancião alvinegro profetizou nas redes sociais: “Na inauguração de nossa Arena, em 2022 – se Deus quiser e Ele há de querer –, seremos no mínimo 200 mil torcedores nas cercanias a batizá-la nas águas abençoadas do córrego Tijuco. 46 mil eleitos privilegiados celebrarão nas dependências internas, entoando cânticos e se ungindo na própria atleticanidade. E os outros 154 mil torcedores fritarão ao redor da arena como os muçulmanos orbitam o templo de Meca. Uma massa sovada na paixão e na fé. E, desde já, fica assim estabelecido: todo atleticano, sobre a face da terra, terá por obrigação mística de peregrinar até a nossa Arena MRV, pelo menos uma vez na vida, sob o risco de arder eternamente no fogo herético do inferno astral.” O galo mineiro não tem torcedores: tem fanáticos, seguidores. Não é diferente das torcidas mundo afora. Mas também não se assemelha a nenhuma outra. É a mais argentina delas. Se intitulam: galoucura! O tão celebrado troféu do Brasileirão de 71 equivale ao Santo Graal dos caras, ao cálice sagrado. Outros virão, com certeza, mas não terão jamais a mística daquele. Um GIF em loop, P&B, habita a vigília de todo alvinegro: Humberto Ramos vai à linha de fundo e cruza, Dadá sobe mais do que todo mundo, pára no ar e cabeceia pra baixo, queixo no ombro, silenciando o Maracanã. Roberto Drummond é o evangelhista mais supracitado: a parábola da camisa e do vento é um versículo consagrado entre eles. Todo Jesus atleticano tem uma Maria pra chamar de sua. Seus apóstolos revesam entre escalações, mas esta eu peguei com o meu tal amigo: Mazurkievsky, Nelinho, Léo Silva, Luisinho e Cinconegui, Cerezo, Mário de Castro, Lola e R10, Dadá Peito de Aço, Reinaldo e Éder. E antes que me venham xingar pela ausência do goleiro Victor, já me antecipo: Victor repousa imáculo no nicho das santidades! Victor é santo! Mestre Telê que os abençõe. Elias Kaliu foi pra eles Abrãao – um pilar. Já Rubens Menin é uma espécie de Moisés contemporãneo a guiá-los pelos novos e áridos campos do mundo. Estes escribas estão reescrevendo os estatutos daquela seita. A religião CAM tem também o seu manto sagrado: que os caras lá chamam de o manto da massa! Algo capaz de agregar 100 mil torcedores em torno de um record de venda (R$ 20 milhões) em apenas 7 dias. Isso em plena pandemia. Os caras têm um manto e não uma camisa ou simples uniforme. Talvez seja pra eles o equivalente ao Santo Sudário de Turin – uma espécie de relíquia alvinegra. Além do santo Victor, os cara também têm o seu bruxo: R10. E, até, um Rei – com traços de um barroquismo mulato capaz de nos suscitar semelhança mais a um reizado africano do que a um monarca europeu. Galo é povão! Já pude apurar que muitos atleticanos nem gostam tanto assim de futebol. Gostam apenas de assistir ao galão da massa e ponto. O meu amigo das alterosas se diz ateu, mas comunga religiosamente do sofrimento e da alegria de acompanhar os jogos de seu time toda quarta e domingo. Detalhe: em jejum. Dislumbra-se aí uma doutrina. Diz que um simples estojo escolar – com lápis, caneta e borracha customizados com o escudo gradeado do clube – o converteu em definitivo, afastando-o do caminho tortuoso e cheio de lantejoulas e vaidades, posto que ainda quando muito criança alguns tios azulados tentaram o aliciar com falsos frutos pecaminosos. Vá de fasto, satanás! O lado escuro de lá da lagoa. Eles dizem: atleticano não se torna, já nasce. Até o dízimo deles tem nome aguerrido: Galo na Veia. Todo campeonato é uma Cruzada Santa! Eles não têm CT, têm uma cidade mística: a Cidade do Galo. A Via Crucis dos caras passa pelo Brasileirão de 77, onde o supra-artilheiro Reinaldo foi ardilosamente suspenso na final contra o São Paulo e o galo tombou invicto com mais de 10 pontos de vantagem pro 2o colocado. Segue por Aragão em 80 e José Roberto Wright na Libertadores de 81 – ambos infelizmente contra o meu mengão. Antes que venham me jogar pedra: ao galo o que é do galo. Vamos admitir: os caras foram garfados, heim? Assim como na final do Brasileirão de 99 contra o Corinthians. Tudo está disponibilizado na internet, não tem mais como tentar esconder. Os caras reclamam com razão, vamos combinar. O Wright deveria ter saído algemado num camburão naquela fatídica noite em Goiânia. Fui buscar pelo jogo no youtube e o título do link já me deu a dimensão: “O Jogo mais Roubado da História.” O Serra Dourada é o calvário dos caras, portanto. E, Wright, o pilatos de todos nós, amantes do bom futebol. Daí em diante é só vergonha, com a conivência da senhorita Rede Globo, que fez o favor de estampar no gramado a sua logomarca como quem demarca um território e assina o crime esportivo. Não temos do que nos orgulhar. Triste espetáculo. Vergonhoso, mesmo. O Wright deveria ser persona non grata também na gávea, proibido de vestir o nosso manto rubronegro, porque esta mancha na nossa história nos acompanha desde então. Dito isso, entendo agora porque os fanáticos seguidores do CAM o elegeram como o espírito maligno, o boca torta lá deles – o próprio Lucifér! Há exatos 40 anos a galoucura perturba o sono deste ancião carioca quase que noturnamente. Maldito Wright! Maldito! Em breve será esquecido por todos, pois o CAM caminha a passos largos para se tornar uma das maiores potências do futebol brasileiro e, junto com o meu mengão, protagonizar novos grandes clássicos; mas, agora, sem interferências externas. Tudo neste dois clubes aponta pro futuro. Tudo. O resto é passado.
    PS.: Só Jesus na causa. Só Jesus salva!

    1. Concordância integral, até porque na minha infância – influenciado por meu pai – me dizia flamenguista. Até que descobri e encontrei o amor na camisa preta e branca do Galo.
      Você me lembrou Chacrinha, Abelardo que tá com tudo e não tá prosa, só faço uma ressalva. Seu time de todos os tempos tem 12 escalados. Esse 12°, creio, representa a Massa e a camisa 12.
      Galo Sempre!!!

    2. Bom dia!

      Parabéns, belo texto!!!! Muito lúcido com relação ao que é o Atleticano.

      Me desculpa, mas sem seu concentimento copiei seu texto e enviei p meus contatos futebolísticos. Claro, tendo vc como fonte.

      Muitos dizem q a portuguesa de Minas (até pouco tempo tinham um outro nome, mas meu teclado recusa escrevê-lo, eu tb), é nosso maior rival. Engano, a casa bandida do futebol (cbf), sopradores de latinha e o eixo-do-mal, é q são os nossos grandes rivais. O resto é prosa de buteco.

      SAN

      999AAAAAALLLLÔOOOOOOOOOOOOO

  14. Caro Ávila, como dizia o grande Gálvan: “Trankilo” Tenho certeza nesta mudança de rumos no Galo! Os Menins implantaram um profissionalismo no Galo nunca antes visto! Profissionais competentes, no lugar certo, com a devida capacidade! Acabou o cabide de emprego, visto que dispensaram mais de 300 (?) profissionais administrativos e o clube funciona da mesma forma, ou até melhor! Dias melhores estão por vir! Acredito muito que já vai ser neste campeonato(salvo as forças ocultas, leia-se CBF e Globo)dado a excelência e critério do trabalho! Se não, ano que vem é certeza! Dá-lhes Galo!

  15. Bom dia Eduardo, Lucy, atleticanos e atleticanas,
    o clima é favorável…. A esmagadora maioria está otimista e confiante… Respeitando o adversário e jogando com seriedade temos tudo pra conseguir mais uma vitória e, pouco a pouco nos firmando entre os postulantes ao título….
    Vamos ficar atentos às marias infiltradas, que agora que o time delas está na ZONA DE REBAIXAMENTO DA SÉRIE B, elas vão querer vir aqui destilar toda o seu ódio e frustração!!!
    Vamos ficar atentos a alguns da imprensa que querem, a todo custo, implantar crise política no Galo!!!! Estão desesperados!!! O Galo está incomodando muita gente!!!!!
    um ótimo domingo pra nós e que ele feche com chave de ouro com mais uma vitória do Galo!!!

  16. Bom dia Eduardo !
    O Atlético apesar da sua grandeza em relação ao Coritiba se deve ter toda cautela , o Coxa se mostra um time “carne de pescoço “ em muitas situações . Nada de salto alto, isso e coisa pro outro lado da lagoa !
    No mais estou muito feliz , não é sempre que chega perto de um Santo!! GALOOOO
    Em busca da liderança !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.