Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

CAzaresMania faz balançar o Mineirão

Literal e romanticamente, o estádio Mineirão, palco de grandes conquistas do Clube Atlético Mineiro, vem retomando e retornando à sua origem. Quem esteve nos dois últimos jogos do Galo, frente ao Corinthians e Botafogo, são testemunhas do que estamos afirmando. Não só pela ocupação das novas cadeiras, que limitou o acesso do público ao estádio, mas por sentir – como ocorria no passado – as estruturas do estádio balançar com a vibração da maior e mais apaixonada torcida de Belo Horizonte e de Minas Gerais.

Torcida Galo jogo com Botafogo - 30-06-16

Confesso que na primeira das duas partidas, talvez pela tensão, não percebi essa vibração com tanta clareza e nitidez como na última quinta-feira. Na semana anterior, alguns amigos comentaram comigo o fato, mas sem dar muita importância até achei que era exagero. Mas desta vez eu senti. A estrutura do Mineirão balançou no embalo da massa. Se o estádio balança, taí a explicação de o adversário trëmër. A massa aterroriza mesmo qualquer time que enfrente o Galo.

Além da percepção clara do estádio balançar (ou trëmër?), outro fato interessante aos olhos e ouvidos do blogueiro não passou despercebido na quinta-feira. Com o hábito antigo de chegar ao entorno do estádio com horas de antecedência, para ver, sentir e ouvir o Torcedor, em conversa com gente que presta serviço naquele local, confirmei o que já era perceptível: em dias de jogos do Galo, o quadro móvel e os bares funcionam com sua capacidade máxima, ao passo que em jogos de outro clube que aluga também o mesmo local, tanto pessoal quanto estabelecimentos comerciais operam com metade da equipe. Tem lógica, afinal quem lota e faz o estádio trëmër, aqui em Minas Gerais, é só o Galo.

Cazares e Fred jogo como Botafogo - 30-06-16
Foto: Atlético/Bruno Cantini

E, com todo respeito, aos adversários e até mesmo aos nossos dirigentes Atleticanos, com essa fase do “CAzaresMania”, o verdadeiro dono do Mineirão quer ver o time jogando é na Pampulha. A meu juízo, o público de quinta-feira foi muito maior do que o divulgado. Outra coisa: sejam mais inteligente e não percam quase 20 mil lugares para preservar 200 torcedores adversários que vêm a Belo Horizonte ver a “tunda” que o Galo sempre impõe. Tem como resolver isso, pois a massa pede passagem e vai lotar os jogos até o final da temporada.

Em tempo: Erazo viajou, menos mal e deve jogar. Mas Dátolo, outra vez no DM! Haja!

11 thoughts to “CAzaresMania faz balançar o Mineirão”

  1. Vamos devagar om o andor ??? ou já se esqueceram que o santo é de barro ? Cazares está em um bom momento de sua carreira e precisa agora é de apoio, mas não se paternalismo nem oba-oba… É bom para de fazer comparações esdruxulamente apaixonadas, pois ele deve Cazares, e apenas ele… É preciso que saibam orientá-lo para que não perca o foco. Não era reserva na seleção de seu país por acaso… como dizem na espanha “por algo será”… então, dá-lhe Cazares, Carajo, “pero sin perder la ternura jamás”.

  2. Eu sou do tempo antigo, tenho pouco mais de 60 anos, mas na década de 60, 70 e inicio de 80 a preparação física era diferente de hj. Não tinha esta parafernalia toda e os jogadores não se machucavam tanto como nos dias de hj. para que fisioligistas, fisioterapistas , aparelhagem, etc? Hj jogador fica muito tempo e mais vezes no DM. O que está acontecendo? Jogador antigamente, fazia preparação física e técnica Vila Olímpica. Tem alguma coisa errada aí. Sei que hj tem muitos torneiozinhos, mas e daí?

  3. Querido amigo, leve essa mensagem à diretoria do Galo, é importante: Não deixemos que uma campanha de marketing, como a lançada por Vicitin do cruzeiro deturpe a história… Eles já estão até com faixa no mineirão, no local aonde dá maior destaque na TV, com os dizeres: “cruzeiro, o time do povo”. Nossa campanha do “verdadeiro time do povo” não pegou… Assim, acho perigoso que essa identidade que eles estão querendo criar possa pegar no futuro e, assim, por puro marketing, eles vão deturpar uma história… Sugiro que lancemos algo assim: “Galo, o time do povão”… isso vai quebrar a campanha deles e ainda podemos lançar como campanha para sócios torcedores… é isso, pode encaminhar essa mensagem? agradeço!

    1. Otávio, eu não sou especialista em marketing,mas achei maravilhosa a sua idéia. Deveria ser aproveitada e sugiro até o nosso Eduardo de Ávila que pense com muito carinho em apoiá-la junto a diretoria .
      Aliás, tem assuntos que o torcedor enxerga muito mais !

      1. Paulo Henrique, mesmo entendendo que não precisamos dizer isso, também entendo a força da mídia e do marketing. Galo, o time do povão é uma bela chamada. Lembro-me, de quando eu era ainda criança, nos anos 60, e o time do lado de lá começou a aparecer, a Relações Públicas de lá incrementou uma campanha incrível de angariação de novos trocedroes. Lembro-me que distribuíam cadernos,réguas,lápis e borracha para as crianças nas escolas primárias. Muitas e mitas crianças, rabiscavam e escreviam Atlético (o epíteto Galo ainda não era tão forte)… mas o como o time delas estava em ascenção – administração Felício de Corleone Brandi – muitas crianças foram “captadas” através dessa campanhas. Marketing que foi válido, principalmente por ter contado com uma época boa. Mareketing smpre funicona se bem feito. Imagine Cazares, Luan, Pratto, Marcos Roca, Robinho, Victor visitando escolas e levando brindes para a criançada ??? É um momento precioso, pois o time atraves boa fase. Mandem bala…E dá-lhe Galo, carajo.

        Iraq

      2. Valeu irmão! Então, vamos juntos… é apenas uma sugestão… pode ser algo parecido tb… o que não dá pra aguentar é a carinha do Vicintim do cruzeiro falando que é o time do povo… Temos que lançar uma campanha bacana, mostrando a história do Galo como o time de BH, o time de Minas, que representa as raizes de nossa história…

      3. fala irmão! gratidão por seu comentário… É apenas uma ideia… podemos pensar em outras mais… o que não podemos é continuar vendo a carinha do Vicintin do cruzeiro falando que este é o time do povo… Saudações alvinegras aqui de pernambuco! Minha área tb não é o marketing, ja que trabalho com educação… mas, pensando na história do Galão, temos que valoriza-la mais, mostrando suas raizes… valeu irmão!

      1. Fala irmão Rafael… muito boa ideia tb… eu só quis mostrar que precisamos fazer algo… e Da forma como vc colocou eu apoio tb… O que não dá pra aguentar é a carinha do Vicintin do cruzeiro falando do time do povo… Vamos lá… Não moro mais em BH, mas vc pode mobilizar a torcida aí em lançar algo…

  4. Amigo Dudu,
    O departamento de fisiología do Galo, está deixando muito a desejar, porém não podemos esquecer que o Dátolo está podre já faz tempo. Portanto, não podemos contar com essa carniça e devemos sim, cobrar ao clube, que lo siesta não aconteçam com jogadores como o Cazares. Pois se ele se machucar, estamos roubados. Segundo estatísticas da imprensa, o aproveitamento do time sobe de 16% para 89% quando ele está jogando.
    E alguém consegue explicar por que o professor pardal do inferno deixou ele no banco, com o presidente Neburroceno aceitando a decisão, mesmo depois de ter brigado para ter o jogador. Devíamos processar esse Aguirre FDP.
    Bica eles bicudo.
    VOLTA KALIL PELO AMOR DE DEUS!!!!!!AQUI É GALO PORRA!!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.