Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Calma gente!

Evidente que voltei ontem à noite decepcionado de Nova Lima. Se me desloquei até lá, é obvio que fui pensando em voltar com a vitória e os três pontos. E a liderança já na primeira rodada. Pois retornei com um empate, num jogo bem mais ou menos, que por pouco teria sido uma derrota ainda mais amarga.

Nem por isso, como em tempos passados, dormi mal ou fiquei temoroso com o nosso futuro. Já hoje pela manhã e até durante o horário de almoço, pouco antes de escrever este post extra, tive de ouvir muitos amiGalos projetando o caos daqui pra frente. Com todo respeito, até pessimismo tem limites, embora tenha ouvido e mesmo lido mensagens que me foram enviadas reagindo com boas palavras aos que me escolheram para o desabafo.

Entre essas colocações, me chamou a atenção – mais que as amargas críticas a jogadores e comando técnico – alguns parceiros antigos das arquibancadas que elegeram a diretoria e até os benfeitores para despejar sua contrariedade. Reitero que não tenho qualquer amarração e tampouco resistência a esses Atleticanos. Os respeito, e entre eles conheço apenas dois e ainda assim pouco ou quase nada de cada deles.

Este espaço, embora tenha ao lado uma chamada para compra on-line de uma das lojas do Galo (que é franquia) nada recebe do estabelecimento. O fiz em gratidão a amizade sincera deste franqueado, como já aconteceu com mais dois ou três que – igualmente – tiveram suas marcas dispostas no mesmo local. Dito isso, vamos as considerações que julgo necessárias abrindo espaço ao nosso bom debate.

Ouvi gente que demonstrou muito negativismo. Não sei, até tentei entender de alguns, se seria pelos anos passados de sofrimento. Vivemos décadas de muita resistência na nossa Atleticanidade, marcadas pela dor da injustiça, por roubos que nos tiraram títulos, também de temporadas lamentáveis do nosso time por gestões desastradas que além de não ganhar títulos deixaram dividas que até hoje contaminam o equilíbrio financeiro do clube.

Pois que, após um ano extraordinário, estamos iniciando a temporada e tem gente já querendo jogar a toalha. No meu caso, nunca desisti, nem mesmo no rebaixamento e em outras decepções de menor intensidade. Jamais! Fato é que não conseguem relaxar, curtir e até mesmo comemorar os títulos recentes. Enxergam fantasmas e sonham com monstros por todos os lados.

O negativo é tão forte que no imaginário (in)consciente afirmam ter fontes seguras e fidedignas com informações sigilosas do caos que se avizinha. Nessas críticas parecem conhecer mais de futebol que treinadores, muitos deles Multi campeões. Sobre gestão de grupos então, possuem PHD. E na questão financeira e orçamentária são, pelo discurso, anos luz à frente de quem comanda e/ou ajuda o Galo. Eu, no meu caso pessoal, não me atrevo. Afinal sou Atleticano e só, não entendo de futebol e sim da minha paixão pelo nosso time. Já na questão do dinheiro, administro mal mal meus parcos vencimentos.

E em sendo assim, do alto da minha insignificância, que contribuo como consumidor de produtos licenciados, GNV desde o dia do lançamento, duas cadeiras na nova Arena, não me considero apto para quaisquer questionamentos da gestão Atleticana. Confio e apoio sonhando com um bom futuro para o nosso time do coração. Sem, evidentemente, perder meu senso crítico quando minha consciência assim sinalizar.

Ora, convenhamos, não fossem esses benfeitores e a boa administração que estamos testemunhando, o Galo teria conquistado os três títulos ano passado? Claro que não! E tem quem reclame a eliminação para a final da Libertadores. PQP! Quanta ingratidão. Quando o líder desse grupo avisa que o Galo deve caminhar com suas próprias pernas, me ocorre um sentimento de agradecimento e reconhecimento pelo que foi feito. E teve quem reclamasse disso.

Eu não tenho competência para querer colocar a bunda na cadeira de qualquer um desses abnegados Atleticanos e fazer melhor que eles, restando então a mim torcer para que tudo dê certo. Quem está lá e tem de assinar o cheque sabe onde o calo aperta e as necessidades de até vender jogador, como aconteceu recentemente com o Junior Alonso.

Por fim, em relação ao patrimônio do clube, arrisco daqui dessa pequenez da minha ignorância, acho que o Estádio – com as obras em andamento – sozinho vale e será muito mais rentável que o Diamond, a sede e aquele terreno onde fica a loja do Galo. Ouvi também gente colocando isso em dúvida e sendo até cruel com quem só nos tem feito bem.

Ah! “Temos de reagir e ficar atentos, pois depois do leite derramado, não haverá retorno”, me provocou um deles. Ok, então – pelo que ele disse – temos de cobrar, desconfiar, gritar e ainda querer e exigir que essas pessoas continuem a fazer o que tem feito pelo Galo. Ora, se juntarmos muitos entre nós – especialmente esses ácidos – vamos alavancar os recursos necessários ao saneamento que sabemos que está acontecendo nas contas Atleticanas. Não, sabemos que não, menos ainda gerir aquilo que vem sendo criticado. Menos, calma gente!

21 thoughts to “Calma gente!”

  1. Boa noite, gente
    Primeiro jogo; uma semana de treino; técnico novo; time desentrosado; usando aqueles que estão mais descansados; campeonato que só se presta a dar ritmo de jogo… a final seremos nós e algum outro, como é faz 15 anos.
    Gente, vamos relaxar. Pra nós, agora, é só observar. Sem pressão. Deixa o Turco trabalhar. Deixa o time se preparar. Quem tem que comemorar quando e se ganhar de nanico pra achar esperanças é quem vive de vaidade. Nós vivemos de conquistas.

    1. Fernando Eustáquio,
      Sei que é polêmico, mas vou dizer… Nunca confiei e continuo não confiando no Rafael e nem no Everson.

  2. ACHO QUE O MINEIRO DEVE SER UTILIZADO PARA FAZER EXPERIÊNCIAS COM JOGADORES JOVENS.
    NÃO É POSSÍVEL QUE ESSES JOVENS E RESERVAS DO GALO NÃO TENHAM CONDIÇÕES DE GANHAR ESSE MINEIRO , QUE É DE BAIXO NÍVEL.
    NOSSOS RESERVAS TEM OBRIGAÇÃO DE GANHAR ESSE TÍTULO.
    OS TITULARES DEVEM SER USADOS MAIS NA RETA FINAL.
    ESSA É A MINHA OPINIÃO.
    DYLAN , TEM EVOLUÍDO MUITO E ACHO QUE SERÁ ÚTIL AO GALO NESSE ANO . VAI SER UM BOM JOGADOR.
    ADEMIR , OUTRO QUE VAI DISPUTAR POSIÇÃO DE
    TITULAR NESSA TEMPORADA.
    É HORA DE BOTAR CALEBE , FELIPE FELÍCIO E OUTROS PARA JOGAR.
    NÃO CONFIO NESSES JOGADORES DA BASE DO GALO , QUE É MUITO RUIM , MAS SÓ JOGANDO ESSES MENINOS PODERÃO CONFIRMAR OU NÃO A SUA UTILIDADE NO GALO.

  3. Boa noite!
    Estou feliz com os mecenas, feliz com o time principal do Galo, estou feliz com o bi do brasileiro, com o bi da CB e com o tri B, mas Fábio Gomes não é jogador de futebol.

  4. Caro Dr. Eduardo, boa tarde!
    Quando batemos um rápido, mas agradável papo ontem pela manhã, projetávamos uma boa vitória na primeira das 76 batalhas. Infelizmente não deu.
    Mas o que podemos exigir de um time que teve seu comandante substituído (não por nossa vontade), e ainda, com 10 dias de pré temporada?
    Acho absolutamente normal o resultado (e até mesmo o jogo) de ontem!
    Tem times que iniciaram a pré temporada em dezembro/21 e outros na primeira semana de janeiro/22. É óbvio que haverá, nestas primeiras rodadas, uma diferença perceptível.
    O que não podemos é deixar o primeiro jogo transformar em terra arrasada tudo que foi construído nos últimos dois anos (com mais ênfase no ano passado).
    Ou tem gente que tá com saudades dos anos 2000?

    Somos torcedores sempre, corneteiros às vezes, e atleticanos acima de tudo!
    Forte abraço!

    1. Verdade, caro Giordane. Disse agora ao Jorge no comentário anterior. Somos corneteiros, mas reconhecemos a evolução que estamos experimentando. Alguns, são poucos, usam as redes sociais pra buscar visibilidade detonando o tempo todo.
      Em tempo: vamos depois marcar uma prosa. Ontem foi rápido e no fim de ano também, falar de Galo vale uma longa resenha.
      Abs

  5. Boa tarde Massa e Guru.
    Porque soaram as Cornetas?

    Ontem o time teve todos os ingredientes possíveis para justificar não o mal resultado, mas a péssima atuação. Campo ruim, primeiro jogo do ano, jogadores fora de forma, equipe reserva que não atuou junto, cansaço, técnico novo que ainda não tem conhecimento do grupo.
    No meu entendimento a cornetagem correu solta não pelo resultado e sim porque em nenhum momento a equipe mostrou vontade de jogar, e isso para o torcedor atleticano é inconcebível. Simples assim.
    Para mim, as críticas à diretoria foram pontuais no sentido de que não era necessário neste momento expor o novo técnico, então a considero crítica construtiva e não destrutiva.
    Enfim, sigo confinado no time, na comissão técnica, na diretoria e nos mecenas, mas é importante que seja contra qualquer time, em qualquer campo, em qualquer tempo, nunca falte a vontade de jogar.

    1. Faz parte, sou corneteiro, mas a crítica que me refiro é diferente da nossa. É de quem sempre reclama. Não nos enquadramos, festejamos.

  6. A minha pergunta sem se refere ao futebol praticado, já que ainda estamos em pré temporada.

    A pergunta é: por que o uniforme do Atlético está sem o patch de CAMpeão Brasileiro?

  7. Boa tarde! Essa falta de paciencia e so com o Atleticano, isso porque fomos Campeoes do Brasileiro e da Copa do Brasil!Se alguns jogadores nao renderam o esperado ontem, outros foram bem demais,destaco o Dylan e o Vitor Mendes, foram poucos dias de treinamento, primeiro jogo, e alem disso o Villa Nova apresentou uma equipe bem superior a do ano de 2020,quando vencemos la por 3×1!

  8. boa tarde Eduardo e massa. a primeira corneta minha do ano, o galo contratou outro fabio Bolt? eita jogador ruim de bola a bola morde as canelas do Fábio Bolt.aff.a primeira desculpa do El turco o gramado esta ruim esta ruim para o Vila Nova também. ok que ontem um xou de horrores em Nova Lima.Guga avenida e tchê tchê deveria estar longe do galo. Rafael eterno reserva. igor Rabello como sempre lento. Vitor Mendes também falhou simplesmente a defesa abriu as pernas.então galo treina e treina e El turco não inventa.vai galooooooooo.

  9. Boa tarde,

    Em 2021, após os 5 primeiros jogos do mineiro, time treinando a vários dias e em forma fisicamente, o Cuca pediu 10 jogos para azeitar o time, e não conseguiu, arrastou até pelas finais do mineiro (sofrimento puro) e nas 3 primeiras rodadas da libertadores, daí, começou a fluir o jogo do time e deu no que deu.
    Pois bem, ontem havia em campo uma equipe totalmente desencontrada e sem conhecimento do companheiro e conjunto com o Grupo.
    Faço um exercício para podermos ter uma noção do que ocorreu ontem. Vejamos:
    Rafael – uma semana de treino para goleiro é pura brincadeira. O certo seria vir com o goleiro que jogou a copinha.
    Guga e Vitor Mendes – Nunca jogaram juntos, foram aceitáveis.
    Vitor Mendes e Igor Rabello – Idem
    Igor Rabello e Dodô – também, afinal o Igor só jogou pela direita.
    Guga e Ademir – Também nunca.
    Tchê Tchê e Castilho – idem
    Dodô e Echaporã – Idem
    Sasha e Fábio Gomes…
    Fábio Gomes e Ademir, Ademir e Sasha….
    Ou seja, não tinha como jogar assim.
    Em 2021 jogamos com a base e quando os titulares entraram eles saíram.
    Existia também uma real probabilidade de alguém se machucar e desfalcar o Galo e até perder a temporada.
    Temos que pensar no ano e não apenas em 1 ,4, ou 5 jogos.
    Minha única critica foi a não utilização do Neto e do Calebre, porém, como não tenho conhecimento do estado físico e os demais fatores que escala um jogador para ser titular ou não, então fico na minha.
    Gostei de quase todos, com ênfase ao Dylan, o trio que jogou na esquerda, zagueiro, lateral e meia atacante não conseguiram em momento algum se encontrar.
    Que venha um 2022 ainda melhor do que foi 2021.
    O Galo mudou, agora é o time do presente e também do futuro.

  10. Boa tarde a todos!
    Reclamar do elenco SUPER CAMPEÃO ano passado após um jogo em que tiveram 7 dias de exercícios físico (nem foi treino) e estreia de um novo comandante é demais. Reclamar do que já foi feito pelos gestores do Galo nos últimos dois anos, também. Agora, algumas coisas precisam ser explicadas por eles. Ao que circula em páginas esportivas o Galo está vendendo por cerca de 5 milhões de reais o Luis Felipe para a Arábia e está emprestando o Guilherme Santos ao Red Bull com passe fixado. Na minha visão, se o Galo quiser se reestruturar financeiramente precisa apostar em jogadores que possam dar um retorno financeiro e técnico ao clube, esses jogadores estão na base e ela precisa ser melhor aproveitada e cuidada.
    Os dois jogadores citados praticamente não atuaram no time profissional e já estão de saída. Não sei se teriam condições de compor o elenco CAMpeão, mas mereciam ser testados.
    Enquanto o Galo vende seus promissores ativos a preço de banana outros clubes brasileiros estão faturando milhões com as vendas de jovens promessas.
    Ontem o Inter vendeu o Yuri Alberto por cerca de 120 milhões, outros times como fluminense, Vasco, flamengo, corinthians, São Paulo, Santos, Palmeiras, Grêmio,faturam com frequência mais 100 milhões com jogadores da base, valores que o Galo nunca sequer chegou perto.
    Vamos olhar para a base Galo!

  11. Eu entendo e compreendendo , caro AVILA , o seu envolvimento passional com a instituição , sempre preocupado e ocupado com tudo que diz respeito ao clube .

    No entanto , como é o meu caso , muitos de nós estamos tão somente interessados em ver a bola rolando .

    A mim pouco se me dá o que os gestores tenham que fazer para manter o clube , problema deles que se meteram nesta empreitada .

    Voltando a falar de futebol pelo futebol eu me atrevo , sim , a cornetar , porque anos e anos de arquibancada me dão esse suporte.

    E não serão os Caetanos da vida que dirão a mim que aquilo que vimos ontem de material humano a pelejar vestindo o MANTO seja a qualidade de jogador que eu quero ver em campo .

    Terra arrasada ?
    Claro que não , temos alguns caras no plantel que quando estiverem em condições físicas para atuarem colocarão em prática o arsenal de variações táticas que o MÔ tem na algibeira ( assim foi apregoada a sua contratação , o homem que nos deu um nó com o Tijuana ) .

    Agora , aceitar como “mais ou menos” aquela PELADA de quinta que foi apresentada ontem , tô fora.

    1. Entra ano, sai ano, ganha jogo, perde jogo, entra técnico, sai técnico e a conversa é a mesma. Ninguém serve. Kkkkkkkk

      Já temos a quem indicar caso nosso técnico tenha seu trabalho interrompido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.