Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Buscando motivação para a temporada

Não me lembro em meus mais de meio século de Atleticanidade e quase 50 anos de arquibancada (considerando que meus primeiros anos de vida foram em Araxá), de um pré-clássico tão frio quanto esse que decide o campeonato mineiro. Ao meu entendimento, uma série de fatores extracampo contribui para a situação.

A desconfiança, dos dois lados, com a arbitragem e esse novo sistema chamado de VAR. Na CBF, que não mostrou o áudio do jogo passado, existe quem queira justificar sobre esse grave erro podendo ”arriscar a validade de uma partida”. Foi vergonhosa a atuação da arbitragem, tanto que o silêncio e omissão na CBF e FMF imperou durante a semana toda.

Outro fator determinante para a falta de motivação do público alvo da partida, especialmente no caso nosso de Atleticano, são os dirigentes. Falta de transparência em decisões tomadas. Desde a contratação de jogadores e treinador, até priorização de ações internas, chegando à opção por um jogo que levaria 60 mil Torcedores ao Mineirão ser realizado no Independência.

Por fim, comum aos demais estados, a desvalorização dos campeonatos regionais. A CBF, comparsa e diretamente interessada nos projetos da televisão, contribuiu ao esvaziamento. As rivalidades regionais, embora afloradas de maneira até bastante imbecil por uma pequena parte de torcedores, não motiva mais como nos anos 60/70/80, considerando o momento que eu pude viver. Sei que antes disso era ainda mais envolvente, antes do primeiro Campeonato Brasileiro em 1971.

Apesar de tudo, eu estarei no Horto (reitero que preferia Mineirão) para apoiar e acreditando numa vitória e consequente título do Galo. Se acontecer, será – evidente – muito comemorado. Caso contrário, saberei respeitar o resultado da partida no gramado. Repito, no gramado, sem fatores externos como no domingo passado e ao longo de nossa história.

Foram tantas vagabundagens do “apito amigo” que merecem um livro. Já ganhei e comemorei como também perdi e soube esperar o tempo seguinte. Um título ou a perda dele jamais abalaram minha Atleticanidade. Mesmo tendo sido derrotados por Wright (pra esse eu mostrei cartão vermelho), Aragão, Resende, Simon e similares a essa gente.

Para esta partida, duas coisas me motivam. A primeira delas e imediata é que o time, pós-saída de Levir (tanto na partida da semana passada quanto pelo que acompanhei no noticiário) demonstra motivação. E mais, treinou duro durante a semana, o que não acontecia sob o comando de Luiz Matter e Levir. Ao que víamos, mais do primeiro que do próprio dito treinador.

A outra, sob meu entendimento, muito mais interessante passa pela definição de quem vai assumir o comando técnico da equipe. Mesmo que aconteça o título, acho temerário efetivar o bom Rodrigo Santana. Assim como Thiago Larghi, carece de maior experiência. E também que a diretoria pare de deixar o Torcedor pagando mico ao procurar treinadores como Nunes, Ceni e Sampaoli. Este último, ao que parece, foi balela da administração do Santos, que na verdade está sim aliciando o Ricardo Oliveira.

Primeiro porque nenhum deles preenche os requisitos básicos para treinar o Galo. Precisamos de treinador pilhado, atento e atualizado com o futebol. Repito que minha preferencia é pelo argentino Sebastian Beccacece. Já discorri aqui sobre as motivações dessa opção. Além de Beccacece, falo como Torcedor e com a concordância e aprovação dele, a contratação de pelo menos cinco jogadores que venham para jogar de imediato. Laterais, zagueiro, volante, atacante. É só isso que espero. Titulo Mineiro e time descente!

*fotos: 1) Bruno Cantini, Atlético; 2) arquivo pessoal

24 comentários em “Buscando motivação para a temporada

  1. A TORCIDA ATLETICANA em sua maioria está acomodada , se contentando com pouca coisa .
    Não podemos nos acomodar. Depois do Fracasso e de perdermos o título para as Marias , o que precisamos na verdade é de UMA GRANDE REFORMULAÇÃO DO ELENCO PARA NÃO PERDERMOS O ANO.
    ELIAS , F.SANTOS , CAZARES E OUTROS INÚTEIS NÃO DÁ MAIS. L.SILVA ficou velho e não aguenta mais competir.
    É preciso mudar o time , contratar 2 laterais , um meia e um centro avante , além de um técnico competente e Vencedor.
    QUEREMOS TÍTULOS.
    BRASILEIRÃO E COPA DO BRASIL É OBRIGAÇÃO.

  2. Se for depender DE GRANDE PARTE dal torcida do galo, o Atlético nunca recuperará o posto de um dos dois grandes de Minas; Veja bem. Ficaram aliviados e demonstraram todo o seu alívio (felicidade¿) com o resultado na derrota do primeiro jogo que deu o título merecido aos azulados nesse ano de 2019. ESTES TORCEDORES, demonstraram claramente o alívio de não verem o Galo ser goleado pela quarta vez nesses últimos anos, em UMA decisão de título mineiro (5 x 0, duas vezes) e 6 x 1 em uma decisão contra o rebaixamento no campeonato brasileiro).
    Para qualquer atleticano roxo, qualquer derrota para o cruzeiro em uma decisão de campeonato é sempre um motivo de tristeza e revolta. Para a atual torcida (claro que há exceções), foi motivo de alegria, esperança e de alívio.
    Nesse momento estamos assistindo mais uma comemoração, com carnaval, foguetaço e buzinaço em nossos terreiros. Cruzes. Esse conformismo e resignação, é coisa de torcida de time pequeno. É masoquismo.
    Nesse 2019, não quero mais ver jogo dessa porcaria de time, porcaria de direção esportiva porcaria de comissão tecnica. Porcaria de time de velhos acabados, mas recebendo salários milionários. Time sem goleiro, sem ao menos um zagueiro, sem lateral esquerdo, sem centro avante. O time sempre joga com quatro jogadores a menos que os adversários. E alguns da torcida, preferem reclamar de arbitragem.
    Nesse 2019, não quero mais compartilhar com o sofrimento continuado da torcida do Galo. O contrário seria masoquismo. Estou migrando para o PES e para o FIFA.

  3. Já fomos campeões com interino. Hoje duas coisas estão em jogo: ou o Galo quebra essa invencibilidade do time azul ou então a mística do Horto terá ido definitivamente por água abaixo. No Indepa certa vez fomos garfados ao final de uma partida que terminou 2×2 pelo fato do juiz ignorar uma falta no Guilherme bunda ao fim do jogo. Após um golaço do Ronaldinho Gaúcho, tomamos um empate de um zagueiro desconhecido. São tantos ilustres desconhecidos que decidiram clássico para o lado de lá. Tomara que hoje o Elias acerte novamente a gaveta do Fábio de Costas.

  4. Bom dia amigos do Galo. Acredito que o competente Rodrigo Santana vai tirar um Galo da cartola e que o CAM será campeão . Aliás, entre Santana e Ceni sou mais o Rodrigo.
    Um dia iluminado para todos nossos jogadores, em especial para Elias e Fábio Santos, que até hoje não justificaram suas presenças no time titular do NOSSO GALO.
    Eu acredito no trabalho do presidente Sette.

  5. Bom dia.
    Hoje pra mim é um dia que não importa quem vem para ser treinador, quem vai entrar em campo se gosto de tal jogador ou não. Hoje pra mim só importa a vitoria. Quero que o time jogue feio mais ganhe, seja com gol de Elias ou Fabio Santos é até do Patric ta valendo. Quero é ser Campeão do rural que pra mim até que não vale nada se fosse outro adversário, mais contra esses azuizinhos treme treme não, tem um sabor especial. Ver o bailarino e demais covardes desse time sair de cabeça baixa e engolindo o orgulho de se acharem melhor. Não tem nada melhor.
    Pra cima deles GALOOOO.

  6. Que eu esteja redondamente equivocado e ganhe o Galo, claro. A meu juízo, a desmotivação para o jogo de logo mais é simples: o adversário está praticamente com a mão na taça.

  7. Bom dia Eduardo e massa. 99,99999 por cento da imprensa nacional ja cravou as Marias caloteiras e freguesas campeão mineiro.se jogarmos como jogou o primeiro jogo e não ter influência do var e da arbitragem podemos sim vencer as caloteiras. Mas ok mais pesa e ter no elenco vários ex jogadores que não resolve nenhuma decisão e pipoca na cara do goleiro. Vamos jogar no mínimo sem 4 jogadores. Victor. Fábio Santos. Elias. pastor pipoqueiro. Boa Páscoa a toda nação atleticana espalhado pelo mundo. Vai galooooooo.

  8. Boa Noite!Ao contrario do ultimo fim de semana nesta eu estou sinceramente confiante em uma bela apresentaçao do Galo.Ganhando(o que espero e acredito) ou nao o que vai importar è o modo como se portou durante a partida,pois nos darà confiança para o resto do ano,lembrando que o brasileiro està batendo na nossa porta.de negativo,o de sempre:FS,Elias e Ricardo Oliveira.sem eles seria bem menos sofrido.quanto ao tècnico copio,para variar,o Galo Roberto:nao tenho um nome para citar entao fico com o do Eduardo.Tenham uma boa noite.

  9. Caro blogueiro,
    Acho que você exagerou ao dizer que nenhum dos três treinadores, Ceni, Tiago Nunes e Sampaoli, é atualizado em relação ao futebol. Penso exatamente ao contrário. Os três são pertencentes à um grupo seleto de treinadores, incluiria também o Fernando Diniz e Renato Gaúcho, que fazem o time jogar futebol vistoso e alegre. Ao contrário da maioria que joga por uma bola, o dito futebol reativo, popular “feio” mesmo.
    Nós Atleticanos sempre gostamos e futebol alegre, “propositivo”, Galo Doido. Não gostamos de jogo burocrático, de toques pro lado e pra trás improdutivos. Perdemos muitos jogos e campeonatos, talvez por esse estilo Galo Doido, mas quando ganhamos ficou marcado na história e em nossa memória. Acho que com um desses treinadores: Ceni, Tiago Nunes, Sampaoli e seu discípulo Bacaccece e a mudança de algumas peças lentas do nosso elenco, teríamos no Galo Doido novamente. Abraços.

  10. Boa Noite,

    Realmente este ano temos pela frente uma final pouco emocionante e um campeonato que não vai ter nenhuma comemoração efusiva, a não ser ganhar do rival = menos arrogância pelo resto do ano.
    Eles estão talvez acreditando mais no Galo, do que nos mesmos, haja visto a quantidade de maria que resolveram aparecer aqui neste blog na última edição, foi uma tremedeira sem fim.
    Quanto a técnicos para o Galo, estamos numa sinuca de bico, os disponíveis não são interessantes, os demais estão empregados.
    Vejo o Rogério Ceni com bons olhos, os mencionados pelo blogueiro não conheço, com o respaldo da torcida acho que tanto o Rogério quanto o Rodrigo vão bem, o que não pode é começar a dar pau no trabalho dos treinadores antes de verem.
    Quer melhor exemplo do que o Rodrigo que com um jogo já mexeu no time, fez mais do que o Levi em 5 meses, o técnico paranaense, a seis meses a trás era como o Rodrigo, então porque não dar crédito ao da casa, já conhece o elenco, a massa e a base.
    Quanto a Mineirão ou Independência penso simples assim, o que nosso rival gostaria?
    Então, quero ao contrário. Independência neles, e pronto.
    O 3 x 1 do ano passado como um trator passando por cima delas não me sai da cabeça, então, julgo correta a escolha.
    Quanto a contratações, trocaria a indicação de um atacante, por um armador, Cazares já era, e se não existe confiança no Cleyton para titular do gol, então incluiria um goleiro.
    Boa sorte para nosso time amanhã, e na quarta uma vitória convincente para se manter vivo na libertadores e garantir a Sulamericana, que ironia…..

  11. Vamos torcer ! O título é importante amanhã . A torcida mais uma vez será o diferencial . A torcida mais argentina do Brasil joga com o time, descontrola as Marias e faz do Horto um inferno … acho que ceni vem e será boa aposta . É possível vencer amanhã , jogar concentrado e com intensidade . Compacta o meio que o time delas fica totalmente perdido . Vamos lá , 2×0 , dois do pastor .

  12. Caro escriba, você tem razão: nosso time é “descente”. Vive descendo a ladeira, atualmente. Quanto a um time decente, já não o temos desde 2015. Se bem que até a parada para a Copa do Mundo, no ano passado, terminamos em vice no Brasileiro, como Roger Guedes. De lá pra cá, a mesma sucessão de cagadas desse presidente prepotente e arrogante que temos. Como diria o já saudoso Boechat: “Toca o barco !”

  13. Boa tarde, Eduardo!
    Pra o Ceni sair do Fortaleza, o time interessado tem que pagar multa contratual, além de convencer o ex goleiro da água a interromper seu bom trabalho no tricolor cearense. Sendo assim, espero que nossa diretoria não esteja se assanhando pra levar mais um “não”.
    Não tenho nomes pra assumir o comando do Galo. Por isso vou na “aba” do barbudo.

    Amanhã. Se a Varbitragem não atrapalhar, se os burrinhos que gostam de ser expulsos colocarem a cabeça no lugar e o time, de um modo geral for no embalo da Massa, dá pra sairmos campeões!!
    Vai pra cima, Galão da Massa!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*