Ainda longe do ideal

Publicado em

De São Paulo

Falta de sistema de refrigeração, de melhor estrutura de vestiários e espaço para as coletivas que não obrigue o tenista a atravessar um mar de gente. A passagem de Roger Federer e outras estrelas pelo Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, mostrou que o Brasil ainda precisa avançar para ter um torneio de ponta.

Inaugurado há 55 anos, o Ibirapuera foi a alternativa da CBT e promotoras de eventos em mais uma tentativa de massificar o esporte no país. Após 10 anos na Costa do Sauípe, o ATP 250 do Brasil foi realizado em fevereiro no ginásio, com boa presença do público. A presença também não decepcionou na vinda de Federer, apesar do preço salgado dos ingressos. Interesse há, falta agora pensar em estrutura.

VELHO Estrela da turnê, Roger Federer engrossou o coro por melhorias no ginásio paulistano. “Eu acho que são necessárias melhorias, porque você tem que dar a melhor experiência para os fãs, para a mídia, jogadores. Eu não sei o quão velho é o ginásio, mas precisa de espaço para todo mundo”

CALOR Apesar dos elogios ao país, o francês Tsonga descartou participar da gira sul-americana no início de temporada. “Eu me senti muito mal, especialmente no começo. Parecia uma sauna. Em casa está alguns graus negativos”, contou Tsonga, que treinou em Miami para se ambientar ao calor que fará em Melbourne, durante o Aberto da Austrália.

OPERA TOMMY Campeão do Aberto do Brasil’2009, o espanhol Tommy Robredo fez a reedição daquela decisão sem muita emoção contra Thomaz Bellucci. O pai do espanhol, apaixonado por The Who e pela ópera-rock Tommy, escolheu o nome do filho, que, para sua tristeza, revelou que nãoé muito fã da música.

BRASIL NA AGENDA Tommy Robredo confirmou que disputará os torneios sul-americanos, o que deve incluir o Brasil em seu roteiro. No jogo-exibição de domingo, sem muitas brincadeiras, ele perdeu para Thomaz Bellucci, por 2 a 0 (7/6 e 6/3).

BRASILEIROS Roger Federer se despediu do público vencendo Tommy Haas por 2 a 0 (duplo 6/4). Os dois se vestiram com o uniforme da Seleção Brasileira de Futebol e foram acompanhados de perto por Lucas e Ganso, do São Paulo, que estavam na beira da quadra.

SENNA OU SCHUMI? Apaixonado por F-1, o alemão de 34 anos, que teve a carreira atrapalhada por diversas lesões, afirmou que Senna foi maior que Michael Schumacher, seu cotnerrâneo vencedor de sete títulos. “Se você colocar Senna e Schumacher no mesmo carro, e acho que todos vocês concordarão comigo, Senna seria um piloto melhor.”

PÚBLICO A promotora da turnê de Federer no Brasil divulgou os seguintes números. quinta-feira: 8.624, sexta-feira: 6.254; sábado: 9.541; domingo: 9.971. Total: 34.390

Foto: Rosane Bekierman/Inovafoto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *