Picardia, chantagens, traições e uma busca desesperada na tentativa de parar Bolsonaro

Travestido de primeiro ministro Rodrigo Maia reúne na residência oficial Gilmar Mendes do STF, João Dória – Governador de São Paulo, Davi Alcomumbre. – Presidente do Senado e mais uma plêiade de conspiradores.

Na pauta as articulações para minar o governo Bolsonaro com retirada de 30 bilhões de reais do executivo, viagens para Espanha e França afim de coordenar ações conjuntas com o foro de São Paulo, mudanças no regimento do congresso para permitir mais um mandato aos presidentes das duas casas, tentativas para implantar um regime parlamentarista.

Tudo isto buscando barrar a popularidade cada vez maior do atual governo. Já perderam as esperanças de conquistarem a vitória nas urnas e agora é tentar melar o jogo…e tome chantagens!

O chororô com figurinhas carimbadas se manifestando atônitas, vem provocando um fenômeno inverso e aumentando assustadoramente as adesões ao DIA DO FODA-SE.

Parece que vai faltar espaço nas grandes avenidas para tanta gente nas ruas em 15 de março.

Antes houvesse simplesmente atividade de escambo no “bordel” próximo ao palácio da alvorada, mas não, o que acontece por lá é um complô visando minar o governo Bolsonaro e, como se não bastasse, proteger parlamentares criminosos de possíveis sanções penais, tal e qual sistematicamente vem acontecendo desde que a democracia foi restaurada em nosso país.

Cargos no executivo sempre foram usados para manter a estabilidade nas votações do legislativo, contemplam a base de apoio ao governo e são legítimos, mas transformar isso em chantagem é coisa de mentes doentias e criminosas.

A compra de apoio, seja com dinheiro lícito ou ilícito, envergonha e mancha qualquer procedimento que se diz democrático.       

Temos assistido nos últimos meses um lamentável debate, que mais deseduca do que contribui para o amadurecimento político dos cidadãos brasileiros.

Transformar discussões essenciais para um governo responsável e em benefício de toda a população em um deplorável espetáculo maniqueísta, reduzindo a gravidade do momento a decisões de interesses escusos e em benefício de uma minoria, desprezando a voz das ruas, é um crime contra o eleitor.

O que deve ser debatido é uma ampla reforma administrativa, que facilite a vida de todos os brasileiros, acompanhada da reforma jurídica que acabe com a sensação de impunidade e insegurança que vivemos.

O que temos assistido é o presidente buscando facilitar a vida dos cidadãos através da fiscalização rigorosa e aumento de programas sociais, conclusão de obras que se arrastam há muitos anos, eliminação da indústria de multas de trânsito, extinção do roubo chamado DPVAT,  combate efetivo à corrupção, recuperação da economia enquanto o congresso, em conluio com o judiciário, derruba portarias e decretos ou permite que caduquem, por interesses eleitoreiros e pessoais.

Simples, claro e direto o boicote a todas as ações do governo com a antecipação de prováveis candidaturas, três anos antes da data e que atropelam as eleições municipais de outubro próximo.

Pura picardia!

Vergonhoso o balcão de negócios em que se transformou o congresso nacional. Há muito não se via tamanho desprezo ao eleitor.

E pensar que longe está uma solução pacificadora.

Valho-me do escritor e jornalista americano, Ambrose Bierce em sua obra O dicionário do diabo:

“A morte não é o fim. Sempre resta a briga pelo espólio”.

6 thoughts to “Picardia, chantagens, traições e uma busca desesperada na tentativa de parar Bolsonaro”

  1. Parabenizamos a reportagem… A tempos não via um jornalista sério e tão somente zumbis esquerdistas travestidos de ilusões morimbudas! O Brasil está mudando e o jornalismo se descontaminando do Gramicismo e do viés ideológico nojento dentro das faculdades de Comunicação Social…

  2. Pela quantidade de comentários dá para perceber o lixo de artigo.
    Será que esse colunista vive na Lua ? O Bozo fazendo merda atrás de merda, transformando o País em milícia e ainda aparecem essas “coisas” para apoiar. Faça-me o favor !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *