Enchentes, inundações e a mesma ladainha dos governantes. Pelo menos é ano eleitoral, quem sabe eles se tocam?

Há 120 anos BH tinha 2 anos de vida, nenhum cimento ou asfalto na cidade. Carros? nem pensar! E a chuva castigou a cidade nesta mesma área central. Veja a reportagem em jornal da época:

Quando o volume de água é muito grande e em pouco tempo, independente de permeabilidade do solo, vai haver inundação.

Lógico que se agravam com pavimentos, redes de drenagem, esgotos, construções irregulares e canalização subdimensionada. A falta de conclusão de obras a jusante também contribui para o represamento.

É preciso planejamento e bom senso de nossos governantes. Nada justifica priorizar reparos emergenciais  nas áreas nobres e abandono ou postergação para a periferia.

Estamos às vésperas da escolha de vereadores e prefeitos e vale uma profunda reflexão e avaliação dos atuais representantes e de suas futuras escolhas. Cobre e mostre que você exige respeito.

Nesta hora o voto do pobre e do rico têm o mesmo valor, mas as falsas promessas enganam os mais necessitados. Não se deixe enganar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *