AGRONEGÓCIO: “HERANÇA MALDITA DOS MILITARES”!

Recebido em mensagem enviada pelo meu primo, Dr Marcelo Lopes Freitas, e publicada há 15 anos no blog póstumo do Giulio Sanmartini, reproduzo esse excelente texto, que continua atualíssimo.

“Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil em 1500 e o Brasil descobriu a agricultura em 2000. Durante 500 anos a agricultura foi o rebotalho nacional. Entrava no jogo do poder de sobremesa. Mesmo quando o café era o centro da economia nacional, a agricultura não passava de uma moeda de exportação.

Agora, de repente, a agricultura virou a salvação da lavoura. A indústria emperra, cresce a índices medíocres e ela dispara, comandando as exportações. Só que os neobobos de sempre pensam que aconteceu por acaso, de milagre.

Ainda esta semana, na “Veja”, o pomposo Roberto Pompeu de Toledo pergunta “Por onde andará Alysson Paulinelli, que há 30 anos a revista `Time’ elencou entre 150 futuros líderes mundiais” (dois brasileiros, ele e Célio Borja).

Esta é uma história que os felpudos sobrenomes quatrocentões de Toledo não lhe deixam saber. Paulinelli é o pai da nova agricultura brasileira.

O que está aí nas manchetes, nas estradas, nos portos, nas gordas estatísticas do comércio externo nasceu há 30 anos de uma visão revolucionária dele.

Em 73, no governo Médici, o ministro da Agricultura, Cirne Lima, do Rio Grande do Sul, criou a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisas Agrícolas).Mas ficou no papel. Cirne Lima brigou com Delfim, saiu, entrou o pernambucano Moura Cavalcanti. A Embrapa continuou uma idéia no papel.

Chega Geisel em 74, manda chamar para conversar o jovem secretário da Agricultura de Minas, Alysson Paulinelli, saído das salas de aula e da direção da Universidade Agrícola de Lavras, e diz a Geisel o óbvio: a agricultura brasileira só sairia da mesmice de 5 séculos de extrativismo se sofresse uma revolução tecnológica.

Geisel o convidou para ministro:

– Vamos fazer.

Paulinelli chamou o presidente da adormecida Embrapa, Irineu Cabral, e o diretor de Recursos Humanos, Eliseu Alves, e estabeleceram o rumo:

– Não queremos cientistas para resolver problemas da ciência,

mas para resolver os problemas da produção.

Pegaram uma verba de US$ 200 milhões e escolheram, nas melhores universidades brasileiras, 1.600 recém-formados e os mandaram para fazer mestrado ou doutorado nas melhores universidades agrícolas do mundo: Califórnia, França, Espanha, Índia, Japão, etc. Estava plantada a semente da maior revolução já feita na agricultura da América Latina.

Eliseu Alves, logo o Eliseu Alves, que havia chegado dos Estados Unidos como uma referência mundial como cientista e como gestor de ciência e tecnologia, assumiu a presidência da Embrapa e implantou linhas avançadas de trabalho:

1 – Criou 14 Centros de Pesquisas, em 14 regiões do País, para pesquisar 14 produtos (exceção do café, que tinha o IBC, e do cacau, que tinha a Ceplac): soja em Londrina, no Paraná; mandioca e fruticultura em Cruz das Almas, na Bahia; milho e sorgo em Sete Lagoas, Minas; vinho em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul; feijão e arroz em Goiânia; gado de leite em Juiz de Fora; gado de corte em Campo Grande; seringueira em Manaus.

2 – Criou quatro Centros de Recursos Genéticos para o cerrado, em

Brasília.

Não foi milagre. Trinta anos depois, o investimento da Embrapa em

aprendizado externo e pesquisas internas explodiu a agricultura brasileira.

Não foi milagre, foi competência, visão correta da ciência e do País.

Paulinelli voltou para Minas, seus estudos, suas aulas, suas assessorias. Eliseu Alves está em Brasília, com seus estudos, suas pesquisas, suas consultorias, ainda hoje o grande guru da agricultura brasileira.

AAAhhh! Esses militares!!!!!

Praga agrícola: ontem a SAÚVA, hoje o MST!!!”

Acrescento aqui o meu apenso: àquela época era impossível imaginar que Bolsonaro viria a ser o trigésimo oitavo presidente do Brasil e, munido do clamor das ruas, também acabaria por pulverizar a praga do MST.

6 comentários em “AGRONEGÓCIO: “HERANÇA MALDITA DOS MILITARES”!

  1. Texto merda! Só história política. Vai estudar os resultados de quem acorda as 5 e dorme tarde todos os dias! Nos livros não existe prática.

    1. Imbecil, nao sabe o que e produzir alimento … Agronegocio hoje tem niveis iguais ou acima das industrias, ou acha que e tem diferenca…

    1. Excelente informação, histórica, de nível, oportuna e verdadeira para nós os verdadeiros brasileiros. Para o “GADO ” PTRALHA e Comnistas, apenas Fake News.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *