Aos “trancos e barrancos” nosso Brasil segue tentando sair do atoleiro. Sorte nossa, que a cada dia aumenta a conscientização popular

O caminho ainda é muito longo para mudarmos o cenário atual. Educação e  respeito são fundamentais para alcançarmos uma nova escala de valores, que foi totalmente destruída por administrações equivocadas e mal intencionadas.

Por enquanto ajuda muito apoiarmos o atual governo, dando-lhe o crédito necessário, sabedores que somos do corporativismo, despreparo e falta de caráter da maioria de nossos congressistas.

Melhorando a educação, certamente traremos maior conscientização do eleitorado e, consequentemente, uma melhor qualificação do nosso congresso. A escola sem partido já é um ótimo começo.

Claro que não podemos nos esquecer do absurdo em que se transformou o Supremo Tribunal Federal, que de guardião da constituição, se transformou em cúmplice dos inimigos da pátria.

Devo confessar que escrevo esse artigo preocupadíssimo com as decisões que devem ser tomadas, ainda hoje, pelo plenário do STF.

Queira Deus que não cometam o desatino de colocar em liberdade milhares de condenados, cumprindo penas em segunda instância, somente para beneficiar meia dúzia de políticos corruptos, jogando por terra a maior operação contra a corrupção que já houve nesse país.

Assista o vídeo a seguir e acompanhe o meu raciocínio ?

One thought to “Aos “trancos e barrancos” nosso Brasil segue tentando sair do atoleiro. Sorte nossa, que a cada dia aumenta a conscientização popular”

  1. Quanta bobagem em tão poucas palavras. Nunca presenciei tamanho amadorismo, fraqueza de argumentos e parcialidade num comentário. Aprenda um pouquinho lendo o blog do Reinaldo Azevedo. Quem foi o imbecil que te disse que a decisão do STF sobre a prisão em segunda instância vai soltar milhares de criminosos? Quanta ignorância. Se informe primeiro. Você está falando de educação no seu comentário mas te aconselho a aproveitar o momento e voltar a ler e estudar um poco pra não fazer comentários tão estúpidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *