Denúncia gravíssima: covardia e lesa-pátria, na surdina, contra todos os brasileiros. É preciso agir e apoiar o nosso presidente.

60 reais por um hectare da Amazônia, essa foi a vendeta protagonizada pelo então Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, com o Banco Mundial e duas ONGs entregando 3 milhões de hectares na Amazônia. O acerto foi feito e assinado no dia 19/12/2017 conforme foto do ato solene de “lesa-pátria “ e faz parte de uma conspiração internacional para se apoderar de terras brasileiras.

O projeto “Triplo A” é um grande plano internacional para criar um corredor de áreas protegidas com soberania compartilhada na calha norte do Rio Amazonas lingando o Pacífico ao Atlântico. O corredor Triplo A sofre grande oposição das Forças Armadas brasileiras e foi rebatizado de “Projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia”. 

Mas afinal o que é o ‘Triplo A’?

Essa teoria chamada de “Triplo A” ou “Corredor AAA”, proposta por um ambientalista colombiano há alguns anos, consiste na formação de um grande corredor ecológico abrangendo 135 milhões de hectares de floresta tropical, dos Andes ao Atlântico, passando pela Amazônia — daí os três “A” do nome. Veja o mapa.

O presidente Bolsonaro, acompanhando posicionamento do General Villas Bôas e do atual alto comando das forças armadas, está disposto a desfazer toda a trama cuidadosamente organizada a partir de 1990, visando ocupar áreas estratégicas do território brasileiro, disfarçadas sob o manto de um corredor de proteção ecológica.

A população brasileira precisa ser informada dessa monstruosidade tramada contra o Brasil. Para se ter ideia do que pensam e divulgam mundo afora os entreguistas da nação assistam o vídeo a seguir, que está circulando em diversos idiomas mundo afora e tirem suas próprias conclusões.

 

 

4 thoughts to “Denúncia gravíssima: covardia e lesa-pátria, na surdina, contra todos os brasileiros. É preciso agir e apoiar o nosso presidente.”

  1. Prezado,
    Me desculpe, esta história de Triplo A nunca existiu, O que existem são parcerias entre os paises da região Amazonica em acordos multilaterais para a proteção e desenvolvimento da região, fato este comprovado pelos encontros realizados entre estes paises no combate aos incendios florestais no governo atual. Houve de fato uma proposta de uma Organização não Governamental Colombiana (que, inclusive é de direita) propondo os chamados corredores ecológicos transfronteiriços, que já são adotados pelos paises, inclusive o Brasil. Lembrando que, até os Estados Unidos tem acordos de proteção ambiental transfronteiriços com o Mexico, com objetivo de proteger os remanescentes de vegetação nativa e a biodiversidade que compoe as regiões de fronteira entre estes dois paises. Mas eu entendo isto, pessoas idosas e aposentadas “descobriram” o mundo virtual recentemente e estimulados por governantes atrapalhados e sem muito traquejo em assuntos técnicos, distribuem a bel prazer sem muito discernimento, informações tais, com as quais não tem muita intimidade nem capacidade técnica para entender, matérias de cunho apocaliptico e catastrofista que são veiculadas pelas redes sociais. O ideal é: sentar confortavelmente, manter a espinha ereta, saboreando uma bela xícara de café, buscar as informações de maneira calma e tranquila, reservando o espaço para ouvir o contraditório. Sei que exercer isto é muito difícil, mas todos conseguem. Afinal, eu consegui.

    1. Não basta pesquisar é preciso viver por lá. Andei pela Amazônia brasileira por mais de 10 anos. Existem terras que brasileiros não têm acesso, apenas estrangeiros ligados a ongs. Incêndios naquela região ocorrem a séculos, mas descobriram agora que o Bolsonaro é que está acabando com a floresta. Esqueceram de lembrar que desde 1500 apenas 18% de floresta foram desmatados e surgiram 7 estados com mais de 12 milhões de habitantes. Deixe isso pra lá, não vou prolongar essa discussão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *