Ligações perigosas entre judiciário e legislativo colocam em risco uma estabilidade democrática frágil e atacada dentro e fora do Brasil

 

Na presidência do senado sai Renan entra Alcolumbre, os dois citados várias vezes em diversos processos.

Rodrigo Maia, também envolvido em denúncias é reeleito presidente da câmara e ambos chegaram mandando recados duros para o executivo.

Agora, seis meses após a posse e estabilizados junto às bancadas, tentam acordos, na surdina, com o judiciário para blindagens dos dois lados.

Nas gavetas do presidente do senado estão guardados, a sete chaves, pedidos de impeachment contra os ministros Gilmar Mendes, Dias Tóffoli, Alexandre de Morais, Edson Fachin, Roberto Barroso, Luiz Fux, Ricardo Lewandowiski e Celso de Melo, que são moedas fortíssimas para trocas de favores entre legislativo e judiciário. 

E a pantomima continua:

Eike Batista é levado da mansão na Gávea para o presídio de Bangu, zona norte do Rio. Em 48 horas tem a prisão revogada pela desembargadora federal Simone Schreiber do TRF-2, instância correta para recurso.

Justiça Federal de Curitiba transfere Lula para penitenciária no Rio de Janeiro e em menos de 24 horas o STF suspende a decisão atendendo recurso da defesa, que deveria ser encaminhado ao TRF-3.

O mesmo STF mantém, há 6 anos na fila, um pedido de fornecimento de medicação especial, relatado pelo ministro Marco Aurélio, mas a mineira Alcirene Oliveira não verá o desfecho do processo. Ela morreu antes.

Em decisões monocráticas ministros atropelam os fatos, censuram publicações, proíbem investigações e dificultam ações do ministério público e da polícia federal. Quando a pressão aumenta se ajeitam entre as turmas ou no plenário.

Tudo isto sem contar as constantes decisões atrapalhando a máquina administrativa do executivo e impedindo a adequação de todas as instâncias aparelhadas nas duas últimas décadas.

Precisa tudo isso?

Acho que o melhor é divulgarem o que Eike Batista, amicíssimo de Rodrigo e do pai dele Cesar Maia tem a dizer, pois quando se apresentou disse que a verdade precisava ser conhecida e esclarecida. O próprio Sérgio Cabral disse que se abrir a boca cai metade do congresso e do STF.

Como todos os empreiteiros, Eike preso por pagar propina de 16 milhões de dólares ao ex-governador do Rio de Janeiro, afirma que se não pagasse ficaria fora do jogo e, uma vez fora, não teria gerado mais de 20 mil empregos diretos entre 2005 e 2013. Ele não se vê como chefe de quadrilha, seus amigos e grande maioria de seus ex-funcionários também não, mas eu vejo!

Dizem que visionário, megalômano, cafona, empreendedor e até generoso o identificam mais que bandido ou mau-caráter. Talvez esteja pagando pela ostentação.

Acompanhem algumas de suas doações contabilizadas: 12 milhões de Reais para ajudar crianças e mães vítimas de violência, 10 milhões para entidades de ajuda a excepcionais e portadores de paralisia cerebral, 8 milhões para a Santa Casa de Misericórdia, 20 milhões para implantação de UPPs nas favelas do Rio, 5 milhões em projetos culturais, 15 milhões para despoluição da lagoa Rodrigo de Freitas, motos e caminhões para coleta de lixo em comunidades carentes.

Bolsa de valores é mercado de risco e para que alguém ganhe outros têm de perder. Os bancos também perderam muito dinheiro porque emprestaram com garantias escriturais, ou seja, nada existente ainda.

Ao não se realizar a previsão de extração de petróleo da principal empresa do grupo, as bolsas despencaram e arrastaram todas as outras coligadas, resultado: ações compradas a 1000 reais hoje valem pouco mais de 9.

Isso já aconteceu com outros gigantes mundiais como, Nortel, AIG, talvez você ainda se lembre da Kodak, Itautec, HP, AMERICA ONLINE (AOL), ORKUT e nós aqui execrando e exibindo o que pensam ser um perigoso bandido, para servir de exemplo aos malfeitores.

Penso que Eike não é nenhum santo ou mecenas e tem contas a acertar com a justiça, mas é melhor procurar esses perigosos bandidos em outros lugares.

Milhões de Reais ainda são desviados de hospitais, postos de saúde, medicamentos populares, enquanto milhares de pacientes morrem sem assistência, crianças que não têm o que comer em casa ainda ficam sem a merenda escolar. Professores se esforçam para ensinar em escolas abarrotadas e caindo aos pedaços e até doações a entidades como cruz vermelha e médicos sem fronteiras somem sem chegar ao destino.

Bolsonaro ainda tem uma árdua batalha pela frente e precisa de apoio popular, não confundir com apoio eleitoral, para continuar a limpeza e assepsia de uma nação tão maltratada e saqueada a olhos vistos.

Acho que basta, né!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *