Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

O QUE É A PSIQUÊ?

Nosso psiquismo é composto de ideias, fantasias e sonhos. É o psíquico que nos faz querer viver, olhar e seguir.
Não sabemos a origem desse psiquismo. Sequer sabemos onde ele se aloja em nós. Freud disse – sem conseguir provar – que ele tem um pé no biológico.
Talvez, se ele fosse biológico, ele seria menos inconstante e menos irregular.
Penso que nosso psiquismo não é da nossa natureza. Penso nele como um artifício: algo adquirido do meio em que vivemos. É por isso que ele pode ser depredado de dentro pra fora e de fora pra dentro.
A psique é a vida. Não a vida no sentido biológico. Mas a vida no sentido de amar, querer continuar e acreditar.
É pela psique que nos apegamos aos sabores, sons, texturas, cheiros e paisagens. Sem ela, não temos motivação para comer, beber, amar e gozar.

Não existimos sem o mental.

O pânico é – exatamente – essa sensação de perda do psíquico. É a sensação de estar perdendo o controle de si e adentrando em um mundo estranho a si. A depressão é este esvaziamento de si.
Não sabemos o que leva o psíquico a se depredar. Os médicos dizem que a causa é química e os psicólogos dizem do ambiente.
Em contrapartida, não existe comprimido de conteúdo psíquico. Também, não existe ninguém cem por cento preenchido psicologicamente.
Somos meio que equilibristas da vida. Ora estamos para lá e ora para cá. A questão é não se deixar transbordar demais nem para um lado e nem para o outro.
Contudo, nunca é bom desesperar quando o prato da balança da pulsão de morte estiver um pouco mais para cima. Afinal, precisamos experimentar – ainda que de vez em quando – isto que nos é inevitável.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *