Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

O QUE É UM AMOR EROTOMANÍACO?

Existe limite para o amor? Sim. De modo geral, ele aparece quando os amantes se tornam possessivos, pegajosos, agressivos e ciumentos demais. Ele aparece quando a relação caminha para o constrangimento, para a inconveniência, para as chantagens e perseguições.

O erotomaníaco desconhece os limites do amor. É por isso que a erotomania, quase sempre, termina em tragédia.

O erotomaníaco toma o amor como a coisa mais importante de sua vida. Quem ele ama se torna uma obsessão, um delírio ou uma loucura.

Ele não consegue pensar em mais nada que não seja a pessoa que ele ama. Tudo de seu passa a girar em torno desse amor. Ele deixa de se ver e passa a se ver para o outro quando está diante do espelho. Tudo de si é o outro que está em sua respiração, visão, audição, tato e paladar.

O pouco do outro é tudo para ele. Ele se sente profundamente amado bastando um pequeno gesto, para si, de quem ele ama – ainda que seja um gesto de pura gentileza.

O problema do erotomaníaco é que esse amor é, quase sempre, só seu. Ele entra em uma alucinação que a pessoa que ele ama o ama tanto quanto ele a ama. A questão é quando ele se dá conta da realidade.

É por isso que a pulsão que move a erotomania é, quase sempre, uma pulsão de natureza mortífera.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *