Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

SOBRE SOLIDÃO E PANDEMIA …

 

Geralmente, quando pensamos sobre a solidão, a primeira coisa que nos vem à mente é a ausência de pessoas. No entanto, existe uma solidão ainda pior que essa. É a solidão sem família, sem escola, sem religião, sem ciência, sem filosofia e sem amigos. É a solidão do nada.

Não temos como nos livrar dessa solidão. Todo mundo terá que se haver com ela. Essa solidão está diretamente relacionada à imprevisibilidade do que pode acontecer .

Ela tem a ver com o acaso, com o incontrolável e com o contigente. Pode ser que tenhamos que decidir no próximo minuto sem que nenhum dos recursos que possuímos sirva para resolver.

Ela tem a ver com a nossa capacidade de inventar sobre o estranho, o absurdo e o bizarro. Estaremos protegidos ou solitários – dependendo do que seremos capazes de inventar.

Não há pior solidão do que essa de se ver desprovido de todos os recursos. Não se trata de uma solidão de pessoas. É muito pior. Trata-se de uma solidão de si mesmo.

Não existe ninguém cem por cento pronto para o que der e vier. Só saberemos quem – de fato – somos nos encontros que tivermos com essa solidão. Sendo ela uma solidão do mais absoluto vazio, só poderemos inventar aí algo totalmente genuíno nosso.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *