Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

TEMOS QUE AMAR COMO SE NÃO TIVÉSSEMOS NADA A PERDER …

Temos que amar como se não tivéssemos nada a perder. 

Nada a perder não quer dizer que podemos substituir nossos parceiros por outros. Nada a perder significa que não utilizamos quem amamos como tampão de nossos dilemas pessoais.
Não é nada a perder em relação ao outro. É nada a perder em relação a nós – no sentido de não dependermos de ninguém para as nossas questões mais íntimas.
Ninguém sofre porque perdeu alguém. Não é pelo outro que sofremos. O que nos atormenta é o lugar que o outro deixou de ocupar em nossas vidas. Ou seja, é o lugar que a ausência do outro nos jogou.
Desse modo, amar sem ter nada a perder quer dizer da importância da presença de alguém em nossas vidas, mas quer dizer – também – que não fará muita diferença caso essa presença resolva partir.
Somos seres faltosos. Não somos completos. No entanto, não podemos demandar de ninguém a suplência dessa falta. Essa suplência é nossa.
Vivenciaremos o amor com total liberdade o dia em que dermos conta de amar essa falta em nós – porque só seremos amor com o outro. Se ele quiser ser desamor, que seja, porque isso não nos fará a menor diferença.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *