Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

SOBRE PAIS SUPERPROTETORES …

 

Evaristo Magalhães-Psicanalista.
Atendimento online: WhatsApp 31 996171882

Excesso de zelo detona com a independência.

País controlando os filhos pelo celular e pelas redes sociais. Pais falando por seus filhos.

Autonomia é a capacidade de cada um se dar as próprias normas. Estamos diante de uma geração em pânico quando não está sob os cuidados de seus genitores.

A superproteção infantil vem sendo estendida para a vida adulta. É quase como se os pais fossem a extensão dos próprios filhos. É quase como se filhos e pais não conseguissem respirar sem a ajuda uns dos outros.

É mais que uma dependência afetiva. É um vínculo tão complicado que cria uma compulsão entre amar e o desespero de perder.

Difícil saber quem precisa de mais cuidados: se são os país ou os filhos.

Mães que ligam desesperadas porque a filha esqueceu de avisar que chegou na festa. Mães que ligam várias vezes durante o passeio do filho no Shopping. Universidades que estão fazendo reunião de pais. Pais absolutos: na menor ausência, os filhos caem no vácuo.

Tempo de permanecer a vida toda dentro do útero. Tempo sem cortes. Tempo de relações submetidas. O não-familiar é sempre uma ameaça.

É complicado compensar o medo de perder com excesso de cuidado. É necessário aprender a sobreviver para além da família.

Os filhos parecem acuados quando não estão sob os olhos dos pais. Só sabem agir tendo como referência o amor incondicional que receberam. Respondem com hostilidade quando não são correspondidos. Ou seja, conduzem mal as situações mais corriqueiras.

Tempo de pouca reflexão. Tempo de isolamento. Tempo de muita vulnerabilidade e de pouca independência. Tempo de radicalismos. Tempo do tudo ou nada.

Instagram:@evaristo_psicanalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *