Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

Só Freud para explicar o comportamento do presidente Bolsonaro …

 

Freud diferencia luto de melancolia. O luto é racional e a melancolia é emocional. O luto é para o que pode ser explicado. A melancolia é para o não tem explicação.

Freud nunca compactuou com os melodramas de suas histéricas. Ele sabia que elas queriam dele o que deveriam buscar por elas mesmas.

Política não é melancolia. Política é debate, inteligência, argumentação e consenso. Fazemos política para resolver os problemas do nosso país.

Recentemente, o presidente Bolsonaro passou a adotar a estratégia da vitimização. Passou a colocar a culpa da sua desgovernabilidade no Congresso e no STF. Li uma notícia que ele até chorou no fatídico programa do apresentador Danilo Gentilli.

Ele está tentando misturar luto com melancolia. Está tentando compensar sua incompetência intelectual com pieguices emotivas e baratas.

Quando a questão é da ordem da melancolia, cabe-nos ter compaixão, piedade, acolhimento e cuidado.

Política é luto. Política é luta. Política é inteligência. Política é confronto de argumentos. Política é debate e convencimento. Que vença o melhor!

Ora, Bolsonaro tem problema de déficit cognitivo. O sujeito não sabe nem falar – mesmo lendo. Não sabe escrever. Não entende de economia. Não sabe nada de história. Venceu a eleição com mentiras. Não foi a nenhum debate. Seu guru é um engodo. Seus ministros só falam pataquadas.

Como é possível um sujeito desses querer gerir um país de dimensões continentais como o Brasil?

Passar do luto para a melancolia é estratégia quase natural das pessoas – intelectualmente – fracas. Todo mundo quando não dá conta pelo racional tende partir para a comoção geral – no sentido de ganhar a confiança alheia pela pena e pela vitimização.

Bolsonaro já fez esta passagem. Collor de Melo também a fez no começo dos anos noventa. É o fim da linha.

Todo mundo espera determinação de um presidente da república. Bolsonaro é de dar dó. Falta-lhe tudo para esse cargo. Não sei o que estão esperando para execrá-lo de lá?

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Um comentário em “Só Freud para explicar o comportamento do presidente Bolsonaro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *