Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

O que é saúde mental?

 

Ninguém gosta de sofrer quando perde. Contudo, há perdas insuperáveis – porque são insubstituíveis. Sobre estas, não há o que fazer. Não há palavras que as toque. Não há medicamento que as dope. Não há movimento que as disfarce. Não há reação que as suplante. Não há oração que as exorcize. Sofrer – também – não resolve.
Desse modo, cabe-nos perguntar: e se retirássemos a dor, o que sobraria? Nada. A questão é que sobre tais perdas, não sabemos resolver de outro modo senão com dor.
No entanto, o caminho pelo doer – também – não é a saída. O melhor antídoto para as nossas melancolias é nos esvaziarmos de qualquer sentir. Precisamos aprender a exercitar o sentido do nada diante do que nada cabe. Precisamos aprender a tratar o que não tem explicação com nenhuma explicação.
Não podemos tratar com dor essa coisa da nossa mais absoluta impotência. Não podemos tratar com dor isso que nem a dor mesmo resolve. Qualquer dor, nunca pode ter merecimento.
Se não há nada depois da dor, não temos outra alternativa, senão, ficar com o nada mesmo. Precisamos ver algum sentido positivo no uso contemplativo do vazio. Precisamos aprender a não enlouquecer, a não surtar, a não deprimir, enfim, a não colocar a nossa própria saúde mental em risco diante disso que nada podemos.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *