Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

O Brasil imbecilizou?

A palavra justificativa vem de justificar, fazer justo, tratar com justiça. Penso que no Brasil, neste momento, perdemos a capacidade de justificar.
Uma pessoa aparece nas redes sociais como torturado durante a ditadura militar por defender ideais comunistas. Em princípio, a relação entre torturar e ser comunista é completamente estapafúrdia. Há quem ache justo. Não é. O justo supõe proporcionalidade. A proporção em relação à uma ideia é outra ideia – no máximo – oposta à ela. O equilíbrio é combater uma ideia com outra e não emudecer – de vez – o seu interlocutor.
Para qualquer ideia devo, sim, mostrar minhas razões. Meu modo de pensar. Estabelecer uma interlocução, um contraponto, um debate ou questionar as bases da argumentação expostas pelo meu suposto opositor.
Não é justo torturar e matar quando a questão é da ordem do pensar. Fora que nada pode ser comparado à força violenta do Estado.
Do mesmo modo, não é justo assassinar a companheira uma vez que ela decidiu não dar prosseguimento ao relacionamento. Ou assassinar por traição. Matar, só é válido, em condições muito particulares. Em legítima defesa, por exemplo.
Nada justifica comemorar a morte de qualquer pessoa porque é de esquerda ou de direita. Não justifica tirar a vida de quem quer que seja porque é negra ou LGBT.
Estamos desistindo da palavra, do pensar e da reflexão.
Elaborar aplaca o ódio. Compreender direciona a ação. Pensar antes de agir confere valor à ação.
Parecemos bichos agindo por impulso. Parecemos idiotas vomitando tudo o que vem na cabeça. Parecemos imbecis reverberando ideias alheias – e sem qualquer filtro.
A razão precisa suplantar a emoção. Não a emoção boa. Mas, aquela violenta, impulsiva, odiosa, agressiva e assassina. Estamos descontrolados. Parece que perdemos as referências de agir bem. O primeiro passo é trazer para a palavra os motivos que nos fizeram perder a palavra como a nossa maior norteadora. Ou seja, usar da palavra para tentarmos entender porque estamos deixando de usar a palavra.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

2 comentários em “O Brasil imbecilizou?

  1. A prova do que o tema tratado é consistente está na primeira opinião acima (jagunço). Realmente estamos vivendo a era da boçalidade. Não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Na minha opinião, se deve muito à internet. As pessoas ficam, como leões esperando a presa, alguma notícia, um acontecimento, para logo em seguida dar sua opinião. Ela se acha obrigada a dar a sua opinião. Senão passa a pensar que está fora da mídia, e isso é incompreensível e inaceitável. O ser humano tem a capacidade de pensar, raciocinar e viver em sociedade. Hoje mais parece que eles querem mesmo, a todo custo, é estar certos, e não ser feliz. Pobre humanidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *