Skip to main content
 -
Evaristo Magalhães é Doutor em Psicanálise pela UFMG, Psicanalista Clínico e possui dois livros publicados: Crônicas para amar e A vida dói?

SOBRE A ÉTICA NA SOCIEDADE ATUAL

Nós, psicanalistas, precisamos falar menos e escutar mais o mundo. Tenho tentado pensar menos o mundo a partir de mim, para tentar pensar mundo a partir do próprio mundo. Não sou relativista. Não gosto desse discurso do vale tudo ou do tudo normal. Portanto, aceito tudo, com a condição de que não faça mau a ninguém. Tenho a ética – no sentido do bem – como condição de possibilidade para qualquer coisa. Não vejo nenhum problema em alguém decidir tatuar ou cobrir todo o corpo de piercing. Preocupa-me saber a qualidade do profissional que foi escolhido para tal procedimento. Acho fundamental diferenciarmos – hoje – usuário de dependente químico. Não vejo a menor possibilidade de impedirmos, quem quer que seja, de usar a droga que quiser. Acho mais prudente, na atualidade, ao invés de reprimir, tentar trabalhar mais no sentido do fazer com responsabilidade. Não vejo nenhum problema em quem queira mudar de sexo quantas vezes desejar. Chamo atenção, para que isso não seja feito sem o acompanhamento de uma equipa multidisciplinar. Defendo e defenderei a liberdade. Não podemos é colocar em risco o nosso direito de ser livre. Posso fazer: não posso é me privar do direito de fazer. Posso fazer com a condição de que eu continue fazendo. Se continuo fazendo é porque meu direito à vida permanece preservado. Nesse momento do mundo, penso que é esse o direito que não podemos abrir mão em hipótese alguma.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *