Skip to main content
 -
Duda Lafetá é jornalista. Vive na Inglaterra há quinze anos e fica brava quando falam que ela trocou o Brasil pela terra da Rainha. Ela sempre diz que não substituiu um país pelo outro. Acrescentou mais um. Neste blog, ela conta de tudo um pouco sobre o que acontece na Ilha, que muita gente prefere chamar de Reino Unido.

Sol Vermelho

Meio da tarde. O céu escurece e parece que baixaram um filtro sépia no mundo. Paisagem marciana. Uma luz laranja colore o céu de Londres. É o fenômeno do Sol Vermelho, provocado pela tempestade Ofélia.
Ofélia começou a vida como um furacão nos Açores e desembarcou hoje pela manhã na Irlanda. Até o momento, sabe-se que três pessoas morreram por causa do mau tempo por lá. Não é nada comparado ao furacão Irma, que devastou o Caribe, mas as autoridades não vacilaram: escolas foram fechadas e a recomendação é que só saia de casa se for urgente. Nesta parte do mundo, ninguém esquece outra tormenta terrível, que completa 30 anos hoje.
Entre os dias 15 e 16 de outubro de 1987, um ciclone extratropical varreu esta Ilha e a França com uma violência avassaladora. Ventos de 216km por hora provocaram prejuízos de dois bilhões de libras por aqui. Ao todo, na França e Inglaterra, vinte e duas pessoas morreram.
O sol vermelho, que coloriu o horizonte, não tem nada a ver com o sol. Os ventos do mau tempo estão carregados de areia do deserto do Saara e de fuligem das queimadas que destroem florestas em Portugal e na Espanha. A ‘sujeira’ no ar faz com que o sol pareça vermelho.
A temperatura em Londres está muito mais alta hoje do que é o esperado para esta época do ano.  Até que é bom poder sair sem casaco, mas o céu de ressaca é uma prova de que, quando se trata do clima, este planeta é menor do que possa parecer.

2 thoughts to “Sol Vermelho”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.