Skip to main content
 -
Dani Costa é jornalista por profissão e mãe de pets por amor. Sempre antenada para trazer notícias quentinhas sobre a bicharada. Ativista contra os maus-tratos a animais domésticos, silvestres e exóticos.

Cães e gatos não transmitem a Covid-19 para humanos, mas pesquisa aponta que gente pode contaminar bicho

“Até o momento não existe nenhum estudo científico que comprove que animais contaminem humanos, mas o contrário pode acontecer”, diz professor David Soeiro,  do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG. Foto: reprodução internet

A notícia de que um cão da raça boxer foi detectado positivo ao novo coronavírus, em Belo Horizonte, deixou muito tutor de cabelo em pé. No entanto, segundo o professor David Soeiro, do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), não há motivos para pânico. “Até o momento, não existe nenhum estudo científico que comprove que os animais contaminem humanos. No entanto, humanos podem contaminar os animais”, afirma.

O especialista coordena, em Minas,  o  “Estudo multicêntrico para a vigilância de SARS-CoV-2 em animais de companhia com interface à Saúde Única (PetCovid-19 Study), financiado pelo CNPq e Ministério da Saúde. A pesquisa realizada em várias capitais do Brasil tem o objetivo de saber como o novo coronavírus afeta a saúde dos pets. Apesar de ter sido comprovado que eles podem ser contaminados por pessoas positivas para a doença, a boa notícia é que os sintomas são brandos ou, até mesmo, assintomáticos. Alguns apresentam sintomas respiratórios leves. “Orientamos às famílias que possuem pessoas infectadas em casa, manter distância de seus bichos para protegê-los”, diz David.

Pesquisa aponta que os pets podem ser contaminados por pessoas positivas para a Covid-19. Imagem: de sianbuckler por Pixabay

Até o momento, apenas 11 animais foram testados positivos em todo o território nacional. Destes, um gato (Cuiabá-MT), quatro cães e um gato (Curitiba-PR), dois gatos (Recife-PE), um cão e um gato (Campo Grande – MS) e, finalmente, um cão na capital mineira. Segundo Adriana Araújo, coordenadora do Movimento Mineiro pelos Direitos Animais (MMDA) é preciso ter cautela para não gerar pânico. “É muito importante tratarmos este assunto com responsabilidade, esclarecendo que os pets não transmitem o vírus para humanos. Um mal-entendido pode resultar no abandono de muitos animais”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *