Skip to main content
 -
Dani Costa é jornalista por profissão e mãe de pets por amor. Sempre antenada para trazer notícias quentinhas sobre a bicharada. Ativista contra os maus-tratos a animais domésticos, silvestres e exóticos.

Lar temporário: Projeto de Lei propõe regulamentar abrigo pago para animais

Denúncias contra  lares temporários  pagos são comuns. Em alguns casos, os animais saem da rua para viver em um amontoado de bichos. Foto: reprodução internet

Uma das grandes dificuldades enfrentadas por pessoas que realizam resgates de animais abandonados, é ter um lugar adequado para onde levá-los. O aumento da demanda por lares temporários – locais onde os bichos possam ficar até ser adotados – fez com que muitos se arriscassem na empreitada. Alguns, sem nenhuma aptidão para o ofício. A lida diária com vários cães, e até mesmo gatos, requer muitos cuidados e alguma experiência. Mais do que isso. Exige amor aos bichos.

Em Belo Horizonte e região metropolitana alguns destes abrigos se tornaram um grande negócio, chegando a abrigar 100 cães ou mais, com mensalidades que variam, em média, de R$150 a R$ 350.  E as dúvidas que ficam são: com tantos animais em um só lugar, é mesmo possível dar assistência necessária a todos? Estes espaços possuem infraestrutura adequada  e equipe treinada?

Denúncias contra  lares temporários  pagos não são incomuns. Em alguns casos, os animais saem da rua para viver em um amontoado de bichos, sem alimentação adequada, cuidados veterinários e muito menos atenção. Há casos em que seguem sendo vítimas de maus-tratos. Diante deste cenário, o Projeto de Lei 1.647/2020, de autoria do deputado Osvaldo Lopes, propõe a regulamentação destes espaços em Minas Gerais.

Com regras definidas, o PL pretende garantir o bem-estar dos animais abrigados. Evitando assim,  a repetição de tragédias como a ocorrida em março deste ano, em Contagem. Ocasião em que mais de 60 animais foram mortos, acredita-se que por envenenamento, em um lar temporário da região.

Caso seja aprovado, os responsáveis por LTs terão que emitir relatório de cada animal sob sua custódia, constando cartão de vacina e comprovação de vermifugação e controle de parasitas como pulgas e carrapatos. Os locais terão que ser estruturados com espaços ventilados,  temperatura ideal, área de recreação, alimentação de qualidade, higienização regular, entre outras regras. A omissão das exigências resultará em sanções previstas no PL.

Como escolher Lar Temporário para os pets

  • Busque referências de pessoas confiáveis que gostem de animais
  • Visite o local e verifique toda a estrutura oferecida
  • Observe se os animais estão bem alimentados e abrigados confortavelmente
  • Veja se o ambiente é saudável e se os animais estão felizes
  • Fique atento à higienização do espaço, assim como dos animais e de seus vasilhames
  • Em locais com grande número de bichos, o ideal é que os animais sejam mantidos separados em grupos menores, de acordo com tamanho e temperamento, em amplos canis. Desta forma, evita-se brigas e possibilita cuidados individualizados. O espaço também deve possuir área externa para recreação
  • Desconfie de locais que não exigem cartão de vacina em dia. Nestes casos, a chance de proliferação de doenças viróticas, altamente contagiosas e letais, é grande. Entre elas cinomose e parvovirose
  • Após a escolha do LT, visite o animal periodicamente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *