Skip to main content
 -
Ivan
Barista (desde 2010). Q-Grader (desde 2011). Instrutor SCA (desde 2015). Gerente de Qualidade da Academia do Café e Sócio proprietário da Academia do Café Savassi.

 - Julia
Quinta geração de uma família produtora de cafés especiais. Barista (desde 2006), Q Grader (desde 2013) e instrutora SCA (desde 2015). Responsável pela cafeteria e marketing da Academia do Café e sócia proprietária da Academia do Café Savassi.

Dia Nacional do Café

Como não poderia ser diferente, ele, O Nosso Ouro Preto, a segunda principal commodity do mundo (perde pro Óleo), a segunda bebida mais consumida no mundo (perde pra água), o principal combustível pros nossos cérebros e o principal interruptor de ativação neural das nossas manhãs, o café tem seu dia nacional marcado em nossos calendários desde 2005 (Iniciativa da Associação Brasileira da Indústria do Café, ABIC).

O dia nacional do café foi criado nessa data, pois celebra o início da colheita nas principais regiões produtoras do país. O cafeeiro, no Brasil, produz basicamente uma vez por ano, no inverno.

O ciclo do café basicamente começa em setembro com as primeiras chuvas do verão que estimulam as plantas, que acabaram de passar por um período de seca, e faz com que elas floresçam. As flores são o início da formação dos frutos e logo que elas caem, começam a crescer e quanto mais chove nesta época (verão), mais eles crescem, até a chegada do inverno onde a umidade é menor e os grãos começam a amadurecer, pra então serem colhidos.

Colheita do café maduro com uso de máquina colheitadeira. Fazenda Esperança em Campos Altos – Mg.

A colheita deve ser dos frutos maduros e geralmente é feita manualmente, mas também pode ser feita com máquina colheitadeira (dependem do relevo, homogeneidade de maturação, etc.). Após a colheita, o café vai para pátios de terra na maioria das vezes, podendo também ser de concreto (melhor opção), asfalto ou até mesmo suspenso do chão, para secarem ao sol. Depois de seco o café passa pelo benefício, a fim de separar as cascas e impurezas, da semente, que será torrada em seguida.

Café colhido manual seletivamente sendo seco no pátio de concreto ao sol na Fazenda Esperança.

A maior parte do café produzido pelo Brasil e exportada. A quantidade que consumimos no país também é muito grande porém de baixa qualidade em sua grande maioria. A Terceira Onda do Café vem pra mudar um pouco esta estatística, pois o café a ser consumido pelas cafeterias dessa onda é de excepcional qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.