Skip to main content
 -
Ivan
Barista (desde 2010). Q-Grader (desde 2011). Instrutor SCA (desde 2015). Gerente de Qualidade da Academia do Café e Sócio proprietário da Academia do Café Savassi.

 - Julia
Quinta geração de uma família produtora de cafés especiais. Barista (desde 2006), Q Grader (desde 2013) e instrutora SCA (desde 2015). Responsável pela cafeteria e marketing da Academia do Café e sócia proprietária da Academia do Café Savassi.

O Nosso Ouro Preto.

Este blog é pra falar dele, nosso tesouro nacional, nosso ouro preto, nosso vicio, o café. E ainda sobre tudo que esta por traz de cada xicara de café, suas historias, as mãos em que ele passa e as novidades desse mundo muito pouco explorado, mas que desperta grande paixão por nós, seres terrenos e principalmente por nós brasileiros e mais ainda por nós mineiros.

Desde a infância vimos o café sendo coado pelas mãos de nossos pais, avós, familiares ou seja lá quem for, sempre vimos, tomamos ou fizemos café coado em casa. Não dá pra lembrar a primeira vez em que tomamos café.

Principalmente pra nos mineiros, o café é algo mais que comum em nossas casas. São poucas as pessoas que nunca tomaram café ou viram um pé de café.

A questão é que poucos de nós atentam-se ao plantio, colheita, seca, preparo, torra e a extração desse maravilhoso grão e por quantas mãos ele passa antes de alcançar nossas xícaras.

Seca do café no sol, em terreiro pavimentado na Fazenda Esperança em Campos Altos.

Esse blog ainda tem por objetivo mostrar como é grande o trabalho e como envolve a dedicação de tantas pessoas pra que possamos apreciar (ou apenas cafeinarmos) uma xícara de café todas as manhãs (no meu caso, toda hora) e também a retribuição que o café nos dá, estando presente em momentos muito importantes da história mundial e, algumas vezes, sendo protagonista de feitos e acontecimentos marcantes de nossas vidas.

Para se ter uma melhor noção do poder dessa bebida, basta observar que é a segunda bebida mais consumida no mundo, perdendo apenas para a água (fundamental para a sobrevivência do homem) e é a segunda commodity mais comercializada no planeta, perdendo apenas para o óleo.

Basicamente são duas as espécies de café produzidas no mundo, à espécie Arabica e a Canephora (ou Robusta), sendo a segunda muito comercializada para o preparo de bebidas derivadas de café, como o café solúvel. A espécie arábica é a mais comum no Brasil, onde somos o maior produtor do mundo desta.

 

Classif.

País Produção (Sacas de 60Kg)

1

Brasil 43.200.000

2

Vietnam 27.500.000

3

Colômbia

13.500.000

4

Indonésia

11.000.000

5

Etiópia

6.400.000

6 Honduras

5.800.000

7 Índia

5.800.000

8

Uganda

4.800.000

9 México

3.900.000

10 Guatemala

3.400.000

 

O cafeeiro (árvore de café) é de clima tropical, sendo produzido na faixa entre os trópicos (produzido na América central, América do sul, Ásia e na faixa Leste-Oeste central da África e no Brasil). No Brasil a produção concentra no sudeste, sendo o estado de Minas Gerais o maior produtor do país, produzindo quase a metade da produção nacional. O cafeeiro se encontra, no nosso estado, de oeste (Cerrado Mineiro) a leste (Matas de Minas) e de norte (Chapada de Minas) a sul (Sul de Minas), onde temos duas regiões com indicação de procedência geográfica (indicando a origem específica daquele determinado produto) pelo INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) que são as regiões do Cerrado Mineiro (Triângulo Mineiro) e da Serra da Mantiqueira (Sul de Minas).

Colheita do café maduro. Lavoura do Topázio na Fazenda Esperança em Campos Altos.

O café é a história do Brasil, tendo importante papel nas transformações do país como um todo e ainda hoje sendo cada vez mais explorado e fundamental na nossa economia. Com o aumento do consumo interno tendemos também a melhorar a qualidade daquilo que consumimos. Atualmente tomam-se os restos daqueles cafés selecionados para a exportação. A tendência agora é consumir melhor qualidade e até superior àquela exportada e com a imensa vantagem de um preço justo, pois esses cafés excepcionais são produzidos em uma das áreas mais populosas do país, o sudeste.

3 comentários em “O Nosso Ouro Preto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.