Skip to main content
 -
Jornalista especialista em Produção em Mídias Digitais e mestre em Comunicação Digital Interativa. Atualmente, é articulista no portal Simi (Sistema Mineiro de Inovação), ligado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e professor de jornalismo no Uni-BH e no MBA do IEC PUC Minas nas áreas de Inbound Marketing e E-commerce. Contato: VISITE MEU SITE: www.alyssonlisboa.com.br Whatsapp: 31 998316905. Email: alyssonlneves@gmail.com

Diretor do Facebook vem ao Brasil para falar do futuro do marketing

Comércio on-line busca dar ao cliente uma experiência cada vez mais imersiva. Fórum realizado em São Paulo reuniu milhares de empresários. Mineira Méliuz ganha prêmio durante o evento

O comércio eletrônico no Brasil responde apenas por 5% de todas as operações no varejo do país, mas o Fórum E-commerce Brasil 2018, realizado em São Paulo, parece mostrar números bem maiores. Os dois pavilhões do Transamérica Expo Center ficaram pequenos para tanta gente que circulava por lá. A estimativa é de que passaram pelo local mais de 7 mil pessoas. Cerca de 220 expositores e empresas de peso marcaram presença como Google, Amazon, Vtex, SAP e a mineira Méliuz.

O fórum, que está em sua 9ª edição, é considerado o maior evento brasileiro para varejistas e profissionais de e-commerce. Entre os palestrantes internacionais, destaque para a apresentação de Marta Dalton, diretora global de E-commerce da Coca-Cola. Simpática com a plateia que lotou o auditório Vendas na última quarta-feira (15), Marta apresentou alguns números da gigante do setor de bebidas. Neste ano, a expectativa é de um crescimento de 12% com R$ 60 bilhões em vendas.

Mas o sucesso da Coca está balizado pelos componentes estratégicos da marca. Segundo a palestrante, eles estudam profundamente a cultura e os valores que os consumidores buscam e fazem campanhas de marketing com forte apelo emocional, que proporcionam um engajamento profundo e relação próxima com a empresa.

Outro motivo do sucesso da marca é seu modelo de segmentação que observa cada etapa do ciclo de vida e estágios de seus consumidores, além, claro, de uma gestão de canais de distribuição que é referência em todo o planeta.

Startups mostram soluções

Elas estão por toda parte. Gestão de canais, Inteligência Artificial, Influenciadores e Marketing. As startups brilharam durante o evento que terminou nesta quinta-feira (16). O espaço também contou com o Hackathon E-Commerce (foto acima), em que os participantes puderam trazer soluções para o setor e validar ali mesmo entre as empresas presentes. Abraão Sena da Silva, coordenador do programa, destaca que esse modelo de trabalho é a primeira vez que acontece no E-Commerce Brasil. “Essa mudança de mindset usa o hackathon como ferramenta de transformação dentro das empresas. Essa iniciativa conecta pessoas que já participaram do evento em outros anos e também gente que não conhecia o fórum”, completa Abraão. Os finalistas realizaram um pitch ao final do evento e foram premiados.

Minas também marca presença

Méliuz, startup de cashback de Belo Horizonte, também marcou seu território no fórum. A empresa realizou palestras e pode mostrar um pouco do seu modelo de negócios. Israel Salmen, CEO da Méliuz (foto acima), destaca a grandiosidade do evento e conta que em 2019 deve internacionalizar a marca. “No mundo físico temos ainda diversos desafios a enfrentar, então nosso foco hoje é fortalecer a marca e as parcerias dentro do Brasil.

Hoje com 150 funcionários, a Méliuz cresce rapidamente e acompanha a evolução do comércio eletrônico no país nos últimos anos. Para Israel, no início o Méliuz tinha um árduo trabalho para convencer as pessoas que parte das compras realizadas no comércio seria revertida em dinheiro na conta bancária, sem burocracia. Hoje, isso ainda não foi totalmente superado, mas a desconfiança é bem menor. “O cashback será sempre o principal negócio do Méliuz, mas vamos agregando novas funcionalidades à plataforma”, conclui Israel.

Com mais de 2 billhões de usuários, o Facebook também falou no evento

Hoje em dia, pensar em atrair clientes para o e-commerce sem utilização do Facebook como ferramenta de propagação é quase impossível. Martin Barthel, Head Global de Estratégias de E-commerce do Facebook, pela primeira vez desembarcou no Brasil e contou um pouco sobre as soluções da empresa para atrair, fidelizar e melhorar a relação entre marcas e clientes.

As novas tendências estão ligadas a experiências, cada vez mais imersivas e fluidas com os clientes. Marcas e empresas precisam captar o momento ideal para oferecer produtos. Para dar conta dessa demanda, as análises de dados e ferramentas de gestão são as opções necessárias.

Jornada de compra. Eles sabem tudo sobre você

A SAP, uma das mais importantes empresas de solução tecnológica, aposta na experiência do consumidor. Hoje já é possível acompanhar a jornada de compras dos clientes em todos os pontos de acesso com as marcas. Para um mercado que não para de crescer, o e-commerce busca, a cada dia, interpretar a vontade dos clientes e visitantes dos sites para entregar sugestões de produtos cada vez mais customizadas. E a tecnologia apresentada na feira trouxe inúmeros exemplos.

O Market Place, uma espécie de shopping center virtual, vem ganhando muita força também. Mercado Livre, E-bay e tantas outras empresas “emprestam” seu grande fluxo de visitantes para comercializar os mais diversos produtos. No fórum não faltaram soluções de integração de lojas com meios de pagamento, softwares de gestão financeira e fiscal.

Qual o futuro do e-commerce?

Levar o cliente para uma experiência de compra cada vez mais imersiva e fácil. Fidelizar e entregar propagandas no momento que eles estejam mais propensos a comprar. O futuro do e-commerce passa também pelo uso crescente de chatbots – metade da audiência do Messenger do Facebook já interage com esse tipo de tecnologia.

Uma tendência trazida pelo diretor global do Facebook, Martin Barthel, e reforçado por Amit Shah – CMO da 1-800-Flowers, empresa norte-americana líder no segmento de presentes e flores, é de que a voz é a nova ferramenta que as empresas de tecnologia têm nas mãos para transformar vendas. Segundo os palestrantes, o volume de informação que está sendo captada pelos aplicativos e sensores, como Google Home e Alexa da Amazon, vão mudar o modo como realizamos compras.

Comando de voz é a bola da vez

Basta pedir ofertas por comando de voz que seu feed do Instagram trará as melhores opções para você de modo instantâneo. Novos caminhos sinalizam que cada vez mais a compra será feita de modo simples e com menos cadastros ou exigências. Você pode comprar produtos e agendar entregas, mudar o endereço com apenas um clique e pagar com link direto com seu banco em apenas uma tela.

O Fórum E-commerce Brasil mostrou que as redes sociais podem ampliar a experiência do produto com fotos mais imersivas, utilizando tecnologia 360 graus e conteúdos interativos. Vídeos instantâneos como o stories do Facebook ajudam muito a engajar a audiência e converter vendas. Segundo Martin Barthel, 79% dos consumidores preferem assistir a um vídeo a ler sobre ele nas redes sociais. Isso mostra a necessidade da criação de conteúdos mais imersivos e dinâmicos.

Cada vez mais, as experiências serão complementares

Chegará um tempo em que lojas físicas e virtuais não terão diferenças tão distintas. O cliente pode hoje começar uma compra na loja física e terminar a operação em uma loja virtual. O processo de compras está cada vez mais diluído em multitelas e multiplataformas. O certo é que esse tímido e crescente mercado está cada vez mais atento aos nossos movimentos na internet. Vamos ser fisgados por propagandas certas na hora certa e cada vez mais “invisíveis”.

Artigo publicado originalmente em www.simi.org.br

Postagens relacionadas

vidadigital

Jornalista, blogueiro e consultor sobre novas mídias e marketing digital. Mestre em comunicação digital interativa e especialista em produção em mídias digitais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *