Skip to main content
 -
Jornalista especialista em Produção em Mídias Digitais e mestre em Comunicação Digital Interativa. Atualmente, é articulista no portal Simi (Sistema Mineiro de Inovação), ligado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e professor de jornalismo no Uni-BH e no MBA do IEC PUC Minas nas áreas de Inbound Marketing e E-commerce. Contato: VISITE MEU SITE: www.alyssonlisboa.com.br Whatsapp: 31 998316905. Email: alyssonlneves@gmail.com

Aplicativos podem reduzir maus-tratos contra animais

A intolerância também chegou para os animais. Essa semana o Brasil ficou estarrecido com a violência cometida contra um cão que ficava próximo de um supermercado em Osasco, São Paulo. Segundo que foi relatado, um funcionário a mando de seu superior resolveu retirar o animal da porta do estabelecimento alegando que estava atrapalhando os clientes. A medida tomada pelo funcionário não poderia ser mais violenta. Com um pedaço de pau espancou o animal que veio a óbito.

O episódio não apenas arranhou a imagem dessa multinacional de supermercados, mas também colocou na pauta a real necessidade de pensar políticas públicas para dar o destino certo a cães e gatos abandonados nas ruas. Segundo a Organização Mundial da Saúde estima que só no Brasil existam mais de 30 milhões de animais abandonados, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães.

Mas a tecnologia pode dar um força e possibilitar que cães ganhem novos lares e se reduza a violência. Uma dessas soluções  disponível nas app stores é o Adota Aqui. A plataforma tem como objetivo principal conectar pessoas que possuem interesse em adotar cães e gatos. Outro aplicativo semelhante é o Adota Pet, gratuito, integra ONGs e adotantes de modo rápido e simples. Quanto mais conseguirmos dar um lar para os cães que estão em estabelecimentos e clínicas, mais a chance de que novos animais cheguem, gerando assim, uma redução no tempo de permanência de animais como cães e gatos nas ruas.

No aplicativo SOS Pet – Adoção responsável é possível também fazer  denúncias de maus-tratos de forma fácil e intuitiva. Outra solução, chamada de Adô é uma rede social para adoção de animais domésticos. Com filtros você pode escolher o porte do animal e interagir com os doadores. A tecnologia busca reduzir disparidades, injustiças e tempo em que as coisas acontecem. Antes da criação dos aplicativos, para que fosse possível adotar um animal era preciso uma via sacra pelas instituições de apoio e amparo de animais.

Agora, com apenas um clique, você pode conhecer os pets disponíveis para adoção, localizar o endereço que eles estão e ajudar a reduzir esses índices alarmantes de abandono e descaso. São 30 milhões de animais sujeitos a todos tipo de violência como aquela ocorrida em São Paulo. O Facebook também está repleto de grupos e Ongs que trabalham para encontrar um lar para os pets. Uma delas é a 101 viralatas.

vidadigital

Jornalista, blogueiro e consultor sobre novas mídias e marketing digital. Mestre em comunicação digital interativa e especialista em produção em mídias digitais.

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *