Os cuidados na exploração de cavernas

Publicado em blogueiros

Há alguns dias, o mundo está acompanhando a aflitiva situação de doze meninos e seu treinador, presos na caverna Tham Luang, em Chiang Rai, na Tailândia. Os garotos fazem parte de um time de futebol e têm entre 11 e 16 anos. Após intensa procura, no dia 2 de julho, o governo tailandês conseguiu localizá-los com a ajuda de mergulhadores internacionais, ou seja, nove dias após o seu desaparecimento (23/6).

O grupo buscou abrigo no local para se proteger da chuva, que é comum naquela região nesta época do ano. Entretanto, não conseguiram sair da caverna, pois, a tempestade se intensificou e as águas subiram muito rapidamente, forçando-os a entrar em área cada vez mais profunda. Surpreendidos pela inundação da rede subterrânea, viram-se presos e sem ter como voltar, já que a caverna é grande (10 km) e possui muitas ramificações.

O fato ocorrido nos leva a destacar uma atividade de turismo de aventura, o Espeleoturismo, que explora cavernas, grutas, lapas, tocas e afins, com a transposição de obstáculos naturais, como rochas, cachoeiras e até rios subterrâneos.

Minas Gerais é o estado brasileiro com o maior número de cavernas. Entretanto, o potencial turístico das grutas mineiras é pouco explorado, visto que mais de 95% estão fechadas à visitação.

Estes ocorrem, principalmente, em época de cheias repentinas de rios e córregos que, por ventura, percorram cavernas, em razão de chuvas fortes e tempestades, podendo causar afogamento e lesões.

Dicas de segurança:

  • Esteja com o equipamento completo e em bom estado de manutenção;
  • Não subestime lances aparentemente fáceis de escalada e desescalada no interior das cavernas. Use sempre uma corda de apoio e/ou segurança;
  • Não entre em cavernas com rio se houver previsão de chuva;
  • Não se aventure em cavernas sem um condutor notoriamente competente;
  • Mantenha sempre alguém informado sobre a caverna que irá visitar, com o horário previsto de retorno;
  • Nunca frequente uma caverna sozinho (são recomendados grupos de, no mínimo, três pessoas) e esteja sempre acompanhado do condutor. Não sair da trilha.  É imprescindível conhecer e respeitar as normas de visitação dos parques e cavernas turísticas, bem como cientificar-se dos riscos e fragilidades que apresentam;
  • Excursões em cavernas são muito cansativas. A fadiga potencializa o risco de acidentes. Deixe que o mais cansado dite o ritmo e permita a si e aos colegas paradas para descanso sempre que necessário;
  • Evite a hipotermia, aos primeiros sinais procure combatê-la;
  • Evite beber a água existente dentro das cavernas. Leve sua própria água potável;

Para mais informações acesse: http://www.feriasvivas.org.br/atividade-espeleoturismo/

http://abeta.tur.br/pt/atividades/espeleoturismo/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *