Skip to main content
 -

Compromisso público. Essa é a mais apropriada definição para a Universidade Federal de Minas Gerais, instituição de ensino superior que, em 2017, completa 90 anos de existência. E, por que não dizer, 90 anos de excelência, de solidez, de inovação, de relevância, de transformação, de resistência.

Para comemorar seu aniversário, a UFMG preparou uma agenda que evidencia o que ela tem de melhor: o respeito à sua história e à memória de servidores – professores e técnico-administrativos - e estudantes que construíram e constroem a Instituição; a vocação para a proposição do debate e da reflexão que analisam o presente e apontam para o futuro; a valorização do ensino, da pesquisa, da extensão e da cultura, que garantem sua relevância social.

Acompanhe neste blog parte dessas histórias e visite também o site www.ufmg.br/90anos

UFMG recebe mostra com trabalhos de ciência de 3 mil alunos da rede pública de BH

Uma movimentação diferente foi percebida no campus Pampulha da UFMG nesta quinta-feira. Uma fila de ônibus escolares se formou em frente à Estação Ecológica, onde cerca de 3 mil alunos do ensino fundamental de Belo Horizonte participam, entre hoje e amanhã, da primeira Mostra de Investigação Científica Escolar (Mice).

Como uma grande feira de ciências, em meio à natureza, a mostra reúne 80 trabalhos produzidos por alunos e professores da rede pública municipal, com temas que eles mesmos escolheram. Uma oportunidade para a revelação de talentos e estímulo à iniciação na cultura científica, com o apoio de monitores da UFMG que atuam em programas educativos nas escolas.

Cultura indígena, identidade negra, astronomia e plantio de hortas urbanas foram temas abordados em alguns dos trabalhos apresentados, como mostra o vídeo da TV UFMG:

https://www.youtube.com/watch?v=4kx5tA0ldnc

Várias outras atividades estão programadas, como visita ao Planetário e à exposição Física Fácil, além de oito oficinas interativas, nas quais os estudantes aprendem, por exemplo, sobre plantio, compostagem e conservação de energia. Eles também se aventuram pelas trilhas ecológicas da Estação e podem até assistir a uma sessão de cinema no Cineclube Olaria.

Resultado de parceria entre a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da UFMG e a Secretaria Municipal de Educação, com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a iniciativa envolve o Departamento de Gestão Ambiental da UFMG, o grupo de pesquisa Tramas do Barro, da Escola de Belas Artes, o Laboratório Física Fácil, do Instituto de Ciências Exatas, o Museu de Ciências Morfológicas, o Observatório Astronômico Frei Rosário e o Projeto Manuelzão.

História  

Com 114 hectares de vegetação, o terreno da Estação Ecológica era uma fazenda, que foi desapropriada e cedida à UFMG pelo presidente Juscelino Kubitscheck, em 1955. Entre as décadas de 1940 e 1950, o local também sediou um abrigo de crianças carentes, o Lar dos Meninos Dom Orione. No final da década de 1980, o local foi recuperado e transformado em área de conservação ambiental urbana, por meio de um convênio da UFMG com a Prefeitura de Belo Horizonte.

Olaria do Lar dos Meninos Dom Orione, que funcionava onde atualmente está sediada a Estação Ecológica da UFMG

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *