Skip to main content
 -

Compromisso público. Essa é a mais apropriada definição para a Universidade Federal de Minas Gerais, instituição de ensino superior que, em 2017, completa 90 anos de existência. E, por que não dizer, 90 anos de excelência, de solidez, de inovação, de relevância, de transformação, de resistência.

Para comemorar seu aniversário, a UFMG preparou uma agenda que evidencia o que ela tem de melhor: o respeito à sua história e à memória de servidores – professores e técnico-administrativos - e estudantes que construíram e constroem a Instituição; a vocação para a proposição do debate e da reflexão que analisam o presente e apontam para o futuro; a valorização do ensino, da pesquisa, da extensão e da cultura, que garantem sua relevância social.

Acompanhe neste blog parte dessas histórias e visite também o site www.ufmg.br/90anos

Conhecimento acessível: UFMG promove sessão de astronomia para surdos

Atividade da oficina Sábado com Libras, em março de 2017. Foto: Assessoria de Comunicação/Espaço do Conhecimento UFMG.

O Espaço do Conhecimento UFMG, museu situado na Praça da Liberdade, retoma neste fim de semana a atividade Sábado com Libras, com uma sessão do Planetário gratuita e acessível para visitantes surdos. No dia 26 de agosto, às 11h, será apresentada a exibição comentada Astronomia Indígena com Libras, que revela como os povos guaranis enxergam os fenômenos celestes e as constelações. Para participar, é necessário fazer inscrição prévia.

Desde novembro de 2015, o Espaço realiza oficinas temáticas mensais em Língua Brasileira de Sinais (Libras) sobre teatro, astronomia, desenho e música. A proposta é que o museu seja um local de encontros e de trocas para pessoas que estudam ou são fluentes em Libras.

A iniciativa demonstra a preocupação da UFMG em buscar alternativas de acessibilidade que tornem os espaços atrativos para todas as pessoas. Até 30 de novembro de 2017, o Espaço do Conhecimento recebe propostas da comunidade para as próximas oficinas do Sábado com Libras.

Universidade acessível

Ao completar 90 anos, a UFMG reconhece a acessibilidade como uma questão fundamental. Nesta semana, nos dias 22 e 23 de agosto, o tema foi abordado no Primeiro Seminário Acessibilidade em Bibliotecas Universitárias. Na ocasião, foram apresentadas ações da UFMG direcionadas para as pessoas com deficiência.

Desde 1992, a Biblioteca da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich), no campus Pampulha, conta com o Centro de Apoio ao Deficiente Visual (CADV), que dispõe de computadores com acesso à Internet, impressora Braille, lupa eletrônica, além de softwares para a digitalização de textos. As bibliotecas dos campi Saúde e Montes Claros também contam com recursos especiais de leitura para usuários com deficiência visual.

Em fevereiro de 2015, a Universidade criou o Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI), responsável por iniciativas que garantam não só o ingresso de estudantes e servidores com deficiência, mas também sua permanência, participação e autonomia. “Auxiliamos alunos que precisam de organização da rotina, adaptação no seu currículo, flexibilização de matrícula em determinadas disciplinas ou uma monitoria mais específica”, exemplifica a coordenadora do NAI, Adriana Valladão, no vídeo da TV UFMG. Assista:

https://www.youtube.com/watch?v=mzanFYccYqI&t=68s

Por meio do NAI, o estudante da UFMG também pode solicitar serviços de interpretação e tradução em Libras.

Um comentário em “Conhecimento acessível: UFMG promove sessão de astronomia para surdos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *