Skip to main content
 -

Compromisso público. Essa é a mais apropriada definição para a Universidade Federal de Minas Gerais, instituição de ensino superior que, em 2017, completa 90 anos de existência. E, por que não dizer, 90 anos de excelência, de solidez, de inovação, de relevância, de transformação, de resistência.

Para comemorar seu aniversário, a UFMG preparou uma agenda que evidencia o que ela tem de melhor: o respeito à sua história e à memória de servidores – professores e técnico-administrativos - e estudantes que construíram e constroem a Instituição; a vocação para a proposição do debate e da reflexão que analisam o presente e apontam para o futuro; a valorização do ensino, da pesquisa, da extensão e da cultura, que garantem sua relevância social.

Acompanhe neste blog parte dessas histórias e visite também o site www.ufmg.br/90anos

Crises econômica e política em foco na abertura da Reunião Anual da SBPC

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

“Não se pode pensar um modelo de nação soberana sem ciência, tecnologia e inovação”, afirmou a presidente da SBPC, Helena Nader, na solenidade de abertura do maior encontro científico da América Latina.

Com Agência de Notícias da UFMG

Reitor Jaime Ramírez em seu pronunciamento. Foto: Foca Lisboa/ UFMG

Manifestações contra a perda de conquistas, que ameaça o financiamento e desenvolvimento da pesquisa no Brasil, deram o tom dos discursos da solenidade de abertura da 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada no último domingo, 16.

“Reconhecemos a necessidade de preservar o equilíbrio das finanças públicas”, afirma o reitor da UFMG, Jaime Ramírez, demarcando entretanto que a oposição da comunidade acadêmica ao congelamento dos gastos em educação, ciência e tecnologia não deve ser entendida como uma postura de irresponsabilidade em relação ao momento que o país atravessa, mas uma firme defesa da própria soberania nacional.

A solução dos problemas fiscais do estado e o financiamento dos gastos sociais dependem da melhoria na eficiência e na qualidade do gasto público – “algo que não temos visto” – e da retomada do crescimento econômico, afirma Ramírez. Segundo o reitor, esses gastos devem ser tratados como investimento num futuro melhor para o país, não como custos correntes, e jamais limitados ou corrigidos pela inflação do ano anterior.

Helena Nader: luta contra o obscurantismo que assombra a ciência. Foto: Foca Lisboa/ UFMG

Não se pode pensar um modelo de nação soberana sem ciência, tecnologia e inovação

De acordo com a presidente da SBPC, Helena Nader, é necessário lutar “contra o obscurantismo que assombra a ciência” e contra retrocessos na legislação que põem em risco o estado laico, a ciência e a educação no país. Em seu discurso, a presidente afirmou que não se pode pensar um modelo de nação soberana sem ciência, tecnologia e inovação.

Na opinião do reitor da UFMG, cabe às instituições ficar vigilantes. E para isso, elas precisam garantir a continuidade dos avanços já alcançados, “sem nenhum retrocesso”, promover o desenvolvimento acelerado das regiões menos desenvolvidas do Brasil e, à luz do Marco Legal de Ciência e Tecnologia, ensejar a mais rápida introdução das inovações ao processo produtivo do país.

Celebração em dose dupla

Realizada no auditório nobre do Centro de Atividades Didáticas de Ciências Naturais (CAD 1), no campus Pampulha, a solenidade de abertura foi transmitida pela internet e teve interpretação simultânea em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O evento integra as comemorações de 90 anos da UFMG, universidade que recebe, pela quinta vez, a Reunião Anual.

O maior evento científico da América Latina segue até o próximo sábado, 22. A programação científica inclui 69 conferências, 82 mesas-redondas, 16 sessões especiais e 57 minicursos. Também integram a agenda cinco assembleias, duas reuniões de trabalho e seis encontros de sociedades científicas e entidades, sessão de pôsteres e lançamento de livros.

Gratuito e aberto ao público, o evento deve atrair diariamente ao campus Pampulha cerca de 10 mil pessoas. A inscrição é necessária somente para quem quiser frequentar minicurso (vagas limitadas) ou obter o certificado de participação geral e o material do evento.

 

Edição: Gabriel Araújo sob supervisão de Alessandra Ribeiro

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Relacionados

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*