Precisamos falar sobre: Produtividade.


Por Rodrigo Paulucci

Começar um negócio não é fácil. São milhões de tarefas diárias, e quando se está começando, as atividades variam das mais estratégicas as mais operacionais. O empreendedor é o verdadeiro CEO (Chief Everything Officer) e sua única função neste momento é fazer o que tem que ser feito.

Ser multitarefa é um dos principais desafios para o empreendedor. E isto exige uma capacidade única de ser produtivo. Tomar decisões rapidamente, escolher quais demandas atacar e entregar viram parte do cotidiano e habilidades mínimas exigidas.
E o maior risco nesta fase é o empreendedor se embolar com centenas de demandas simultâneas e executar parcialmente cada uma delas, trabalhar 12, as vezes 15 horas por dia e ainda chegar em casa com a sensação de que não produziu nada. Por isso, é muito importante que o empreendedor consiga ser extremamente produtivo e entregar o máximo possível no menor espaço de tempo, para assim conseguir levar a empresa para o próximo nível.

Não existe uma fórmula mágica da produtividade. Se buscarmos na internet, encontraremos centenas de posts, livros e vídeos sobre o assunto, que prometem maravilhas, mas que obviamente não são soluções definitivas. E minha intenção aqui não é criar um guia prático, mas sim passar o que funciona para mim. Não necessariamente irá funcionar para você, mas pode te ajudar a encontrar sua própria fórmula produtiva.

Minha fórmula da produtividade está baseada em 4 pilares que trabalho constantemente.

1) Saber o que e quando atacar: Divido meus dias em assuntos prioritários. Na segunda-feira, minha prioridade é Produto. Faço as reuniões de planejamento, revisão de novos lançamentos e fico totalmente à disposição da equipe de Produto para fazer as coisas andarem. Na terça-feira tiro o dia para atividades de gestão da empresa como reuniões de diretoria, conselho de administração e assuntos relacionados. Na quarta para minha prioridade é o Marketing e assim sucessivamente.
Esta é uma fórmula que li em um post sobre como Jack Dorsey consegue ser CEO de duas empresas de capital aberto ao mesmo tempo e resolvi adaptar para minha realidade. Funcionou bem e desde então tenho mantido este hábito.

Esse modelo de gestão impactou não só minha rotina, mas também dos times que trabalham diretamente comigo. Foi interessante ouvir o feedback da equipe se adaptou a este modelo que esta rotina beneficiou muito o cotidiano de trabalho, já que eles agora têm mais previsibilidade de quando novamente iremos nos reunir e o tempo para se preparar e retornar com os assuntos pendentes da reunião anterior.

2) Criar hábitos: Conseguir tornar uma atividade em um hábito pode ser uma poderosa ferramenta para aumentar a produtividade. Cobra-se muito do empreendedor o pensamento fora da caixa, mas pouco fala-se de como hábitos cotidianos ajudam a transformar o pensamento diferenciado em ações. Hábitos são extremamente úteis para tornar “automático” a execução de uma rotina e sobrar mais tempo para atividades criativas.
Procurei cativar hábitos que me ajudassem a lidar com o estresse do dia a dia (corro 4x por semana na hora do almoço), e outros que também pudessem me desenvolver como gestor e líder (leitura, cursos livres).

Recentemente li o livro O Poder do Hábito que transformou minha maneira de enxergar os hábitos.

3) Aprender sempre: Aprendizado constante é o mínimo que se espera de um empreendedor e também a base para uma vida produtiva. Você tem obrigação de aprender sempre e em diversos formatos: artigos, pesquisas, infográficos, podcasts, vídeos, enfim, diversas formas. Procuro me especializar em temas relacionados a uma necessidade específica da minha empresa naquele período de tempo, como por exemplo técnicas de inside sales ou publicidade nativa.

Leio em média 2 livros por mês, além de ouvir com frequência a 3 podcasts.

4) Usar as ferramentas corretas: utilizar as ferramentas corretas são fundamentais para um dia a dia produtivo.
Atenção, elas devem te servir e não vice-versa. Conheço pessoas que adoram trocar de ferramentas toda semana, e o uso delas acaba sendo sua atividade fim, e não o meio para serem mais produtivas.

Algumas das ferramentas de uso pessoal que uso no dia a dia são:

– Worklife: Sabe aquela ata da reunião passada que você não encontra? Sabe aquela agenda que você gostaria de montar para a reunião e não conseguiu? Com o Worklife estes problemas não existem mais. Conectado à sua agenda, é uma excelente ferramenta para gestão de reuniões e atas. Existem templates padrões (mas também passíveis de customização) para reuniões e aquelas recorrentes aparecem com histórico de tudo que foi anotado.

– Evernote: Minha memória online. Gravo tudo de maneira organizada. Documentos, artigos, memórias rápidas. Se não está no Evernote, não está na minha memória.

– Mixmax: importante integrado ao Gmail. Lá consigo agendar e-mails, verificar se foi lido ou não e enviar disponibilidade e convite para reunião no mesmo ambiente. Agiliza muito a vida.

– Pocket: concentro todos os artigos que tenho para ler e uso um sistema de categorização eficiente para conseguir buscar artigos já lidos, mas que um dia retomarei.

– Momentum: uma extensão simples para o Google Chrome que me permite escrever o principal objetivo de cada dia e alguns to-dos complementares. Já testei algumas ferramentas de gerenciamento de tarefas, mas tudo acabava em desuso. Este simples addon, por ficar na sua tela principal do Chrome, está sempre em exposição e te ajuda a manter um objetivo a cada dia.

Esta é a minha fórmula mágica, que busco seguir à risca para ser efetiva. Cada hábito e atividade vêm acompanhados do que me ajuda a produzir mais. Gosto de ouvir música clássica quando preciso concentrar, mas gosto de rock quando tenho que me estimular e transmitir energia em uma reunião. Depende do momento, mas aprendo a me condicionar para entrar no que chamo de modo hiper-produtivo.

Mas cada um tem sua própria forma de ser produtivo, que deve ser levada em consideração de acordo com estilo de vida, função no trabalho e como a pessoa . Se você é mais produtivo à noite, vá em frente, crie seus hábitos e atividades voltadas para este momento. Se você é mais produtivo ouvindo música clássica ou heavy-metal não importa. O que importa é conseguir atingir o modo hiper-produtivo e que ao fim do dia temos a sensação de dever cumprido. E melhor, com vontade e energia para começar tudo de novo.

3 Comentários

  • Tio deo disse:

    Excelente depoimento de como se deve empreender e produzir de forma organizada e com foco e objetivos
    Gostei muito dos comentários e principalmente dos hábitos que nos abre os horizontes e criatividade para inovar.
    Parabéns Rodrigo

  • Robson disse:

    Gostei muito do depoimento, pois abriu mais a minha mente para busca atitudes empreendedoras, e conseguir ter um planejamento organizado e focado. Assim tendo conhecimentos para a tomada de decisão em momentos diversos, e adoro ler livros e vou me empenhar a ler mais livro.
    Parabéns e vamos ao sucesso!

Deixe uma resposta


*