Israel Salmen relembra sua história e o começo da Méliuz


Por Israel Salmen

Empreendendo desde novo

Ganhei meu primeiro computador aos 12 anos de idade mais ou menos, e pouco tempo depois tive acesso à internet pela primeira vez. Como sempre fui muito curioso em saber mais sobre como as coisas funcionavam, comecei a estudar mais sobre programação e sobre como construir sites. A partir desse desejo, e estudando sozinho, aprendi e ganhei boas noções de design e programação.

Sempre que eu passava por alguma experiência que eu gostava muito, ficava querendo criar algo semelhante para mim e poder compartilhar com as pessoas, assim elas teriam experiências boas como a que eu tive. Por exemplo: Tive hamsters na infância que ganhou filhotes, e minha vontade era vender/passar um filhote para cada um dos meus melhores amigos, assim eles também teriam aquela felicidade que eu tinha.

Quando andei de Kart pela primeira vez, passei a sonhar em ter minha própria pista, assim eu poderia ter aquela experiência excelente todos os dias e ainda poderia compartilhar isso com outras pessoas.

Depois desse vieram outros negócios online dos quais tenho muito orgulho de ter criado, como o Galeria Gospel, site que reunia fotos de pessoas que frequentaram eventos gospel das cidades de Governador Valadares, Belo Horizonte, João Pessoa e Guarapari.

Enfim, a minha paixão era por isso, criar algo útil, que fosse gerar satisfação para as pessoas, independente de ser no mundo eletrônico ou não.

Como o Méliuz começou

No ano de 2006 me mudei para Belo Horizonte para cursar o terceiro ano do Ensino Médio e no ano seguinte comecei a cursar Economia na UFMG. Foi quando conheci o Ofli, atual co-fundador do Méliuz, e fundamos juntos, ainda durante a faculdade, uma gestora de investimentos chamada Solo Investimentos. A empresa estava caminhando bem mas as falhas durante o caminho foram diversas. No entanto, em um certo momento nem eu, nem o Ofli, nem o resto time estavam muito engajados. Ficaram dois aprendizados importantes dessa experiência: ter um objetivo claro, um time engajado e nunca ser reduzido a apenas pensar em como fazer dinheiro, mas em sim como criar algo útil para as pessoas, e algo onde que todas as partes envolvidas sempre saiam ganhando. Foi aí que decidimos começar tudo do zero e vendemos a gestora de investimentos.

Começamos então a estudar os programas de fidelidade já existentes, que remuneravam os seus clientes com pontos. Percebemos que as pessoas usavam porque não tinham opção, e que estavam muito insatisfeitas porque nunca conseguiam trocar os pontos por algo que elas queriam, ou ficavam chateadas porque antes de conseguirem juntar, os pontos expiravam.

Depois de muito estudar o mercado nacional e também internacional, chegamos ao conceito de cash-back para as lojas do e-commerce brasileiro. A proposta era simples: a cada venda que gerássemos para nossas lojas parceiras, receberíamos uma comissão, e parte dessa comissão repassaríamos para nosso usuário que fez a compra. Nada mais de pontinhos de fidelidade para trocar por produtos, mas sim dinheiro de volta diretamente na conta bancária do usuário, sem nenhum custo.

Apesar de parecer uma ideia excelente e muito simples, tivemos muita dificuldade de fazer o negócio decolar. Como conseguimos um investimento antes mesmo de ter o negócio estabelecido, o dinheiro recebido acabou tirando um pouco o nosso foco, e em vez de procurar boas pessoas pra compor nossa equipe, conversar mais com os primeiros usuários para entender o que realmente eles queriam, e construir um site de fácil usabilidade, focamos em trazer o máximo de usuários possível investindo quase tudo em marketing. Com isso, nosso dinheiro começou a acabar e o retorno não estava vindo e começamos a nos preocupar muito com o futuro da empresa.

Experiência no Startup Chile:

No final de 2012, fomos selecionados pelo Startup Chile, programa de aceleração de startups do Governo Chileno, e isso nos deu um fôlego a mais.

Num primeiro instante o objetivo do Méliuz com o Startup Chile era conseguir mais capital para continuar operando (40 mil dólares que eles investiram na época, sem pegar nenhuma participação na empresa em troca), mas acabamos tendo um retorno muito maior. Durante o programa conhecemos diversos empreendedores fantásticos e aprendemos muito nos 6 meses que ficamos morando Santiago. Foi definitivamente a experiência de nossas vidas.

O Méliuz já faturava quando entramos no programa, mas um ano após ter entrado nosso faturamento já havia crescido 80 vezes. Foi uma oportunidade única para conhecer pessoas excelentes e pegar experiência com empreendedores de todo o mundo.

O período que ficamos em Santiago nos ajudou a ter um foco maior no nosso produto e no nosso usuário, e isso nos ajudou a tomar melhores decisões estratégicas. Além disso, o Startup Chile nos proporcionou uma experiência muito legal em San Francisco, onde pudemos apresentar nossa ideia para alguns investidores do Vale do Silício Tudo isso nos fez amadurecer e aprender muito.

O que aconteceu de lá pra cá

Quando voltamos a morar no Brasil a empresa estava crescendo muito rápido. De 2013 para 2015 a empresa cresceu mais de 10 vezes e hoje temos o orgulho de já ter devolvido mais de R$13 milhões na conta bancária de nossos usuários.

Além disso, em Agosto de 2015 anunciamos uma nova rodada de investimentos que contou com investidores/empreendedores que sempre admiramos muito, como Fabrice Grinda, o francês fundador da OLX e Júlio Vasconcelos, fundador do Peixe Urbano.

A novidade mais recente aconteceu agora no mês de março de 2016. Depois de um processo de 12 meses de seleção e de muito aprendizado, eu e Ofli fomos aprovados e selecionados na semana passada em Dubai como Empreendedores Endeavor. Agora o Méliuz é uma empresa apoiada pela Endeavor, que é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto. Hoje a Endeavor apoia 779 empresas de 25 países ao redor do mundo e temos orgulho de ter trazido essa conquista aqui para o San Pedro Valley. Esperamos aprender e crescer muito com a ajuda da rede, mas também devolver para a comunidade do SPV todo nosso aprendizado, ajudando assim a fazer com que novas empresas daqui se destaquem e decolem nacional e internacionalmente.

2 Comentários

  • Yuri Barroso Souza disse:

    Parabéns ao Israel e ao Ofli. Conheci a Méliuz a 2 anos atrás e logo de cara me apaixonei pela ideia. De início ouvi algumas pessoas falando que não daria certo, mas esses caras conduziram de forma sensacional a ideia deles. Sou empreendedor também e sempre que quero me inspirar, lembro da história do Israel e do Ofli. Parabéns e abração.

  • Clauber disse:

    Show de bola a história de vocês.
    Eu tenho uma idéia muito boa, mas para mim pega mais ainda porque eu não tenho os conhecimentos específicos necessários para colocar em prática…tenho o rascunho no papel, mas falta exexutar. Abraço

Deixe uma resposta


*