Fabio Ramalho não é um Ulisses Guimarães, mas pode ser Presidente da Câmara Federal

O deputado federal Fábio Ramalho não é um Ulisses Guimarães, um Pedro Aleixo, Marco Maciel ou um Flores da Cunha, de fato ele não é uma “Brastemp”, mas ele é de Minas Gerais e pode ser sim Presidente da Câmara dos Deputados se a bancada mineira for coesa e tiver juízo. Fabinho está longe de ser vestal da política, mas como bom anfitrião, tem se saído bem e conseguido destaque no cargo de vice-presidente do Legislativo Federal em Brasília. O pouco que Minas têm recebido de ajuda do governo central, deve-se ao esforço do “menino prodígio” de Malacacheta.

Fabinho Liderança é reconhecido pelo desapego e por manter a porta do seu apartamento funcional sempre aberta para conterrâneos e gente de todos os 26 estados federados. O anfitrião tem sorriso largo e o coração maior do que o peito. E isso lhe deu fama, bom trânsito e poder para pleitear a presidência da Câmara dos Deputados. Há quem diga que Jair Bolsonaro convidou Fabinho para montar uma mesa no gabinete da presidência só para que o Presidente possa trabalhar dando boas gargalhadas.

Com seu jeito amistoso, brincalhão, solicito e irreverente, Fabinho tem a simpatia do baixo e do alto clero na casa legislativa. O leitor que acompanha os nossos artigos nas “Revistas Minas em Cena”, “Mercado Comum”, “Exclusive”, “Entrevias”, no “portal uai” e no site “Os Novos Inconfidentes”, deve estar se perguntando: o que deu nesse articulista que sempre crítica os políticos e que agora resolveu defender o Fabio Ramalho? E eu explico.

Defendo por que sei que o pouco de verba que o Governo Federal enviou para Minas Gerais em 2017 e 2018 para a obra da famigerada BR-381 e outras, é esforço do deputado. Recentemente a rodovia esteve na eminência de perder R$51 milhões para o Ministério da Saúde, em realocações feitas por decreto do Presidente Michel Temer. Fabinho cerrou os punhos, e com seu jeito manso, “comendo pelas beiradas”, mineiramente, correu atrás e reverteu a situação garantindo a continuação da obra. Dos R$660 milhões que foram realocados, MG foi o único estado que conseguiu segurar os recursos originais.

A leitoa à pururuca que eu já ironizei em outros artigos tem ajudado Minas a não morrer à míngua. Em tempos de guerra como os atuais vencem os mais coesos, os que melhor se organizam. O pacto federativo condenou cidades e estados no Brasil a uma guerra insana, e aqueles que melhor se organizam conseguem exercer mais força amealhando o pouco que é distribuído. A candidatura de Fábio Ramalho para o cargo de Presidente da Câmara é uma oportunidade rara de conquistar território em um salve se quem puder. Melhor ter Fábio Liderança com suas leitoas caprichadas ou deixar para Rodrigo Maia e o Rio de Janeiro?

Minas conseguiu emplacar o Deputado Federal Marcelo Alvaro Antonio (PSL) para o Ministério do Turismo e agora tem a chance de ver no comando da Câmara, Fabio Ramalho. Com efeito, deputado que votar contra Fabinho, está dando um tiro no próprio pé. Quem tem juízo e amor pela terra, ainda que tenha que ser de venda nos olhos, deve votar no Deputado Federal Fabio Augusto Ramalho dos Santos, ou simplesmente, Fabinho Liderança.

José Aparecido Ribeiro

Jornalista – DRT 17.076 – MG

31-99953-7945 – jaribeirobh@gmail.com

4 comentários em “Fabio Ramalho não é um Ulisses Guimarães, mas pode ser Presidente da Câmara Federal

  1. Realmente é um excelente representante para minas.
    Deputado trabalhador, simples, atencioso, e tem minas no coração.
    Legisla pensando na geração de emprego e renda,
    valorizando os trabalhadores e produtores rurais.
    Conseguiu inúmeros recursos para o minas.

  2. realmente , o deputado federal Fabinho, é homem ,bacana , simpatico,o conheci em uma feira em BH onde estava expondo nossos produtos (goiabada zelia), fica aqui o pedido para que todos deputados da nossa Minas Gerais fecha com o Fabinho , sera muito iportante s presenca de um mineiro do quilate do nosso deputado na presidencia da camara dos deputados.

  3. Fabio é um charlatão, fala muito em seu prorio colegio eleitoral, ele perdeu para os seus concorrentes, em Teófilo Otoni, só tem discurso, e realiza muito pouco para as cidades que ele sempre foi majoritário, deixa ele quieto, Srº jornalista de plantão..MG. tem coisa melhor, e quanto a ele conseguir verbas para 381,040, ou pagar shows de sertanejos em diversas cidades, onde ainda o povo não se esclareceu que precisa de politicas publicas, e não tapinha nas costa, Ele tem mais e que fazer simplesmente seu oficio como um legislador, ou um deputado mais esforçado trocando alimentos, bebidas, por barganhas no congresso, temos deputados muito mais atuantes que F.R. o Lider Pseudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *