Um Dia das Mães manchado pela injustiça em Belo Horizonte.

Há 27 Dias o meu pensamento e o de centenas de pessoas das mais diversas áreas que tem em comum a amizade pelo jornalista Márcio Fagundes Oliveira, ou mesmo apenas aqueles que o conhecem, tem sido o seu sofrimento em uma cela do CERESP Gameleira, sem julgamento, injustamente e desnecessariamente.

Hoje o meu pensamento não é só nele e no seu sofrimento, mas no sofrimento da sua mãe, Sra Alice Fagundes de Oliveira (84 anos). Nenhuma mãe é capaz de esquecer-se de um filho preso. Porém quando o filho preso é um inocente, a dor ganha outros contornos que só ela é capaz de nos dizer, embora palavra alguma justifique tamanha barbárie.

Dona Alice, assim como centenas e até milhares de amigos e conhecidos de Márcio Fagundes sabe que ele não tem qualquer participação intelectual na trama que lesou a CMBH, ele era um simples funcionário cumprindo formalidades, sem saber o que havia por trás das intenções do seu superior.

Cumpre destacar que toda licitação tem vários atores envolvidos, e não apenas um, como querem fazer parecer. Dona Alice também sabe, assim como nós, que o filho é inocente. Sabe que ele está sendo vítima de uma injustiça sem precedentes que entrará para a história de Belo Horizonte. Marcio está preso sem julgamento, desnecessariamente e isso precisa ser repetido quantas vezes forem necessária, por razões objetivas.

Ele Tem endereço fixo, é réu primário, possui bons antecedentes, uma vida simples, quase franciscana e uma história irretocável de 45 anos de jornalismo e serviços prestados à imprensa mineira. Márcio NÃO tem qualquer apego por dinheiro e pavor de coisas erradas. Sou testemunha disso por que convivo com ele diariamente.

Os únicos caprichos do quais ele não abre mão são os livros e a ética. Está preso, segundo palavras do presidente da CMBH, na frente de 3 procuradores e da substituta, ouvidas de membros do MP em visita a CMBH no dia 25/04, “por que não quis colaborar com as investigações”. Aberração maior não há.

Lembro que o jornalista está sendo acusado de enriquecimento ilícito, formação de quadrilha e corrupção, mesmo sem receber um único centavo proveniente de tais crimes. Se há provas, que elas sejam reveladas, e que não se resumam a meras assinaturas.

Com efeito, talvez esteja preso ainda por que tem uma legião de amigos e pessoas de bem que o conhecem e sabem da sua retidão, tentando livra-lo deste pesadelo. Isto de certo está incomodando algumas pessoas que embora já saibam de sua inocência, não possuem humildade suficiente para reconhecer que exageraram.

Fica o meu abraço solidário a uma mãe que não merece sofrer o que Dona Alice está sofrendo, sobretudo em um país democrático em que o estado de direito ainda vigora. Que este desatino injusto tenha fim o mais breve, e os verdadeiros culpados possam ser condenados em julgamento justo e exemplar. Dona Alice, seu filho não é réu, é vítima, e isso será provado!

José Aparecido Ribeiro
Jornalista – DRT 17.076 – MG
jaribeirobh@gmail.com – 31-99953-7945

10 comentários em “Um Dia das Mães manchado pela injustiça em Belo Horizonte.

  1. Que absurdo … Até quando pessoas inocentes serão alvo de tantas injustiças? Pagar pelos erros de outras pessoas, enquanto os verdadeiros culpados continuam a circular livremente , para continuar cometendo os mesmos erros .As pessoas de bem têm que se unir para que essa atitude não se repita , hoje é o Márcio , amanhã pode ser você.

  2. Nem mesmo no Dia das Mães, uma data comemorativa, significativa, podemos comemorar com o coração repleto de Paz.
    Eu como Mãe, tento imaginar o sofrimento da “Dona Alice” ao ver o seu filho injustiçado , e fico grandemente sensibilizada e machucada. O que esta senhora está passando é pior do que a dor do luto, quando de alguma maneira, conseguimos ter aceitação, de algo que acreditamos ser, a vontade de Deus.
    O que é impossível de aceitar e suportar, é a dor e derrota da injustiça, o detrimento da vítima e a impotência diante de um sistema indigno, repugnante, onde alguns conseguem manipular vidas, em prol de benefícios escusos!
    Nao somente neste caso, diariamente meu coração grita por justiça!!

  3. O mesmo está acontecendo com um ex-Presidente da República. Por que não haveria de acontecer com um simples cidadão. Contra o Lula há muitas acusações mas nenhuma prova. Mas quando ele foi preso muitos comemoraram sem saber que aplaudiam a uma barbárie.

  4. Isso é resultado do “empodeiramento” absurdo dessa elite jurídica dominante no Brasil.Até quando, nós cidadãos,iremos fingir que nada está acontecendo e continuaremos a tolerar essa situação ?

  5. Hoje o judiciario está disfarçadamente assumindo o papel do executivo militar que se instalou no poder em 1964.
    O poder judiciário hoje envergonha a nação.

  6. Me solidarizo com o jornalista. E como ele, há milhares de presos anônimos sem acusação formal no Brasil, a grande maioria negra e pobre. É importante a solidariedade a todas essas mães.

  7. “O luxo de Márcio Fagundes é cultura, leitura, estudo, trabalho. O luxo de Márcio Fagundes é sua integridade. O luxo de Márcio Fagundes é o amor pelos filhos. O luxo de Márcio Fagundes é o respeito conquistado em anos de profissão. O luxo de Márcio Fagundes são os amigos e companheiros de uma vida. O luxo de Márcio Fagundes é o humor inteligente. O luxo de Márcio Fagundes são as estantes repletas de livros. O luxo de Márcio Fagundes é ser trigo. O luxo de Márcio Fagundes é sua humanidade” – Pelo jornalista Márcio Fagundes – Márcio Fagundes Oliveira – e sua justa e urgente liberdade. (Beth Barra, jornalista)

  8. País sem lei…! Lula, um ladrão condenado com um calhamaço de provas ainda acha gente para defendê-lo e dizer que não devia ser preso na segunda instância… este jornalista nem julgado foi nem teve instância nenhuma e JÁ ESTÁ PRESO??? País da injustiça e da vergonha!!!

  9. Tenho visto e ouvido manifestações de muitas pessoas defendendo este jornalista, gente que fala com muita convicção. Não creio que essas pessoas estejam inventando moda. A justiça pode falhar, pois é feita de homens e mulheres iguais a nós. Acho prudente os agentes da lei darem ouvidos para esse clamor, que parece ser honesto e com fundamentos. Se errou, o jornalista precisa pagar pelo erro, mas se estão exagerando ao prende-lo, quem precisa ser advertido são os que estão usando pesos excessivos para punir alguém que cumpria ordens. Basta ver os extratos bancarios e de cartões de credito e logo essa duvida será sanada. Se participou de uma quadrilha, o dinheiro foi gasto em algum lugar, e pode ser rastreado com gastos incompatíveis com a renda do acusado. Do contrário, erros administrativos provenientes de ordens superiores não podem ser tratados como desvio de conduta. E aí as manifestações são legitimas e precisam ser ouvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *