Skip to main content
 -
Jornalista - Reg. DRT: 17.076/MG - Licenciado em Filosofia, Administrador, MBA em Marketing, estudioso de temas urbanos. Membro da Comissão Técnica de Transporte da SME . Membro do Observatório da Mobilidade. Consultor em Assuntos Urbanos. Articulista e Colunista das revistas MINAS EM CENA, MERCADO COMUM, EXCLUSIVE e ENTREVIAS. JORNALISMO DE OPINIÃO,

Estão tentando “fritar” o delegado do DETRAN – Soma de maldade e hipocrisia.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Não conheço o delegado César Augusto Monteiro Alves Junior, ele não é meu amigo, tampouco tenho procuração para defendê-lo, não sou advogado, mas é fácil notar que estão tentando “fritá-lo”, por uma bobagem. O método do “8 ou 80” no Brasil, movido pela hipocrisia, pela conversa inútil e politicamente correta de oportunistas, causa asco a quem enxerga além das montanhas e já passou dos 50.

Pegaram o pobre delegado para “Cristo”, em troca de ibope, ou por pura maldade de gente que não tem o que fazer. Delegados, assim como juízes, promotores, médicos, operários, padres, jornalistas ou qualquer indivíduo que tenha carros registrados em seu nome, estão sujeitos a perder pontos na carteira de habilitação. As cidades brasileiras são espaços perfeitos para a famigerada indústria das multas. A ativa e a passiva.

Aliás, ela vem prosperando graças a um discurso ensaiado, um arsenal técnico bem montado, legal, mas de uma imoralidade que dói no bolso. O exemplo de Belo Horizonte serve para a maioria das cidades do interior de Minas. O delegado teve a infelicidade de deixar tornar-se público o seu prontuário e está sendo crucificado por parte da imprensa que parece sentir prazer em denegrir pessoas como se fossem donos da verdade, vestais.

Tem rádio repetindo o assunto em BH de 5 em 5 minutos, com comentários jocosos, desnecessários, e até infantis. A hipocrisia tomou o lugar da razão e do bom senso neste episódio, revelando mais do que despreparo de alguns profissionais de imprensa, mas desconhecimento do fenômeno que norteia a lógica perversa e imoral das fábricas de multas instaladas no Brasil, no Oiapoque ao Chuí. Conheço dezenas de pessoas de bem, cidadãos exemplares, impedidos de dirigir por capricho de uma lei que não leva em conta a realidade brasileira.

Refiro-me à organização das cidades, a geografia e o modelo de equipamentos utilizados para punir cidadãos, os que merecem punição, que são exceções, e os de bem, que são maioria. Não é por que são irresponsáveis, ou abusaram no trânsito, mas por que é quase impossível viver nas cidades ou transitar pelas estradas sem ser vítima dos radares de tocaia, os pardais escondidos atrás de postes ou galhos de árvores. A pedagogia da multa funciona para lesar o cidadão, e não para educa-lo. E não me venham com a conversa mole de que é só andar na linha…

Menos importante do que o prontuário de multas do delegado é saber se ele é policial diligente, assíduo, competente, justo nas suas ações, se presta um bom serviço aos cidadãos. Se tem capacidade para dirigir o DETRAN de MG. Mais do que os pontos, é a sua dedicação à causa pública, se é um líder capaz de manter equipes motivadas, e se é um servidor honesto, dedicado ao seu ofício. O resto é lero lero, conversa de manicure.

83% das notificações por “excesso de velocidade” na cidade de Belo Horizonte acontecem por uma diferença de 1 a 5 km/h. Ou seja, prova inequívoca, mais do que suficiente para afirmar que existe sim uma indústria da multa trabalhando a favor dos cofres dos municípios e menos em prol da vida. O delegado pode muito bem ter veículos usados por familiares, ou ter cometido infrações no desempenho de suas atividades. O que anularia as multas e a língua afiada de quem tripudia irresponsavelmente contra ele, colocando sua imagem e carreira em risco.

Quanto à acusação de transitar em calçada, pergunta-se: em que circunstâncias isso ocorreu? Falta aos que se apresentam como moralistas, donos da verdade, insensatos, o próprio senso de lógica, a compreensão do fenômeno, menos do que o fato isolado. Ninguém é a favor da desobediência às leis, sobretudo as de trânsito. Porém neste episódio está havendo exageros, julga-se um servidor público com réguas que não são as mais justas, por pura hipocrisia, oportunismo deslavado de gente que envergonha a classe jornalística. Fica o meu protesto!

José Aparecido Ribeiro
Jornalista, blogueiro no portal uai.com.br – DRT MG 17.076
Colunistas das revistas Exclusive, Minas em Cena e Mercado Comum
31-99953-7945 – jaribeirobh@gmail.com

Publicidade

41 comentários em “Estão tentando “fritar” o delegado do DETRAN – Soma de maldade e hipocrisia.

  1. Esse é um dos problemas sérios do Brasil. A Autoridade TEM que dar o exemplo. Ele deveria ter verificado antes, se havia algum deslize de conduta. Um chefe do Transito não pode ter 120 pontos na carteira, sem que nada aconteça. Na Europa e EUA ele teria sido demitido sumariamente, se não pedisse demissão. Aqui ele diz que tem 3 carros em seu nome e que as multas não foram comunicadas. E o pobre mortal que não recebe comunicações. Já reclamei que os Correios não estão exigindo assinatura e nem resposta recebi!!!

  2. José Aparecido Ribeiro,belas palavras,existe sim uma máquina covarde e fraudulenta para gerar multas descabiveis,sinceramente não sei onde chegaremos deste jeito!
    Será que não vai aparecer um político honesto ou algum canal de comunicarão para estourar esses canalhas por traz disto!

  3. Infelizmente, como tudo no Brasil, o jornalismo virou terra de ninguém. Aspectos morais e éticos são desprezados. Notícias mais parecem fofocas, que só tem como objetivo fomentar a epidemia da maledicência.

  4. Certíssimo seus comentários… acho que pior seria se o delegado tivesse dado um jeitinho e seu CNH estivesse limpa, zerada. Deu a cara a tapa e com certeza o fato é digno de um bom debate. Eu como despachante, mesmo não conhecendo este delegado, não achei correto a imprensa atacá-lo sem antes ouvi-lo. Todos temos direito a defesa. Porque não ele? O Detran, muitas das vezes, da prioridade para as pessoas que estão se defendendo pra não alcançar os 20 pts, pra motoristas profissionais, etc… assim, demora mesmo pra abrirem processos punitivos para quem alcançou ou ultrapassou os 20 pts. É o caso dele. Vamos aguardar… o DETRAN de hoje jé é sem dúvida muito melhor que o de ontem.

  5. Compartilho da opinião e indignação do Jornalista articulista. A propósito, bom saber que delegados de polícia em MG são multados. Não era bem assim em priscas eras em que fui funcionário administrativo na SESP-MG, quando, lembro-me bem, havia uma sala ao lado do Gabinete do Diretor do Detran MG onde ficava um também delegado de polícia, vice diretor, cuja principal função era “retirar” multas de apaniguados.
    Acrescento que mesmo esforçando-me muitíssimo para ser um bom motorista, observador das regras do trânsito, às vezes não dá: as arapucas, armadilhas destinadas a desenvolver a indústria das multas de trânsito são realmente traiçoeiras. Cito o caso do trecho da BR 040 entre BH e Juiz de Fora, quando em determinados trechos, além de quebra molas há um amontoado de pardais com limites os mais variados de velocidades: às vezes 60Km, depois 80Km, voltando para 60, até 50 sendo que em trechos há sinalização de até 100Km e 110km. Para não ser multado, peguei o hábito de dirigir nessa rodovia com o Waze ligado vez que nem todas as lombadas eletrônicas têm sinalização.
    Vale o registro de que no trecho duplicado entre Juiz de Fora e Rio de Janeiro a mesma rodovia BR 040 é muito bem sinalizado com lombadas eletrônicas padronizadas em 70 Km.

  6. Senhor articulista,
    Perdão. Mas, autoridade com mais de 100 pontos na carteira é meio exagerado, não é não?
    Tudo bem que o motorista caia numa armadilha ou outra durante o ano, mas acumular 120? Na função que ele exerce não cabe esse tipo de transgressão. Bom que ele se submeta às regras para reaver a CNH, mas, não é correto e nunca será. E quanto ao seu “não me venham com a conversa mole de que é só andar na linha”… eu retorno com a conversa mole de que se andasse na linha não seria tantas vezes autuados pelos equipamentos e agentes de trânsito. Há uma indústria de multas sim. Eu mesmo já fui vítima de agentes escondidos atrás de eucaliptos e pontes. Mas não tive a CNH recolhida porque não cheguei nem aos dez pontos. É uma tortura dirigir com tantas ameaças. Ameaças de acidentes, assaltos e radares camuflados. Porém, autoridade: “à mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta”. Seria a mesma coisa de pegar o delegado da delegacia de combate às drogas na boca fumando um baseado. Eu devo ser meio careta. Se for, perdão, é apenas minha opinião.

  7. Eu dirijo todo dia e não tenho 120 pontos na carteira. Alias, se juntar todas as minhas multas em 30 anos de habilitado não chega nem perto de 120 pontos. Mas o Brasil é isto mesmo, e não podemos achar normal, o ministro do trabalho ter inúmeros processos trabalhistas, o chefe do Detran ter a carteira suspensa, o Governador do estado promover a apropriação indébita de ICMS e IPVA….. Graças à nossa democracia, discordo de você, caro jornalista.

  8. Se o sujeito fosse pobre e/ou preto, talvez seu comentário fosse: que absurdo, como ainda deixam um sujeito desse dirigir!!!! Não é mesmo? Todos querem que as leis sejam aplicas, mas nos outros, claro. Se esse “delegado” tivesse já atropelado alguém, outro possível discurso seria: como alguém com tanta infração ainda não teve a CNH cassada? Este é o Brasil, não é por acaso que não sai do quinto mundo, pois a grande maioria da população tem mentalidade de quinto mundo. Acho que está acima da lei, ou que a lei não lhe diz respeito. Quanto à indústria de multas, é muito fácil resolver, não transgrida a lei e jamais será penalizado. Simples assim.

  9. Realmente, perto dos radares há uma força sobrenatural que faz com que o pé direito fique mais pesado fazendo com que as pessoas passem por eles acima do limite de velocidade, essa força sobrenatural também deve fazer com que nos locais onde há placas de proibido estacionar a visão do motorista se torne turva, impedindo que este veja tal placa. Pelo que foi dito parece que é obrigatório quem dirige ser multado, e que isso é normal, e quem dirige há anos e nunca foi multado é uma aberração.

  10. Dirijo a mais de 15 anos em Belo Horizonte até hoje tive apenas 10 pontos na carteira. O radares só flagram quem não obedece a sinalização da via, e isso já revela o desrespeito à sinalização. Belo Horizonte como cidade está atrasada a décadas no que se refere a mobilidade urbana, o que faz a limitação de velocidade ser proporcional ao a possibilidade de fluxo devido ao expressivo números de veículos.
    A Matéria acima se apresenta como a crítica da crítica. Quando a li também perguntei qual os interesses do autor, que jura não conhecer o tal delegado infrator dos 120 pontos, que neste artigo virou vítima do próprio sistema de multas , o qual ele é o próprio chefão. Me poupe!!!

    1. Dirijo a mais de 15 anos em Belo Horizonte até hoje tive apenas 10 pontos na carteira. Os radares só flagram quem não obedece a sinalização da via, e isso já revela o desrespeito à sinalização. Belo Horizonte como cidade está atrasada a décadas no que se refere a mobilidade urbana, o que faz a limitação de velocidade ser proporcional à possibilidade de fluxo devido ao expressivo números de veículos.
      A Matéria acima se apresenta como a crítica da crítica. Quando a li também perguntei quais os interesses do autor, que jura não conhecer o tal delegado infrator dos 120 pontos, que neste artigo virou vítima do próprio sistema de multas , o qual ele é o próprio chefão. Me poupe!!!

  11. Sr. José Aparecido. Me desculpe mas ele sabia sim das multas e não teve processo algum não é. Então tem alguma coisa muito errada….

  12. Admiro o presente articulista. Porém, desta vez discordo totalmente. Parabéns ao MAX pelas corretas observações. E.T. Fosse no dito primeiro mundo esse delegado teria renunciado há muito tempo.

  13. Amigo, consulte um advogado. Se o cara tem vários carros no nome DELE a pergunta é: como ele recebeu os documentos dos carros se não pagou nenhuma multa? Se são vários carros em nome dele, multas acumuladas durante anos, como não chegou nenhuma multa em casa? Perseguição dos correios? Pior é ele ser especialista na área, deveria ser o primeiro a acessar a internet e pesquisar. Claro que se fosse um cidadão comum seria diferente, sofremos com a indútria das multas e impostos sim, mas não justifica a lei ser ignorada para ele que deveria dar exemplo. Ou vamos abrir jurisprudência? Em outro país ele pediria demissão até esclarecer tudo.

  14. Em países civilizados a sinalização é adequada e confiável, não existe pegadinha. Aqui é uma bagunça! A gente passa pelos radares sem saber qual o limite naquele trecho. E essa lei de andar com o farol aceso? A população ficou sabendo pela imprensa!? Quem chega do exterior corre o risco de ser multado pois não existe uma única placa indicativa! E a exigência de extintor que sempre reclamamos? Logo após obrigar a população a trocar seus extintores por um mais caro a lei foi extinta. E o kit de primeiros socorros??? Sempre me lembro da época que começaram a colocar lombadas eletrônicas em BH e as autoridades disseram que elas eram confiáveis. Até que um sujeito passou pela lombada do Ponteio com uma roda na pista central e a outra na pista lateral e os dois radares deram velocidades diferentes. E as placas de proibido estacionar escondidas atrás de árvores que nunca são podadas? E parar no sinal vermelho à noite num país tão violento? Será que essas pessoas que ficam condenando o delegado nunca foram multadas? “Ah, mas ele teve muitas multas, eu só tive poucas”. Tem que rir mesmo… Já que delegado não pode ter multa será que leitor pode postar comentário com erro de português como tantos aqui?

  15. Realmente no Brasil de hoje em que presidente corrupto é salvo duas vezes pelo congresso, quase todos os ministros devem à lei, ministra do trabalho não assina a carteira de trabalho de seu motorista, 200 parlamentares têm processos na justiça, o que você acha está certo. Mas não é assim que o Brasil deve ser e nem é assim que é o certo, daí você está redondamente enganado e pior, alimentando esta pouca vergonha que hoje é o Brasil.

  16. deixa de aser atoa sô por muito menos um motorista profissional perde seu ganha pão por muito menos pontos na carteira! Um DELEGADO , coitado, kkkkkkkk toma vergonha na cara!

  17. Discordo frontalmente deste articulista. Primeiramente o delegado disse que não recebeu as notificações e, como Lula, de nada sabia. Depois resolveu dar a cara a tapas entregou a CNH, abriu processo administrativo.
    E sobre a documentação anual dos 3 veículos? Ninguém recebe o CRLV se tiver uma multa qualquer
    Como estavam os 3 veículos rodando?

  18. Alguém me explica se entendi bem: mas o Chefão aí pode acumular 120 pontos sem perder a carteira pois é delegado, e meu pai perdeu a dele com 20 e sem receber notificação também. É isso?

  19. Não tem nada demais, você só esqueceu um detalhe, ele é diretor geral do Detran, se fosse um padre tudo bem, um professor tudo bem, mas o homem responsável pelas campanhas educativas de trânsito não pode ter um histórico negativo.

  20. Alguém me explica se entendi bem: mas o Chefão aí pode acumular 120 pontos sem perder a carteira pois é delegado. e meu pai perdeu a dele com 20 e sem receber notificação também. É isso?

  21. O cara tem 120 pontos na carteira e a imprensa é que é exagerada. Tá precisando de algum favorzinho no Detran? Quantas multas suas, você conseguiu retirar com esse seu comentário? Quero saber. Vai ser cara de pau assim na casa do carvalho.

  22. Olha, vai me desculpar, mas eu com 18 anos de carteira não fiz nem 20 pontos… o cara chefe do departamento de transito tem 120… E esse não fosse a repercussão, ia ficar por isso mesmo…

  23. O problema é o tempo que se leva até que você seja punido. Um cidadão que não para de cometer multas, dificulta o sistema de notificação e punição para reciclagem. Diferente do que alcança 20 e fica por ali. Entendo os dois lados. Acho que pior seria mesmo se tentassem esconder isso. Bom que veio à tona.

  24. Que coisa né so depois da imprensa revelar ele resolve entregar a carteira,pelo código de transito a suspensão de dirigir, seria de no mínimo 1 ano.Será que ele vai cumprir????? Duvido.Acorda Brasil, e o comentarista ainda o defende,tem alguma pendencia no Detran, ou é seu parente????

  25. Cargos públicos devem ser ocupados por pessoas EXEMPLARES, e nao por desviados quaiquer a imprensa faz seu papel apontando para que fatos sejam discutidos ,cabe aos cidadãos fazerem juízo, somente assim pode se combater a instituição que se tornou comum ,a falta de caráter dos homens publicos

  26. sua reportagem foi infeliz e provavelmente só tem o intuito de causar alarde. São 120 pontos, senhor. Não são 25 pontos. Ele se tornou chefe do Departamento de trânsito, não foi de um time de basket, onde fazer tantos pontos é um fenômeno. Provavelmente entendo sua reportagem como as mesmas linhas moderadas de Gilmar Mendes, que acha que bandido bom é bandido solto, da advogado Kakai, que faz suas festinhas de aniversário no exterior com o dinheiro que ganhou defendendo ladrões clássicos, e que diz que o Brasil está virando muito “punitivo”, foi essa a palavra? Nem lembro mais de tão desimportante. Enfim, mais uma matéria que vai na contra-mão do desejo do brasileiro de bem, e que dispensa mais comentários.

  27. Sinceramente não entendo a indignação.
    Não entrando no mérito da “indústria de multas” como o articulista aqui cita, a verdade é que não se perde a carteira por uma simples infração. E 120 pontos são muitos. Requerem uma desobediência rotineira às regras de trânsito.
    E sinto muito, mas “a organização das cidades, a geografia e o modelo de equipamentos utilizados para punir cidadãos” não justificam absolutamente qualquer desobediência a regras. Soa como “jeitinho”. Ou pior: “carteirada”.
    E é aí que entra o “X” da questão.
    Pelo que li, esse senhor está há só 20 dias no cargo. E se ele assume um cargo dessa natureza, acho pouco provável que ele não tenha consciência da situação da própria CNH junto ao órgão. E de alguém que assume um cargo de tal responsabilidade se espera igualmente responsabilidade em ter conta de quais são as tantas pessoas que dirigem os tantos veículos em seu nome – e eventualmente de, antes de assumir o cargo, agir de modo não só a esclarecer a própria situação junto ao órgão quanto também em coibir os verdadeiros autores de novas infrações. De modo contrário soa a … como dito acima … “carteirada”. Ou seja, alguém me explica o porquê de ele ter deixado para que essa questão seja resolvida depois que ele assumisse o cargo?
    Simplesmente não há justificativa. Sendo a nossa sociedade hipócrita ou não (e nisso concordo 100% com o artigo), o comportamento de uma pessoa digna de tal responsabilidade para com uma função pública requer mais do que esse “mimimi” que já bem conhecemos também de representantes do povo quando sob acusação.
    Em uma sociedade séria, diante de tais acusações – e suspeitas tão graves – o funcionário renunciaria ao cargo. Ou mais: aquele que lhe atribuiu o cargo se incumbiria disso. Mas além de ser hipócrita na nossa sociedade falta também a boa e velha “vergonha na cara”.
    Esse senhor não tem só que ser “frito”. Tem que ser frito, grelhado, assado, cozido e tudo mais. Porque se não conseguimos ter uma sociedade organizada em torno de uma cultura ética (que no Brasil inexiste), pelo menos que tenhamos uma sociedade organizada sob o respeito pelas regras, pelas instituições e pela opinião pública.
    Chega de justificativas. Chega de “jeitinho brasileiro”.

  28. Ah. Sei não viu. Gosto muito de ler os comentários do Dr. José Aparecido mas este eu discordo plenamente.
    Não é admissível que um cidadão que exerce a função de Delegado acumule 120 pontos na carteira e, depois, ainda seja nomeado para ser Diretor do Detran.
    NÃO CONCORDO. ACHO QUE QUEM O PEGOU, POLICIA RODOVIÁRIA FEDERAL OU ESTADUAL NEM CONSULTOU A HABILITAÇÃO DESTE DELEGADO.

  29. GOSTARIA DE VER OS COMPROVANTES DE PAGAMENTO DAS MULTAS. TODO CIDADÃO NORMAL, QUANDO É MULTADO PAGA A MULTA MEDIANTE DÉBITO BANCÁRIO, PAGAMENTO EM TERMINAL BANCÁRIO OU NA “BOCA DO CAIXA”. SÓ FALTA NÃO HAVER PAGAMENTO OU, COMO O LULA, OS PAGAMENTOS FORAM EM DINHEIRO.

  30. Prezado senhor José Aparecido Ribeiro,
    Todos nós motoristas somos humanos e, como tal cometemos falhas. Eu mesmo já fui multado quatro vezes, em 41 (quarenta e um) anos de habilitação.
    Se a “indústria da multa” que o senhor se refere é tão eficiente, porque será que todos nós não acumulamos um número exorbitante de pontos?
    Será que a sua “indústria da multa” é discriminatória e não afeta, por exemplo, os motoristas mais bonitos? Acho pouco provável, pois não acredito ser este o meu caso. Prefiro acreditar que ela não afeta os mais responsáveis.

  31. Caro José Aparecido Ribeiro, o senhor vive em qual país? O exemplo deve vir de todos os lados e principalmente daqueles que trabalham para servir a população. Até qual momento políticos e autoridades poderão fazer o que bem entendem? Até quando vamos viver com a mentalidade: “Faça o que eu mando e não faça o que faço”? O chefe do Detran deve ter uma postura correta, seja em sua carreira, seja na sua vida particular. Caso seja um familiar que tomou multa, por que não foi feita a transferência dos pontos para o condutor que tomou a multa? Será que é o fato que o senhor delegado vai poder dirigir com a pontuação estourada? Enquanto os demais condutores perdem a carteira por somar apenas 16% da pontuação do delegado. Os administradores do governo não são deuses e não deveriam ter tantas regalias. A gestão deste país é tão podre quanto seu texto. Ridícula sua posição.

  32. Somente um ponto.
    Não se trata de 15, 20 ou 30 pontos. Estamos falando de 120 pontos!!!
    Os argumentos fazem algum sentido, mas o Direito Administrativo elenca alguns princípios inerentes à atividade do gestor público, dentre eles, o Princípio da Moralidade.
    A conduta no Diretor é no mínimo conflituosa com o cargo que ocupa.

  33. Nobre jornalista,
    Depois de um delegado “chefe” do DETRAN que não cumpre as leis do trânsito e de uma ministra do trabalho que não cumpre a legislação trabalhista, só está faltando um ministro da educação ANALFABETO.
    A imprensa de fora só noticiou aquilo que a mineira omitiu.

  34. Discordo literalmente da defesa que faz ao indicado p/ cargo de Diretor do Detran. Se continuarmos nessa toada, com pessoas que nao tem idoniedade p/ assumir cargos públicos, em breve poderao colocar como ministro da Justiça Fernandinho Beira-Mar ou Marcola.

  35. Porque moralidade e ética no Brasil é negociável. Para uns 120 seria uma vergonha, mas para outros é normal “todas cometem infração”. Como se a desobediência as leis de trânsito fosse normal e comum. “Ah, todos desobedecem, porque o diretor do detran não pode?”. Brasileiro tem uma ética torta e maleável. Cobrar que o diretor do detran, responsável pela fiscalização das leis de trânsito, seja um exemplo de obediência as leis agora virou perseguição. Levando em conta que o mesmo é um infrator contumaz. Não foi uma infração, mas várias e várias infrações. E foram seguidas infrações do mesmo item. Engraçado é que todo infrator reclama da tal ‘industria’ de multa. Dirijo há muitos anos e só tomou duas multas até hoje e nenhuma por excesso de velocidade. Tenha certeza que para todo infrator sempre parecerá que há uma indústria de multa, mas é só ele parecer de cometer infrações que a indústria acaba. Em frases como está que você percebe porque o brasil não dá certo: “Menos importante do que o prontuário de multas do delegado é saber se ele é policial diligente, assíduo, competente, justo nas suas ações, se presta um bom serviço aos cidadãos. Se tem capacidade para dirigir o DETRAN de MG. Mais do que os pontos, é a sua dedicação à causa pública, se é um líder capaz de manter equipes motivadas, e se é um servidor honesto, dedicado ao seu ofício. O resto é lero lero, conversa de manicure.” Seria como termos um estuprador comandando a delegacia de proteção as mulheres ou um pedófilo no conselho tutelar. Daí a pessoa fala ‘ah, ele é pedofilo, mas o importante é sua dedicação a causa ´pública, se é um lider’ ou ‘ah, ele é estuprador, mas o importante é se ele é diligente, assíduo.’…VERGONHA. SUA ÉTICA, JORNALISTA, É UM LIXO. EU TENHO VERGONHA POR VOCÊ. É, SIM, OBRIGAÇÃO dele ter uma vida ilibada. É, sim, impeditivo que o diretor do detran seja um infrator frequente. Sabe porque? Porque isso mostra seu desrespeito às leis que regem a nossa sociedade e que agora é da responsabilidade dele cobrar de toda a sociedade. Todas as pessoas que fazem prova para agente de segurança passa por prova de investigação social e lá é cobrado do candidato que ele tenha possui idoneidade moral e conduta ilibada, imprescindíveis para o exercício das atribuições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*