XRC neles… (e parabéns Negri e Nasr)

Publicado em Sem categoria

Que o leitor me perdoe o texto truncado do post anterior, fiz todo o possível para que ele saísse legível como todos os demais, mas a informática é assim mesmo, as vezes nos pega de calças curtas, felizmente as fotos não tiveram qualquer problema, e melhor ainda é confirmar a vitória de Oswaldo “Ozz” Negri nas 24h de Daytona, dividindo o comando de um Riley Ford da Michael Shank Racing com A.J.Allmendinger, John Pew e Justin Wilson. E tão bom quanto foi ver o terceiro lugar do menino Felipe Nasr, que não se intimidou numa categoria e num circuito desconhecidos – os grandes pilotos costumam ser os que se adaptam mais facilmente aos novos desafios.

Mas o assunto principal do post é falar sobre um momento que viveremos em primeira pessoa na aprazível Santa Felicidade, região famosa de Curitiba por ser um dos principais espaços de expressão da colonização italiana, especialmente na gastronomia. E é em um dos mais badalados restaurantes daquelas paragens que estará acontecendo um evento que, todos esperamos, seja um divisor de águas, a chacoalhada que o rali brasileiro tanto merece para ser finalmente protagonista no nosso automobilismo, não apenas uma categoria a mais. Mauricio Neves, Armando Miranda e a equipe da ProMacchina, que dispensa apresentações, prepararam um foguete sob a forma de carro de rali, e é a partir dele, o XRC, que se espera que a modalidade ganhe novo ânimo. Eu sei que não veremos centenas deles andando por aí, mas os grids têm tudo para aumentar, assim como o interesse pelas demais categorias, especialmente as ditas de base. Tão importante quanto, uma reunião entre alguns dos principais protagonistas da cena da modalidade no país – e aí eu me incluo menos como piloto, mais como jornalista e observador das Minas Gerais, pitaqueiro mesmo, – para discutir os rumos do esporte. O que não se pode ver mais são grids ridiculos como o de Brusque (nove carros) ou situações como a de Sete Lagoas, em que 90% do grid era composto por duplas mineiras, além de um convidado de Brasília. O rali brazuca merece mais, muito mais, e o surgimento do XRC pode ser a centelha para esse processo. Tomara. Se depender de apoio e empenho, vai ser porreta…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *