Skip to main content
 -
O sertanejo universitário cresceu, se formou e virou patrão! Ainda que haja resistência, o estilo musical ganhou o Brasil e, aos poucos, vem ganhando o mundo. E eu, jornalista por profissão e "sertanejeira" por vocação, vou falar um pouquinho desse universo para vocês!

Trio Parada Dura volta e faz parcerias com novos sertanejos como Marília Mendonça

 

Você já deve ter se pegado alguma vez cantando As andorinhas voltaram ou Fuscão Preto. Os músicos que entoaram esses grandes sucessos nos anos 1970, reunidos no Trio Parada Dura, estão de volta e se uniram aos novos sertanejos, na intenção de alcançar o público mais jovem. A ideia é voltar ao topo das paradas de sucesso. O Trio Parada Dura lançou neste mês seu novo trabalho – CD e DVD, gravados a bordo de uma chalana, na lagoa de Furnas, em Capitólio, no Sul de Minas Gerais. Com participação dos sertanejos queridinhos do momento, a cantora Marília Mendonça e a dupla Zé Neto & Cristiano, Trio Parada Dura – Chalana, churrasco e viola conta com três músicas inéditas e várias regravações de sucessos como Chora coração.

Com novos integrantes, o trio agora é formado por Creone, que participou da primeira geração do conjunto, no fim dos anos 1970, Parrerito, irmão de Barrerito, e Xonadão. Sem perder o estilo e a essência do sertanejo de raiz, os cantores se modernizaram e deram uma renovada no repertório. Uma das apostas para o sucesso é a dobradinha com Marília Mendonça, na inédita canção Aceita que dói menos, assinada por Chico Amaral. “A Marília é uma menina igual a gente e ficamos muito felizes com essa parceria. Essa música é a cara dela e a nossa também. Juntou a fome com a vontade de comer”, afirma Creone.

O remanescente do trio conta que as novas parcerias somaram um novo público para os shows. “A gente esperava um público de pessoas mais velhas, mas nos surpreendemos. Estamos com a agenda cheia e é incrível chegar num lugar e ver essa moçada nova cantando a nossa música com empolgação”, diz Creone, admitindo que a parceria com “esses meninos novos e a Marília reforçou ainda mais essa mudança”.

INÉDITAS – Outra aposta de sucesso do trio é a inédita Vivendo aqui no mato, que cantam com Zé Neto & Cristiano. A composição foi feita dupla especialmente para ser cantada com os ídolos, depois de descobrirem que eles iriam regravar Seu polícia, sucesso de Zé Neto & Cristiano, que esteve entre as mais tocadas nas rádios em 2016. “Quando o Zé Neto ficou sabendo que íamos regravar a música deles, ele entrou em contato e disse que ia escrever uma música nova para a gente, mas que queria participar, quando fôssemos gravar. O resultado está aí e todo mundo no show já sabe cantar”, conta Creone. Outra inédita do CD e DVD é a romântica Mil vezes antes de amar, composição de Rick Sollo, da extinta dupla Rick & Renner, sucesso nos anos 1980.

As participações especiais no novo trabalho não param por aí. O Trio Parada Dura também canta com Eduardo Costa, Dell Cavalini, Valéria Barros, Negão da Sanfona e Jéssica Rodrigues. Eduardo, que chegou a tocar com o Trio quando ainda era adolescente, dá voz à Dama entre aspas (Dama do vestido longo), junto com Creone, Parrerito e Xonadão. Anteriormente, a música foi gravada por Barrerito, que participou da primeira formação do Trio.

Entre as regravações estão canções do próprio Trio, como Bobeou a gente pimba, Dei um cheiro na vizinha e as românticas Último adeus e Biquíni bordô. Além disso, eles deram voz a Chora coração, de Wando, Lágrimas, de Roberto e Mineirinho e Amaremos, um dos sucessos que Barrerito emplacou quando seguiu carreira solo, no final dos anos 1980. A produção musical do projeto é assinada por Romário Rodrigues, Leandro Porto e Eduardo Costa.

Assista as inéditas das dobradinhas do Trio Parada Dura com Marília Mendonça e Zé Neto & Cristiano:

 

Related Post

Related Post

Publicidade

Um comentário em “Trio Parada Dura volta e faz parcerias com novos sertanejos como Marília Mendonça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*