Skip to main content
 -
Denyse Lage Fonseca é formada em Letras e especialista em educação a distância. É autora de artigos enciclopédicos (InfoEscola.com) e de materiais didáticos (Portal Acessaber) que tratam de diversificados conteúdos relativos à Língua Portuguesa, da qual gosta desde criança. Como professora, atuou em diferentes níveis de ensino.

“Tampouco” ou “Tão pouco”?

Trata-se de expressões muito parecidas, não? Apenas uma está correta? Não! As duas existem em nossa língua, porém apresentam sentidos diferentes. Para entendermos essa diferença, recomendo a leitura, no “Dia dos Professores”, deste pensamento do maior educador brasileiro, Paulo Freire:

Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.

Disponível em: http://www.paulofreire.ufpb.br/paulofreire/

Repare que a forma tampouco foi empregada para dar continuidade à ideia de negação dita anteriormente. Assim, temos: Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela a sociedade também não muda. Nesse contexto, podemos perceber que a palavra tampouco é sinônima de: “também não”, “nem”, “sequer” e “muito menos”. Vejamos outros exemplos:

Não foi ao trabalho, tampouco à faculdade.

Não quero brigar com o seu irmão, tampouco com você.

Ela não compareceu ao evento e tampouco justificou a sua ausência.

Já a forma tão pouco (separada) apresenta o sentido correspondente às expressões “muito pouco” ou “pouca coisa”. Observemos:

Você estudou tão pouco! Por isso, foi reprovado…

Faltam tão poucos meses para você se aposentar!

Note que, na primeira frase, “tão pouco” tem a finalidade de intensificar o sentido do verbo “estudar”. Nesse caso, funciona como advérbio e, por isso, não varia. Em contrapartida, na segunda frase, “poucos” aparece no plural porque se refere ao substantivo “meses” e, em função disso, concorda com ele. Desse modo, funciona como pronome indefinido. O que isso significa? Significa que “poucos” acompanha o nome (substantivo) “meses”, mas não o define, ou seja, não se diz a quantidade certa dos meses.

Para concluir:

“tampouco” = “também não”, “nem”, “sequer” e “muito menos”.

“tão pouco” = “muito pouco” ou “pouca coisa”.

Navegue mais:

“Proibido entrada” ou “Proibida entrada”?

“Quero um amigo que me faça companhia ou que faça-me companhia”?

“Por ora” ou “Por hora”?

Publicidade

8 comentários em ““Tampouco” ou “Tão pouco”?

    1. Oi, Gilson!

      Sinto-me lisonjeada com a sua avaliação tão motivadora!

      Muito obrigada pela presença constante aqui no meu blog!

      Volte sempre!

      Beijos,

      Denyse.

  1. Denyse, obrigado pelo esclarecimento! Me passa a impressão de que “tão poucas” pessoas acompanham os seus artigos(comentários), o que não é o meu caso, que até dá para entender a pobreza cultural pela qual estamos passando. Alegra-me a sua persistência. Abraço.

    1. Olá, Alaor!

      Muito obrigada por interagir comigo, enviando-me o seu comentário!

      Graças a Deus, os meus posts têm apresentado números significativos de visualizações, algo que me enche de alegria!

      Fico muito feliz por saber que você é um leitor assíduo do meu blog!

      Volte sempre!

      Abraço,

      Denyse.

    1. Oi, Carlos Henrique!

      Alegra-me a sua opinião positiva sobre as minhas dicas!

      Muito obrigada por interagir comigo!

      Fica o convite para que você volte sempre!

      Denyse.

    1. Oi, Ricardo!

      Adorei a sua designação para o meu blog “excelente ferramenta para auxiliar na leitura e na escrita.”!

      Muito obrigada pelo envio de sua avaliação!

      Volte sempre!

      Denyse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*