Skip to main content
 -
Jornalista e Sommelier de Cervejas formada pela Doemens Academy de Munique através do Senac SP. Criadora e apresentadora da coluna Pão e Cerveja na Rádio CDL FM. Colunista do jornal Estado de Minas e da Revista PQN Notícias. Sócia-fundadora e professora da Academia Sommelier de Cerveja.

Memórias guardadas nos copos cervejeiros

Armário Copos

Ninguém escapa! Basta entrar para o mundo cervejeiro artesanal que a pessoa se encanta por copos cervejeiros. Com novos formatos, com marcas icônicas, com logos comemorativos. Copos, copos e mais copos. O fascínio que exercem é sem igual. Primeiro ocupam um pequeno espaço, uma prateleira ou duas. Depois começam a se adonar do local, demandando um armário só para eles. Se multiplicam e o armário fica pequeno. Lá vem um segundo móvel para abrigar as preciosidades. Quando percebemos, eles já tomaram conta da sala inteira! 

Há alguns dias resolvi tirar meus copos de uma das estantes onde os guardo. Queria lavá-los. Foi então que percebi quantas histórias eles contavam. A trajetória do mercado, e a minha trajetória nesse segmento, podem ser todas revistas por meio dos copos! Vi taças de cervejarias que nem existem mais. Vi tulipas de bares que marcaram cena em minha cidade e já fecharam há tempos. Lembrei de festas lindas frequentadas, revisitei cervejarias, pensei em amigos e conhecidos que me trouxeram determinados copos de presente, recordei viagens, revivi concursos dos quais participei. Quantas memórias estão guardadas nos copos cervejeiros, talvez  seja esse o fascínio que eles exercem.

Mesmo sabendo que já não tenho móveis suficientes para guardá-los, mesmo enxergando que tenho praticamente todos os modelos de taças, canecos, copos, pints e etc, a vontade de trazer mais um, e mais outro copo pra casa não passa. Sempre tem algum que nos falta. Isso sem contar aqueles que homenageiam locais, pessoas, personagens , bandas, filmes e séries. Neles o modelo não interessa. Importa é ter um exemplar. 

 

É uma delícia colecionar copos. Assim como é delicioso desfiar as histórias contidas neles, que nos levam a entender a evolução do mercado cervejeiro, a reverenciar pioneirismos e exaltar inovações. Copos são mais do que simples recipientes. São guardiões de memórias!

 

Me siga também nas redes sociais

Instagram@fabiana.arreguy

Facebook.com/paoecerveja

Twitter@paoecerveja

Ouça aqui a coluna Pão e Cerveja da Rádio CDL FM

https://www.mixcloud.com/fabiana-arreguy/colunas-p%C3%A3o-e-cerveja-dos-dias-28-de-agosto-a-1-de-setembro-de-2017/

 

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *