Skip to main content
 -
Ricardo Kertzman nasceu em 1967. Um homem inquieto, irrequieto e inundado de sentimentos.

A terceirização da culpa

Share on Facebook3kShare on Google+0Tweet about this on Twitter0

Não tem jeito mesmo. Certas coisas não mudam. Ou melhor, mudam, sim. Mas para pior. Para muito pior

A culpa é só sua; toda sua

Certa vez, escrevi sobre minha contrariedade em relação a uma tal de “sociedade”, sempre culpada por tudo e por todos. Um moleque cruel assassina e ateia fogo em uma dentista porque ela não tinha dinheiro. O culpado? Claro que não é o vagabundo; é a sociedade — que não o acolheu, educou e deu carinho. Um filhinho de papai qualquer enche a cara, pega o carro e atropela uma grávida no passeio (calçada). O culpado? A sociedade, que estimula a bebida entre os jovens. E por aí vai. Ficaria três dias e três noites seguidas dando exemplos assim.

Pois bem. Meses atrás, uma jovem foi sodomizada e estuprada por um bando de delinquentes selvagens. Como eram menores, logo, logo a culpa recaiu… sobre a sociedade. E mais do que rápido, assistimos às personagens de sempre, ignorantes e oportunistas como nunca, culparem, além da sociedade, vejam só!, os homens. Sim, todos os homens. Acusaram uma tal “cultura do estupro” a fim de desviar a atenção da conduta cruel dos menores (já que esta gente vagabunda também sempre os usa como bandeira ideológica). Para as feminazis de plantão — profissionais e amadoras — os homens são dotados desta tal cultura.

Bem, eu não sei o que move um padre a assediar e estuprar um coroinha nos fundos da igreja. Também não imagino o motivo que leva um tarado a molestar uma menina num beco escuro. Tampouco imagino a motivação dos presos em “fazer menina” um novato de cela. Mas creio que cada um, dentro da sua doença moral, possui os próprios motivos, e nunca um sentimento — ou uma patologia — comum que os levem ao horror dos horrores. Assim, meus caros, os atos medievais dessa gente não fazem parte de uma “cultura do estupro”. São respostas fisiológicas amorais e selvagens próprias, que necessitam do mais absoluto rigor no trato: o isolamento perpétuo.

Todos devem ter ouvido falar no caso de assédio sexual envolvendo o ator global José Mayer — por sinal, petista de carteirinha. Pois bem. O valente, após ser exposto pela vítima, resolver fazer um mea-culpa (latim, que em Português significa “minha culpa”). Aliás, está mais é para um meia-culpa, isto sim. Por quê? Ora, ao invés de assumir o erro, como um ato da própria vontade, o fã do penta-réu criminal Lula resolveu dizer-se motivado por anos de criação machista. Ah, vá catar coquinho no sítio de Atibaia do seu amigo, ô Mané! Milhões de homens da sua geração não acreditam que podem enfiar a mão na perereca de uma mulher quando quiserem.

Assuma sua culpa, meu senhor. Com quase 70 anos e ainda é um covarde!! Que papo é esse de criação machista ou geração sei lá o quê? Você assediou e abusou da moça porque pensa ser superior, social e economicamente, a ela e só. Você cansou de contracenar com atrizes maravilhosas e nunca ousou desrespeitá-las, pois as enxergava como iguais. Mas bastou encontrar com uma gostosinha relativamente pobre, figurinista em início de carreira, vinda sei lá de onde, e o sentimento de sinhôzinho falou mais alto. Foi brincar de teste do sofá e se deu mal. O papai, os coleguinhas e sei lá mais quem não são culpados, não. Deixe de ser dissimulado e assuma sua cagada sozinho.

Não, Mayer, não foi seu machismo aprendido na escola que violentou a moça. Foi, isto, sim, sua relativa superioridade social, aquela que você acredita fazer de ti um intocável perante os anônimos. Simples assim. Tampouco foram seus hormônios turbinados pelo Viagra matinal. Até porque, meu chapa, Vera Fischer e outras divas não sentiram o ímpeto do seu machismo. Por isso, não nos venha com este papinho-cabeça, alinhado com os psolistas do Leblon, a fim de não receber o devido tratamento que merece. Chico Buarque e Caetano Velloso que te comprem, pois eu não. Eu não caio nessa. Machista o escambau! Você é tão somente um nhô nhô moderno, brincando de filho adolescente de família rica dos anos 70, que abusavam das meninas miseráveis, importadas do interior, que trabalhavam como escravas domésticas.

E quer saber? Isso te torna um sujeito ainda pior.

Leiam mais, aqui.

Share on Facebook3kShare on Google+0Tweet about this on Twitter0

Postagens relacionadas

Cadê as feminazis, hein? Sumiram Imaginem se em vez de um petista de carteirinha, no caso José Mayer, fosse outro a molestar uma moça Cadê as barangas? José Mayer é petista! Semp...
Publicidade

76 comentários em “A terceirização da culpa

  1. O mais engraçado disso tudo é que serão gerados debates e mais debates sobre esse tema que levarão ao….. esquecimento.
    Infelizmente temos inúmeros covardes como esse senhor. Que estão nos ônibus, nos ambientes de trabalho etc. E a culpa das cagadas deles vão pra vários lugares, pra sociedade, pra geração sei lá o quê, até pra roupa que a mulher está vestindo.
    Mas isso ocorre em vários setores Ricardo. Você exemplificou bem, mas a terceirização da culpa vai desde um assedio até o rombo da Petrobrás. Primeiro negam, depois desconhecem, depois terceirizam a culpa e quando não tem saída, buscam brechas, alternativas para se livrarem da culpa…Caixa 2 que o diga.

  2. Parabéns. Análise objetiva e verdadeira do caso. Chega de tanta palhaçada. Tenho 56 anos, criado na roça (portanto, criação marchista???!!!), e jamais usaria essa desculpa. Botar culpa na criação, na família, na sociedade???. Ora, a sociedade é culpada de tudo? coisa de petralha.

  3. Ele assumiu o erro e admitiu que a educação machista que teve, onde o homem que bebe, pega todas e se considera macho alfa, tudo pode. Um homem mal pode abraçar o outro que já taxado de homossexual pejorativamente.
    Parabenizo o José Mayer por admitir que essa maldita educação machista baseada na religião atrapalha na educação dos meninos, o índice de suicídio entre adolescentes do sexo masculino é muito alto no Brasil, e quando muitos crescem são agressivos com suas companheiras, vide o índice de feminicídio e mortes por homofobia.

    1. Marcos, respeito seu ponto de vista e não desejo polemizar com você, mas você poderia nos apresentar os tais índices de suicídio, etc. Outra coisa, há mais mulheres que homens no Brasil, e morrem 5 homens assassinados para cada mulher. Onde é que está o tal feminicídio? Sobre mortes por homofobia, te desafio a apresentar números reais que comprovem o que diz. Travestis se envolvem com drogas e assaltos, por isso acabam morrendo.

      1. … me permita agredar/adicionar causas pertinentes, no que foi atribuído à homofobia: causas naturais, doenças, cafetões, dividas, surtos psicóticos e parceiros passionais … além de todas as outras que possam, também, acometer aos héteros.

  4. É compreensível a revolta de vocês. Concordo com ela. Digo, concordando também com o acusado, eu, assim como milhões de outros brasileiros, fui criado para acreditar que o negro, a mulher, o miserável, o deficiente e o homossexual são humanos dignos de pena, cada um em uma escala diferente. Aprendi tudo isso em casa e na escola. Isso é muito disseminado nas famílias ditas tradicionais aqui no Brasil e também o era nas escolas públicas – os livros de História de tempos atrás não me deixam mentir. Porém, observando as pessoas, o comportamento geral do mundo, cheguei a crer que existe algo de muito errado nas pessoas que convivem em sociedade. E apesar de toda essa influência negativa e distorcida em meu convívio, admito que não gosto ou interesso-me por muitas pessoas, mas só sinto aversão ou fobia daquelas que promovem e praticam o mal e / ou disseminam a desordem moral para fins escusos. Em outras palavras, sofri e sofro muitas influências negativas, mas tomo minhas próprias decisões.

  5. Conheço Mayer desde a juventude, qdo. trabalhei com ele no teatro Senac em 70/74. Pessoa integra, òtimo profissional, leal e produtor e ator. Nao é “filinho de papai” e provém de familia normal da classe média, como (acho)voce. Por mais que a fama tenha mudado a personalidade e o carater dele, nao vejo nada de “molestador”. Nao nego, sempre foi um “mulherengo” como se diz, o que para mim é super normal. Muitas mulheres hoje aproveitam da situaçao pra acionar a tal moléstia, até mesmo com uma brincadeira. Nao se sabe a que nivel era o relacionamento, profissional ou de coleguismo entre os dois. Nao adianta ouvir sò um lado da història. Se ele é PETRALHISTA, problema dele, …eu nao sou nem sonhando, e isso nao muda o carater dele. Vejo um pouco de inveja e antipatia sua, em respeito ao sr. Mayer, e repito, é uma òtima pessoa, apesar de nao ve-lo ha bastante tempo, morando no exterior(graças à Deus). Leio sempre seus artigos, que refletem tb a minha opiniao, social e politica do Brasil, mas desta vez, pra mim, voce tà exagerando, e politizando o fato.

    1. Luiz, o lado da história é dele próprio, que reconheceu o crime, não meu ou da moça molestada. Outrossim, por que eu teria inveja dele? O que poderia me despertar tal sentimento? De resto, obrigado por seu prestígio e tempo para comentar.

    2. Parabéns pelo comentário. O problema do sujeito (pseudo autor) dessa coluninha, que como outras sumirá em breve sem deixar saudades, é que ele tem uma patologia psicológica que gera extrema hostilidade com qualquer linha de pensamento que considera ser de esquerda. Quando digo qualquer pensamento, me refiro à qualquer ideologia mesmo sendo correta e inquestionável. Aí o indivíduo aí cava das profundezas do inferno alguma maluquice que é distorcida e re-distorcida em sua mente preconceituosa para atacar tudo e todos que são considerados por ele de esquerda. Sim, principalmente as pessoas são atacadas. E então ele ataca, julga e condena a pessoa, sem conhecer, sem direito de defesa do atacado, e carregado de argumentos fundados em apenas uma coisa, preconceito. Em resumo, esse cara é um típico “hater”, anti esquerda. Repare que ele vai responder os comentários mandando nós dois ir para Cuba ou algo tão idiota quanto.

      1. Eu? Mandando ir pra Cuba? Sem chance! Prefiro mandar à merda mesmo, hehe. Ah! Aprenda o significado de “pseudo”, ok?

  6. Olá Inundado, não é que até no escroque big brother tem gente melhor de voto que o mininu que exigia ventilador ligado para empinar pipa dentro de casa. Agora ele pegará nova pirraça. É o que ele sabe fazer!

    1. Olá, distraído.
      O assunto em pauta é outro.
      Quando for sobre farelo ou alfafa, pode vir e se fartar.
      Enquanto isto, vá ao dicionário e aprenda o significado do termo “escroque”.
      E, se possível, tente ser menos repetitivo, já que não consegue ser inteligente ou divertido.

      1. Olá Veneto, (na qualidade de mais dedicado discípulo de Aldrovando Cantagalo é de supor que carregas um dicionário a tiracolo), contudo, é necessário perceber que não assumi compromisso de ser divertido, aliás, essa neurose de ser divertido é um dos enganos da sociedade de massa e não me cativa.
        Quanto a pauta do assunto é volátil e não ha a exigência de o participante se limitar a ela.
        Amo as repetições, é meu estilo e não lhe diz respeito, sendo que através delas fixa-se a mensagem em que pese não funcionar contigo visto que até hoje não aprendestes que todo trabalhador remunerado é segurado e contribuinte obrigatório da Previdência Social, fato espantoso quando proclamas que é professor de economia. Por falar nisso, seus alunos não teriam sido defraudados do benefício do conhecimento?

        1. Ama as repetições… através delas fixa-se a mensagem…??? Cartilha Goebbels/comunas? Só funciona com mentes inferiores. coisa rara entre os leitores deste blog.
          Pauta volátil???
          O Cidrac criando seu blog dentro do blog do Ricardo?
          Procure seus iguais, anencéfalo!

          1. Gian, eu já te disse: não tenho a menor ideia do que ele escreve. Publico, pois sei que é um sujeito educado que não escreve palavrões nem ofende ninguém além do aceitável.

            O que ele pensa ou deixa de pensar me toca tanto quanto uma palestra do Lula, sacou? Largue ele pra lá, falando sozinho e pronto.

            Abrs

              1. Esse Cidrac pensa que sabe escrever mas apenas mistura uma porção de palavras que aprendeu ontem. Tenta conjugat os verbos mas erra insistentemente. É chato, ponto. Quanto ao seu conteúdo de esquerda e defesa da petralhada não vale nem comentar. Sugiro uma vaquinha para ele visitar seus ídolos encarcerados em Curitiba…

                1. Olá Do Vale, pelo jeito és mais um dos discípulos de Aldrovando Cantagalo. Questão de escolha, cada um prefere a sua confraria.
                  Quanto ao juiz da roupa preta não passa de um abusador e justiceiro, mas, como um Joaquim Barbosa da vida logo logo estará no esquecimento da nação. Lembra dele? Virou até máscara de carnaval, mas o que de bom deixou para o país?
                  Hoje tens júbilo em assistir ao pisoteio do direito de quem você não gosta. Amanhã mudarás de ideia quando o direito de alguém que você preza for massacrado. Vide o exemplo de Aécio Neves. Nunca disse nada contra os vazamentos sistemáticos contra seus adversários, mas bastou uma capa na revista que ele correu a bradar contra o procedimento. Nada como um dia depois do outro. Repito: é intolerável, é odioso o que é feito com Marcelo Odebrecht. Grato.

      2. Sério! O que tem o PT haver com isso seu reacionário. José Mayer que se foda, vai pagar pelo terrível abominável comportamento. O PT. Continua o melhor de todos, quer vc queira ou não. PQP. U8

          1. Melhor ser boca suja que reacionário e imbecil. Realmente vc só aceita e comenta o que lhe convém. Me poupe pleassssse! Já saí, não estou para oportunistas que só querem agredir através de fatos isolados. Foi a segunda é última vez que li alguma coisa sua. Manifestei hoje. Os incomodados que se retirem Bye, bye. 🤤🤤😱😱

            1. Não disse que você teria um chilique?!? Ah, deixe de mentira: você não vai a lugar nenhum. Amanhã mesmo estará aqui, como sempre, pois é mais uma viciada no blog e nos pontapés que distribuo a quem merece

  7. Agora tudo que acontece de ruim neste Pais tem influencia do PT,o homem assedia uma mulher a culpa é do PT e sua influencia faça me o favor vai catar coquinho.deve achar que todo leitor é estupido o assunto é sobre assedio sexual ou sobre partido politico?

      1. “Todos devem ter ouvido falar no caso de assédio sexual envolvendo o ator global José Mayer — por sinal, petista de carteirinha. (…) o fã do penta-réu criminal Lula”. Isso era necessário? Ou é apenas para enfatizar o seu preconceito cansativo.

        1. Hiram, já reparastes que a pessoa a quem chamas de penta réu não tem nem ao menos conta em banco do estrangeiro? E que tendo sido submetido a intensa investigação durante anos nada se provou contra ele aqui no país? De outra mão o insuspeito mininu que exigia ventilador ligado dentro de casa para empinar pipa foi pilhando como titular e ou favorecido de contas em paraísos fiscais recheada de milhões? (Então me permita dizer: ha alguma coisa fora da ordem em teu raciocínio). Grato.

  8. Realmente concordo que a culpa não é da sociedade no geral, mas ela influencia sim, principalmente no seio familiar. Exemplo, Se o pai é mulherengo e ensina aos filhos que mulher é um objeto sexual, e quanto mais melhor, o filho vai crescer achando que isso é verdade e tratar as mulheres como os negros eram tratados no passado, como seres inferiores. Isso ainda é muito comum em sociedades atrasadas e com uma péssima educação como o Brasil.

    1. EXCESSO DE LIBERDADE gera desrespeito!!!

      … sua linha de raciocínio deve ser mantida, também, para: os pais que bebem na presença dos filhos (ou usam drogas diversas), para os que abrem embalagens e se alimentam antes de passarem no caixa de supermercados e similares, para aqueles que geram calotes financeiros (para seus “conhecidos” ou instituições financeiras), para aqueles que vivem endividados e submetem a família a vexames sucessivos, para os que furam fila de vagas de estacionamento, para os que usam vagas de deficientes, para os que desrespeitam regulamento de condomínio, etc.

      Enfim … todo mundo fala dos males sociais e aponta o dedo para a educação … mas no fundo, é quando se perde (ou não se valoriza) o RESPEITO nos relacionamentos … que o inferno fica mais próximo de todos nós e o capeta passa a nos chamar de “companheiro”.
      O RESPEITO antecede e é alicerce de uma pessoa “educada” … não consigo ver o contrário!

      Não seja isso, a corrupção moral e financeira seria coisa alinhada à pobreza e falta de acesso á educação … e não é isso que acontece!

      Educação, aliás, subversivamente administrada pela parte mais “amoral” dos “ativistas de plantão”, só faz aumentar conflitos (vide o caso em questão, de assedio), seja pelo excesso de liberdades pretendidas e/ou praticadas, seja pela falta de senso comum, inerente aos seus porta-vozes falastrões.

      Minorias não devem pautar a agenda social de um país, posto que são, evidentemente, minorias. Elas podem (e devem) se expressar continuamente, porque o contraditório valoriza o debate e melhora o resultado, mas … PAUTAR a agenda, as minorias NÃO DEVEM !!!

  9. O Brasil é o oitavo país em número de suicídios. Em 2012, foram registradas 11.821 mortes, sendo 9.198 homens e 2.623 mulheres (taxa de 6,0 para cada grupo de 100 mil habitantes). Entre 2000 e 2012, houve um aumento de 10,4% na quantidade de mortes – alta de 17,8% entre mulheres e 8,2% entre os homens.
    O estudo “Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres”, divulgado nesta segunda-feira (9), mostra que 50,3% das mortes violentas de mulheres no Brasil são cometidas por familiares. Desse total, 33,2% são parceiros ou ex-parceiros.
    Entre 1980 e 2013 foram assassinadas 106.093 mulheres, 4.762 só em 2013. O país tem uma taxa de 4,8 homicídios para cada 100 mil mulheres, a quinta maior do mundo, conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) que avaliaram um grupo de 83 países.

    http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/11/503-dos-homicidios-de-mulheres-no-brasil-sao-cometidos-por-familiares.html

    http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/09/brasil-e-o-8-pais-com-mais-suicidios-no-mundo-aponta-relatorio-da-oms.html

    E vc acha que a nossa sociedade atrasada não tem nenhuma culpa?

    1. É como diz aquela velha máxima: “ninguém sai de casa com a intenção de linchar uma pessoa”. Mas não, segundo o autor, a sociedade não tem culpa de nada. Sociedade essa que, inclusive, ele contribui para que seja pior que já é. Não estou dizendo que o indivíduo não tem culpa ou não deva sofrer as consequências de seus atos. Tenho que deixar isso claro, porque as idéias, na cabeça desse autor, são pretas e brancas, e não variam em um leque com tons de cinza. Se você observar os dados e fatos, países mais desenvolvidos, onde o machismo não bem visto, ocorrem bem menos incidentes como o debatido aqui. E não é porque o ator é petista, ou o ex governador de Minas é Tucano que dará o direito a eles de tratarem as mulheres de forma desrespeitosa.

  10. Texto oportuno Ricardo, já que este assunto vem sempre a discussões, embates e geram polêmicas. Estamos numa fase de transição entre uma sociedade machista patriarcal e uma (que ainda atingiremos) mais igualitária. Atualmente vemos de uma lado os machistas se contorcendo de raiva (pelas mudanças irreversíveis) e as feministas totalmente perdidas, enraivecidas, revanchistas e radicais. Muitas ou até a maioria querem simplesmente virar o jogo e não igualar. Aí fica dificil e complicado e adia ainda mais para chegarmos a uma relação de generos mais estabilizada e racional. Querem elas serem o que os “coronéis” foram no passado em nossa sociedade. Muitas mulheres hoje estão copiando os comportamentos, girias e atitudes masculinas, inclusive as piores. Vejo muitas meninas de classe media chamando sua amigas de “veio”, fumando, bebendo no gargalo e etc. Triste esta falta de personalidade das mulheres. Mas querem ser tratadas como diamantes ou como uma flor pelos homens como se os homens também não precisassem ser tratados assim e como se fossem seus servos. O interessante é que são exatamente os machistas que querem continuar esta relação princesa/servo, mas com objetivos de sedução machista e as mulheres, ingenuamente, não percebem isto. Tinha que ter dia internacional das mulheres como deveria ter também dia internacional dos homens. Simples assim.

  11. Texto direto e justo. Pois vejo muita gente de vinda de criação machista e até tem tal comportamento denunciado em vários sintomas, más no que diz respeito a assédio sexual, ciente da gravidade que é praticar este ato nem de longe pensa em fazê-lo pois esta ciente que independente do machismo existe ali um desrespeito tão grande que se sobrepõe ao machismo ao invés de se apoiar nele!

  12. “Escravas domésticas da década de 70”. Uai, mas outro dia você postou um texto que reclamava do governo ter limpado a esculhambação do trabalho de empregado doméstico, dizendo que o desemprego veio e mais um monte de bobagens. Não estou te entendendo Ricardo, você se contradiz às vezes.

    1. Eu? Você não sabe interpretar texto e a culpa é minha? Sai pra lá, coisa ruim!! Procure um supletivo qualquer e boa sorte

      1. Basta você ler seus blogs anteriores meu camarada. Você criticou sim a regulamentação do trabalho doméstico e agora fala sobre “escravas domésticas…”. Bola fora sua amigão, apesar de você estar com razão quanto às atitudes do “global”.

        1. Ai, ai… deixa eu te desenhar! Vamos lá: a porra da PEC transferiu parte do que os empregados domésticos ganhavam diretamente para os cofres do governo. Resultado? Redução de salário. E mais: você deve ter visto na TV, a situação das empregadas doentes que precisam receber do INSS e não estão recebendo — mesmo os patrões tendo recolhido o imposto — pois o sistema deles não “conversa” com o da Receita. Além disso, como onerou sobremaneira os empregadores, uma grande parte preferiu demitir seus empregados e contratar diaristas. Já aqueles que sequer pagavam um salário mínimo, pois empregadores informais, continuam na mesma. Ou seja, se a lei foi feita neste sentido, não deu em nada.

          Sobre a questão do assédio ‘as empregadas nos anos 70, você querer ligar uma coisa ‘a outra é tão sem sentido que, sinceramente, não tenho o menor saco para respondê-lo. O leitor Breno, da maneira dele, escreveu exatamente o que estou escrevendo. Acho que a resposta está lá. Manda ver

    2. O que tem a ver a pec das dosmésticas, que transferiu o dinheiro que elas recebiam para ogoverno , a ver com o que era muito comum antigamente, que era os filhos ricos molestarem as domésticas, que vinham trabalhar sem carteira assinada e ganhavam menos do que um salário mpinimo para trabalhar?
      Eu sou contra a pec das domésticas porque encareceram para os patrões que agora preferem contratar diaristas mais baratas, e nem por isso sou a favor de ficar passando a mão na bunda delas.
      Você é idiota o que?

      1. Acho que você é contra porque talvez nunca uma irmã sua, ou mesmo sua mãe, com todo o respeito a você, não precisaram trabalhar numa casa de família, ganhando 60%, 70% ou até muito menos que um mínimo e não tendo direito a mais nada. Pimenta nos olhos dos outros é refresco né?!

  13. O que está faltando é carater em todas geraçoes. Tanto homens como mulheres.
    A lei do Gerson não impera somente na politica, mas em toda sociedade. O desgraçado queria aproveitar desta figurinista.
    O mau carater independe da posiçao politica deste individuo.
    Alias este negocio de coxinha e pão com mortandela está enchendo o saco.
    Cada um mais radical que o outro. Alguem já experimentou pao com linguiça?

  14. Comportamento deplorável. Mais deprimente é saber que tem gente que concorda com isso.Deve ser porque esses indivíduos não tem a capacidade de conquistar uma mulher com um bom papo, com um bom vinho, com atitudes sãs, para que os dois aproveitem as delícias do sexo consentido, onde há reciprocidade. Nunca terão o doce sabor da vitória da conquista, de uma relação recíproca, com gozo mutuo. Suas necessidades fisiológicas, são animalescas, instintivas, grotescas. Dotados de um vazio que nunca será preenchido e a partir disto eu concordo com o blogueiro, quando ele diz que este tipo de indivíduo deve ser suprimido perpetuamente da convivência social.

    1. Infelizmente, meu caro … na “levada” que estamos indo nos relacionamentos, do “fundo” dos meus muitos anos de vida, vejo que as mulheres com menos de 30 anos vão ler o seu texto (até a citação do “gozo mútuo”) e dizerem: … do que é que esse cara tá falando, mesmo?
      É … tem isso também!
      Como disse um participante, agora há pouco, gente demais quer “virar” o jogo … e não equilibrar … aí, já viu, né … CONFLITO!

      1. A se analisar o comportamento da juventude de hoje, será mesmo desta triste e deprimente forma que você cita. Coitada destas mulheres e dos homens que com elas se relacionam ( prestem atenção que digo HOMENS). Que pena. Nunca vão saber de fato o que é se entregar. Para essas ai, restarão alguns Jose(s) ou João(s) animalescos dispostos a lhes tratarem como elas mesmo se colocam, ou seja, como objeto.

  15. Ricardo Lisias “A CULPA É DA GERAÇÃO?

    Alguém aí explica ao Zé Ruela que infernizou a vida de uma moça, passou a mão nela e depois culpou a própria geração, que a galera da idade dele apoiou os Panteras Negras, viu Martin Luther King ser assassinado, foi para Woodstock ouvir Janis Joplin, aplaudiu a Primavera de Praga e o Premio Nobel para Samuel Beckett, deu apoio ao elenco de Roda-Viva que foi espancado, depois fez a mesma coisa com a atriz Norma Bengell, é a geração que foi toda presa em Ibiúna e começou a resistir ao AI 5.

    Ou seja: vá ser cretino sozinho.

    Boa noite a nós tudo.” A melhor expressão que li!

  16. Ricardo Kertzman, você ganha umas bonificações a mais para envolver o PT e o Lula em tudo que você escreve? Larga de ser ridículo, rapaza! Ainda me vem colocar em negrito para vincular a má conduta do José Mayer à política. Larga de ser mesquinha e faça um texto específico para cada assunto, não me venha misturar uma coisa com outra coisa, porque as duas não tem ABSOLUTAMENTE nada a ver. E SIM!!! É claro que o José Mayer usou esse argumento como desculpa para, talvez, amenizar a culpa na sua própria consciência – já que esse argumento não fez diferença para ninguém- mas COM CERTEZA existe uma cultura do estupro inserida na sociedade, onde grande parte dos homens se acham superior às mulheres e as vêem como subordinada, achando que podem fazer o que bem entender.
    Agora, concentra no seu trabalho e vê se consegue escrever algo melhor.

    1. Ô siricutida abestada…. sai pra lá!!! Escrevo o que quiser, como quiser, a hora que quiser. E tá pra nascer feminazi histérica para me pautar ou me dizer o que fazer.

      Agora prepare-se, pois vou te matar de raiva: vá caçar uma muda de roupa pra lavar e não me enche o saco, falou!!

      1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk agora que a petralha surta de vez kkkkkkkkkkkkkkkkkkk vai lavar roupa kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ela vai deizer que vc eh maxista

  17. Pois é senhor blogueiro, eu comprovei como a taxa d suicídio no Brasil entre homens é três vezes maior do que entre as mulheres e que o Brasil é o quinto país do mundo em assassinatos violentos de mulheres, na frente apenas de países como a Rússia por exemplo. Pq será que o senhor não comentou? Ainda isenta a nossa sociedade e o machismo encravado ou ao menos parou para pensar?

    1. ai, ai… você quer que eu comente o quê? Que estes números não comprovam absolutamente nada ou que eu acho que não existe sociedade, e, sim, indivíduos?

      Marcos, exponha o que quiser, acredite no que quiser, mas não queira me trazer para um debate, pois não irei. Primeiro, que não tenho o menor saco. Segundo, que já deixei de discutir com quem não considero capaz, há anos. E terceiro, que este espaço não é para isso. Aqui eu opino e vocês comentam. É só!

  18. Ela não foi a primeira. Camila Pitanga, que a incentivou na denúncia, já havia se queixado à emissora por ele não respeitar os limites do beijo técnico entre outraa atitudes. Qd o caso saiu na mídia, Sabatella comentou em sua rede social q ele “não se emenda, hein?”.
    Ou seja, um safado de fama e carteirinha. O público que desconhecia essa faceta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.


*