Skip to main content
 -
Sou Cruzeirense por amor, palestrino por herança! Falar do Cruzeiro é falar sobre a minha vida, em outras palavras eu não conseguiria definir com precisão a honra e o orgulho que é fazer parte dessa nação incontável de loucos que, cantando, expressam seu amor ao maior time das Minas Gerais!

É o que tem pra hoje…

Muito tem se falado do método Mano Menezes de jogar, futebol reativo, que espera as ações dos adversários, não marca muitos gols, entretanto costuma chegar em grandes decisões! Muitos dizem que, pra quem está no estádio é um saco assistir, quem está em casa comemora sempre a classificação, ou os bons resultados em mata mata, porque é fato que em pontos corridos, equipes que tem esse posicionamento não se destacam tanto!

O torcedor cruzeirense é conhecimento pelo seu nível de exigência, elevadíssimo, não basta ganhar, tem que convencer, dar show, é quase que proibido o adversário ter direito às ações quando se enfrenta a Raposa! Isso jamais será uma crítica a imensa nação azul, não ousaria tal discrepância principalmente porque foi essa característica que nos tornou o gigante que somos! Entretanto, vale lembrar que só saímos da libertadores porque a arbitragem influenciou demais, fizemos no mínimo os gols que nos levariam para os pênaltis, ou vocês acham que aquele pé alto do Dedé, fosse contra o nosso Cruzeiro, em lá bombonera, seria apitado? Duvido muito! Além disso, estamos nas finais da copa do Brasil, abrimos uma vantagem, concordo nada expressiva, porém, se atuarmos da mesma forma que foi no mineirão, o hexa virá!

O certo é que somos impacientes, exigentes, ressabiados, cabreiros, e obviamente apaixonados!

Estamos em vantagem na final da copa do Brasil, saímos garfados da libertadores e garanto que ninguém consegue afirmar com plena convicção que as coisas não vão bem, o futebol não é típico do que acostumamos a ver, mas tá bom! Tá ruim, mas tá bom!

 

Postagens relacionadas

Publicidade