Ufa! Mais três pontos.

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Credo, que jogo sofrido! Mesmo diante de um time mais fraco e cheio de desfalques, tivemos enormes dificuldades. A primeira, foi a mudança radical do esquema dos jogos anteriores. Com as suspensões de Fred e Carioca, o Galo teve de se virar com apenas Prato mais à frente e Lucas Cândido (hoje péssimo) como volante. Maicosuel apagado e Leãodro errando muito, sobrou para Rocha — que voltou muitíssimo bem — e Robinho carregarem o piano. Este horário de jogo é cruel com um time mais velho e com jogadores mais pesados como o Atlético. Afora a retranca do xará paranaense que nos fez correr demais no primeiro tempo.

Um alerta claro: Este tal Ronaldo, zagueiro que veio do Uruguai, é medonho! Tá certo que Ed Carlos não é lá estas coisas, mas este sujeito é ruim demais. Horroroso mesmo! Não dá pra ficar confinado na sorte e no anjo da guarda. Fora com esta coisa!!

Rumo ao Bi!

Publicado em 2 ComentáriosAtlético Mineiro, Galo, Galo campeão, Sem categoria

Seremos campeões! A arrancada final será a partir do último terço do segundo turno. Precisamos começar bem. Bora pescar em Santos!

Foi um belo primeiro turno, sem dúvida. Uma recuperação espetacular. Mas como não lamentar quatro pontos jogados literalmente fora: ao menos 1, na derrota para o antepenúltimo lugar do campeonato, 2 naquele empate bisonho contra o Sport depois de estarmos vencendo por 4×2, e mais 2 contra o Figueirense. Vencer e perder é normal, por isto não lamento algumas derrotas nem super valorizo outras vitórias. Mas poderíamos demais estar em primeiro lugar, com uns dois ou três pontos de vantagem sobre o Palmeiras.

Acabo de ler com muita atenção a tabela do segundo turno. O primeiro terço será tenso! O segundo equilibrado; e o terceiro nos servirá para a arrancada final rumo ao tão sonhado, desejado, esperado e merecido bicampeonato brasileiro. Para isso, será fundamental dois aspectos: ao menos 90% de aproveitamento em casa, e duas ou três vitórias-chaves fora de casa: Santos, Antepenúltimo lugar no campeonato e Fluminense ou Botafogo. Daí poderemos até oscilar entre empates e derrotas fora de BH que o caneco será nosso.

Eu acredito! Acredito muito! Sinceramente, acho que chegou a nossa hora. E como “Aqui é Galo”, diferentemente dos últimos anos, a disputa seguirá cabeça a cabeça até o final. Intuo que somente na penúltima rodada a fatura estará liquidada  De agora em diante começo a contagem regressiva: 19,18,17, 16…

 

Vamos, Galo! Hoje, o segundo. Depois, o primeiro lugar até o final.

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Uma vitória e assumimos a segunda colocação (em número de pontos). Se vier, iniciaremos o segundo turno a um único ponto de distância do líder temporário. Ah, aqueles malditos pontinhos bestas que entregamos! É sempre assim: entra ano, sai ano e os “se” não nos largam. Se não perdêssemos, em casa, para o vice-lanterna; se não deixássemos o Sport empatar; se tivéssemos vencido o Figueirense. Na boa… jogamos fora cinco pontos. Fazer o quê? Já foi. Quem vive de passado é quem está no penúltimo lugar do campeonato.

Marcelo Oliveira deverá repetir o time que iniciou o jogo contra o São Paulo, apenas com a entrada do Leãodro no lugar do Urso Jr.. O Urso pai estará na frente ao lado de Fred e Robinho. No banco, doidinho para entrar estará o elétrico Luan, figura certa na segunda etapa. Nas cadeiras estaremos nós, renovados e esperançosos como nunca, mas acreditando como sempre.

Bora lá, Galo Doido! É hoje e não amanhã! É agora e não depois! Rumo à liderança e ao título. Este ano, nem a CBF vai guentá!!

Uma vitória gigante! Uma vitória de campeão.

Publicado em 76 ComentáriosAtlético Mineiro, Campeonato brasileiro, Galo, Galo campeão, Lucas Pratto

Que maravilha! Foi de encher os olhos. Uma daquelas vitórias que nos fazem acreditar ainda mais no “eu acredito”. Marcelo Oliveira perfeito! Escalou bem e mexeu ainda melhor. Victor, apesar do gol do São Paulo (mais uma falha no ano!), foi um gigante no segundo tempo. Salvou como um santo. Fred apagado, mas brilhando o suficiente para fazer um pivô primoroso para Maicosuel marcar o gol de empate. Se o time não foi brilhante individualmente, taticamente foi admirável. E mostrou uma raça incrível, uma vontade franca de vencer. Agora um parágrafo à parte…

Taqueopariu, Lucas Pratto!! Você é um monstro, rapaz!! Que vontade é essa de jogar e ganhar? Que dedicação é essa à sua profissão e ao nosso Galão da Massa? E que gol foi aquele, Urso?!? Tabelar com zagueiro e engavetar a pelota daquele jeito, nem Pelé. Quem foi Maradona? Talvez Romário. Este sim. Ao lado do “Rei, rei, rei, Reinaldo é o nosso Rei” seria capaz de uma obra prima assim. Aliás, ele e o Ronaldinho Gaúcho, claro. Pratto, você é digno de ser chamado de mito! Por favor, fique aqui para sempre.

Agora é comemorar, descansar e não perder o foco na liderança. Quem sabe não a conquistamos na segunda, em BH, contra a Chapecoense? Mas até lá, felicidade pura. Valeu demais, Marcelo Oliveira. Valeu demais, time todo. Bora tomar uma!

A primeira a gente nunca esquece!

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Frase feita, né? Mas não é assim mesmo? Quem não se lembra das primeiras vezes? Primeiro beijo, primeira transa, primeira Libertas, primeira Copa do Brasil? E se as tais primeiras vezes aconteceram de formas incrivelmente especiais: O beijo naquela(e) gatinha(o) linda(o) dos sonhos, a transa com a(o) namorada(o) amada(o), em um lugar maravilhoso, e conquistas épicas, com viradas sensacionais, jogos históricos, emocionantes e… até mesmo decisão contra o maior rival?!? Certamente inesquecíveis e memoráveis.

Hoje foi definido através de sorteio o primeiro adversário do Galão da Massa na Copa do Brasil 2106. Será a Ponte Preta, em dois jogos, 24 de agosto, em BH, e 21 de setembro, em Campinas. Quem sabe não beliscamos mais esta né, não? Apesar que meu foco é total no Campeonato Brasileiro. Já passou da hora! Chega desta fila interminável. E chega desta sina maldita. Chegamos 14 ou 15 vezes, nem me lembro mais ao certo, entre os quatro finalistas desde 1971 quando fomos campeões pela única vez. Por isto nem me importo muito com a Copa do Brasil. Principalmente porque ainda nem parei de comemorar a primeira, em 2014. E como eu poderia, não é verdade? Uma campanha épica como jamais se viu no mundo. Sim, no mundo! Ou me digam quando um clube bateu todos os principais adversários do país e ainda por cima, na final, enfrentou o maior rival e o castigou duas vezes. E nem vou falar das viradas sobre o dançarino Mano e o Flamengaço Classificadaço.

De qualquer forma, como todos sabem, discurso é discurso e jogo é jogo, porque é claro que dia 24/08 estarei lá (Indepa ou Mineirão) urrando feito um desgraçado e não aceitando nada menos que uma vitória segura, para que o jogo da volta não seja aquele eterno tormento insuportável. Sei não… tô achando que papamos mais esta! Eu acredito!!

Pedala, Robinho!

Publicado em 8 ComentáriosSem categoria

O Atlético é o time da Série A que mais gols marcou na temporada; foram 77 ao todo. O Grêmio vem a seguir, com 75. Robinho é o nosso artilheiro, com 17 gols. Mas…

Não há um só atleticano que não concorde que o “Pedalada” é genial, mas também nenhum de nós consegue passar uma partida inteira sem se irritar — e muito! — com nosso camisa 7. Robinho erra passes infantis, perde bolas perigosíssimas no meio de campo e por vezes parece estar dormindo, desligado do jogo. Curioso também como sobe de rendimento no final dos jogos, a partir da metade do segundo tempo, quando o esperado seria ele se cansar e cair de produção. Talvez a experiência o faça poupar energia para aproveitar-se do cansaço dos adversários nos últimos minutos. Não sei. O fato, amigos, é que Robson de Souza, além dos 17 gols em 30 jogos (média de centroavante artilheiro, 0,56 por partida) tem sido decisivo também com assistências precisas e controle de bola.

Talvez esteja na hora de eu, e de mais alguns por aqui, termos mais paciência com o nosso goleador. Robinho não é mais o garoto de 18 anos que encantou o mundo. Também não é sequer o jovem de 25 anos que sempre figurou na Seleção brasileira. Mas ainda é, sem dúvida nenhuma, muito acima da média. Seguramente, melhor que 8 entre 10 jogadores em atividade no país. É um ativo e tanto. Nem que seja para nos brindar, de vez em quando, com lances mágicos como no gol do Luan, contra o Santinha, ou apavorar os zagueiros adversários. De minha parte, eu prometo: paciência redobrada com o nosso Rei do Pedal!